Conspiração em busca dos R$ 200 milhões

Buscar

Comunicação

Publicidade

Conspiração em busca dos R$ 200 milhões

Esta é a meta de faturamento da produtora para 2014, como afirma Pedro Buarque de Hollanda em entrevista ao Meio & Mensagem


16 de maio de 2012 - 9h03

O bom momento vivido pelo mercado brasileiro de produção impulsionou a ampliação do campo de trabalho para muitas empresas do setor, entre as quais a Conspiração Filmes. Em 2009, os sócios Pedro Buarque de Hollanda, Andrucha Waddington e Claudio Torres perceberam que era preciso investir para que a produtora crescesse dali em diante não só organicamente, mas aproveitando as oportunidades que se abriam.

A Conspiração foi dividida nas áreas de cinema, publicidade, televisão, conteúdo corporativo e novas mídias, cada uma das cinco comandada por um executivo, com metas e orçamentos previamente estabelecidos. O objetivo, audacioso, era claro: crescer 25% ao ano e chegar a 2014 faturando R$ 200 milhões.

Nesta entrevista, Pedro Buarque de Hollanda, sócio e diretor presidente da Conspiração (que tem ainda como sócios o Banco Icatu e a Rio Bravo), detalha em tom calmo, conciliador e bem-humorado – como o dos ilustres familiares Buarque de Hollanda –, as investidas nas áreas de televisão, novas mídias e produção corporativa. E relata o maior tiro n’água desde a implementação da nova estrutura: uma área de produção para varejo, modelo ao qual a Conspiração não se adaptou e teve de abandonar.

Os trechos a seguir foram retirados da entrevista completa de Buarque de Hollanda publicada na edição de Meio & Mensagem com data de capa de 14 de maio de 2012. 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”