AlmapBBDO e WMcCann deixam concorrência do GPA

Buscar

Comunicação

Publicidade

AlmapBBDO e WMcCann deixam concorrência do GPA

Em meio à polêmica proposta de venda da house do cliente, Almap, Neogama e WMcCann deixam a disputa

Felipe Turlao
3 de setembro de 2013 - 11h50

* Colaborou Regina Augusto

Três das oito agências selecionadas pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA) para fazer uma proposta de aquisição da house PA Publicidade e gerenciar uma verba anual na casa de R$ 400 milhões decidiram sair do processo. AlmapBBDO e WMcCann comunicaram à diretoria do anunciante na manhã desta terça-feira, 3, o declínio ao convite. A Neogama/BBH também já avisou que não participará do processo.

A primeira informou que tomou a decisão por meio de um comunicado sucinto: “A AlmapBBDO acaba de comunicar à diretoria do Pão de Açúcar que agradece o convite, mas declina da participação no processo de seleção para seu novo parceiro de comunicação”. Uma das principais políticas da agência é não participar de concorrências com propostas financeiras.

A decisão da WMCann foi confirmada à reportagem pelo próprio chairman e CCO Washington Olivetto. "A WMcCann agradeceu o convite, mas declinou à participação de acordo com a nossa filosofia de trabalho e de negócios", declarou. Já a Neogama/BBH não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

Assim, a disputa segue entre as outras cinco agências convidadas: Africa, Havas, Lew’Lara\TBWA, Publicis e Y&R. Elas entregarão no dia 16 de setembro suas propostas de modelagem de negócio e, entre os dias 18 e 20, farão suas apresentações. A house PA Publicidade tem cerca de 250 funcionários e custos fixos anuais em torno de R$ 35 milhões, de acordo com cálculos do mercado.

Todas as oito agências, inclusive as três desistentes, participaram de uma primeira fase não presencial de apresentações de credenciais, foram aprovadas e, posteriormente, se reuniram pessoalmente com diretores do Grupo Pão de Açúcar no mês passado, quando receberam orientações sobre a proposta financeira que deveriam preparar (leia mais aqui). Outras agências foram consideradas na primeira fase não presencial, mas não foram aprovadas pelo anunciante.

As desistências ocorrem após a concorrência do Pão de Açúcar ter sido tema de editorial de Meio & Mensagem na edição desta semana. “Eu tenho o sonho de encontrar alguém que tenha coragem de dizer não para processos como o em curso atualmente pelo Grupo Pão de Açúcar”, diz um dos trechos do texto da diretora editorial, Regina Augusto — confira a íntegra aqui.

GPA diz que não está vendendo a PA
Após publicação desta reportagem, o Grupo Pão de Açúcar enviou o seguinte comunicado oficial: "O GPA iniciou um processo de consulta às agências de publicidade para firmar uma parceria estratégica com a PA Publicidade e que não prevê a sua venda. A empresa esclarece que o convite feito às agências visa possibilitar às candidatas desse processo formatarem o melhor modelo de parceria que venha atender às suas necessidades estratégicas e de negócio, com o objetivo de promover o desenvolvimento e troca das melhores práticas de comunicação publicitária, garantindo a manutenção dos talentos e expertise de varejo da PA. Esse processo está sendo conduzido por um comitê executivo e obedece a um acordo de confidencialidade firmado com as agências participantes".

wraps
Leia também:

Casas Bahia e Ponto Frio definem concorrentes

Editorial: I have a dream

Uma aquisição travestida de concorrência

Pão de Açúcar negocia a house PA

Casas Bahia e Ponto Frio em concorrência

Pão de Açúcar abre concorrência publicitária

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”