10 Profissionais de Comunicação de 2014

Buscar

Comunicação

Publicidade

10 Profissionais de Comunicação de 2014

Conheça os dirigentes da indústria da comunicação que se destacaram em 2014


22 de dezembro de 2014 - 9h53

Abaetê Azevedo
CEO da Rapp na América Latina, Abaetê Azevedo começou o ano de 2014 assumindo o comando na América Latina da divisão Diversified Agency Services (DAS), responsável pelas agências de serviços de marketing do Grupo Omnicom. Além da Rapp, pertenciam à estrutura as agências GMR Marketing (esportes e entretenimento) e Ketchum (relações públicas). Ao longo do ano, o número de empresas da unidade deu um salto, especialmente na esfera de relações públicas, onde, além de se tornar majoritário na Ketchum (ler mais à pág. 23), o Omnicom comprou participação minoritária na InPress Porter Novelli e abriu o escritório local da Fleishman-­Hillard, essas duas agências ligadas ao Grupo InPress. Além disso, Azevedo lidera uma incubadora que iniciou no Brasil as operações da Davie Brown, especializada no trato com celebridades, Communispace e WebSensus, de pesquisas, e AMCI, de marketing para automóveis. No começo do ano que vem, chegam ao País as empresas de design Sterling Becker e Go Experience, e a companhia de pesquisas qualitativas Flamingo International, mas Azevedo promete outras aquisições e startups para fazer de 2015 um ano tão agitado quanto esse que se encerra. 

wraps

André Gustavo
Por mais que a grife ajude, não é fácil estabelecer uma agência internacional em um mercado com características tão peculiares como o brasileiro. Em 2010, André Gustavo deixou a carreira na F/Nazca S&S para assumir o desafio de abrir a Wieden + Kennedy no Brasil, ao lado de Icaro Dória e Guillermo Vega — este deixou a operação em 2014 e será substituído por Renato Simões (de saída da Almap­BBDO). A W+K se viabilizou localmente ao conquistar contas tanto de marcas locais, como Hering, TIM, Bis e Sonho de Valsa (que pertence à multinacional Mondelez), quanto internacionais, como Coca-Cola e P&G, para quem fará a campanha olímpica de 2016. No caso de Nike, já atendido pela operação global, o cliente abriu uma concorrência formal no País em 2012 e escolheu trocar a F/Nazca S&S pela W+K brasileira. Em 2013, a agência passou a integrar o ranking Agências & Anunciantes das 50 maiores do Brasil, na 37a colocação. O ano de 2014 termina com a conquista da verba local de Old Spice (cliente global da rede, até então atendido no País pela Grey) e a participação na concorrência de Santander, ao lado de outras quatro agências com bem mais tempo de mercado. Também nesse ano foi inaugurado o novo escritório da W+K em São Paulo, maior e mais propício para o salto de qualidade e volume que a empresa pretende dar, esses, os grandes desafios de André Gustavo para 2015.  

wraps

Claudia Colaferro
Presidente para a América Latina da Dentsu­ Aegis Network, Claudia Colaferro é a mulher brasileira que atingiu o posto mais importante na hierarquia das redes de agências internacionais. Homenageada no Women to Watch 2014, por Meio & Mensagem, Claudia teve passagens pelas duas pontas da comunicação como agência e anunciante. Começou carreira em 1992 na Unilever, e permaneceu lá por oito anos. Em seguida, assumiu o posto de diretora de marketing da Coca-Cola. Deixou a empresa em 2005 e foi diretora de marketing da Motorola até 2007, antes de ter sua primeira experiência com agências de publicidade como vice-presidente de estratégia da Isobar. Ela voltou para o lado do anunciante por dois anos como vice-presidente de marketing da Philips, até 2010, e em 2012 se rendeu novamente à propaganda aceitando o convite da Dentsu Aegis. Sob seu comando estão mais de 1,5 mil colaboradores das empresas da rede, que em 2014 aumentou consideravelmente sua presença no Brasil, com a compra da NBS, e mudou as marcas de outras duas agências importantes: a Age virou McGarryBowen, e a AgênciaClick adotou o nome Isobar. A estrutura organizacional da rede no Brasil também mudou, com Abel Reis assumindo o cargo de CEO no País.

wraps

Edu Tibiriçá
O produtor executivo Edu Tibiriçá é sócio-gestor da Bossa Nova Films ao lado de Willy Biondini e Denise Gomes. A produtora, que está no mercado desde 2005, foi contemplada este ano com o Prêmio Caboré de Produção Publicitária, conquistado pela segunda vez. Formado em engenharia civil, o profissional iniciou sua carreira no mercado de produção há mais de 15 anos. Foi um dos fundadores da Made to Create, que se uniu a JX Plural em 2005 para dar origem à Bossa Nova Films. Em 2014, Paula Trabulsi e Julio Xavier deixaram a sociedade da produtora, mas continuam atuando na casa como diretores de cena. Além do reconhecimento no Caboré, este foi um ano especial para a empresa que inaugurou uma unidade no Rio de Janeiro e lançou dois longas metragens: Rio eu Te Amo, em coprodução com Conspiração e Empyrean Pictures, e Ausência. Além de publicidade e cinema, sob o comando de Tibiriçá, a Bossa Nova está desenvolvendo projetos na área de entretenimento e conteúdo. Atualmente, a produtora possui em seu casting 22 diretores.  

wraps

Hugo Rodrigues
Vencedor do Prêmio Caboré na categoria Profissional de Criação em 2014, com um discurso performático em que tirou a roupa de gala e homenageou os consumidores, ao ficar apenas de bermuda, regata e chinelo, Hugo Rodrigues cumpriu uma transição incomum entre criativos e se tornou CEO da Publicis Brasil e da Salles Chemistri — conquistas que fizeram deste ano o do reconhecimento a um profissional criado dentro da própria Publicis. O novo cargo reflete a forma como Rodrigues já era percebido pelo mercado, já que foi o nono publicitário mais destacado pelos anunciantes brasileiros, segundo o Agency Scope mais recente do Grupo Consultores. Além disso, Rodrigues está bastante alinhado ao CEO global da rede Publicis Worldwide, Arthur Sadoun, e ao CEO da rede no Brasil, Paulo Giovanni, que o promoveram. Seus principais desafios para 2015 serão fortalecer a imagem da Publicis Brasil e Salles Chemistri como empresas que oferecem criatividade dirigida a resultados — ele diz esperar “viver a dor de dono e lutar junto com os clientes”. 

wraps

Joanna Monteiro
Vice-presidente de criação da FCB Brasil, foi eleita pela publicação Business Insider como a mulher mais criativa do mundo em 2014. Entre os motivos listados, está o sucesso da campanha “Anúncio protetor”, para Nivea, que ganhou o primeiro Grand Prix de Mobile para o Brasil no Festival Internacional de Criatividade de Cannes, entre vários outros Leões. O sucesso rendeu um convite do Festival para que ela fosse presidente do júri de Mobile na edição 2015 (ler mais às págs. 18 e 19). No Brasil, ­Joanna foi promovida ao atual cargo que exerce ao lado do seu dupla Max Geraldo. A ascensão dentro da FCB, onde está desde 2010, faz com que Joanna divida seu tempo entre o Brasil e Alemanha, onde fica a sede global da Nivea, um dos principais clientes multinacionais da rede. Este ano, Joanna também foi homenageada pelo Meio & Mensagem como uma das sete Women to Watch.  

wraps

Marcelo Reis
A promoção, em outubro, a copresidente da Leo Burnett Tailor Made, é um reconhecimento à contribuição criativa de Marcelo Reis para a construção da boa imagem atual da agência. Totalmente reformulada a partir do início de 2011, quando chegaram os novos sócios nacionais liderados por Paulo Giovanni, entre os quais Reis, o escritório brasileiro da Leo Burnett foi o de melhor performance financeira de toda a rede no ano passado. Além do desempenho nos negócios, o que mais chama a atenção do mercado é a quantidade de prêmios colecionados pela equipe liderada por Reis nesses últimos anos. Em 2014, foi a brasileira que voltou do Festival de Cannes com a maior quantidade de troféus: 22, se considerados o Cannes Lions e o novo Lions Health.­ O case de maior destaque foi “Enterro do Bentley”, para Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), protagonizado por Chiquinho Scarpa. Reis divide a copresidência da Leo Burnett Tailor Made com Márcio Toscani. Eles substituíram Giovanni, transferido para o posto de chairman da rede Publicis Worldwide no Brasil. 

wraps

Marcio Santoro
Logo no começo de dezembro, Márcio Santoro foi premiado com o Caboré de Dirigente ou Empresário da Indústria da Comunicação. A honraria chegou para coroar esse que foi um ano excelente para a Africa, agência que conduz ao lado do também copresidente Sérgio Gordilho. Santoro, que também é membro do board­ do Grupo ABC, guiou a agência no ano em que seus clientes Brahma, Budweiser,­ Vivo, Itaú e ESPN foram destaques pela comunicação que fizeram durante a Copa do Mundo. Além disso, a Africa foi eleita a International Agency of the Year pelo Advertising Age e reconhecida pela Adweek como uma das dez agências com as melhores e mais criativas campanhas do mundo, além de ter atingido a primeira colocação na percepção de todo o mercado, segundo pesquisa do Grupo Consultores, que ouviu 351 executivos de marketing dos maiores anunciantes do País.  

wraps

Paulo Giovanni
Um dos principais empreendedores da história da publicidade brasileira e fundador do que é hoje a FCB Brasil, Paulo Giovanni está longe de querer descanso. Dedicou os últimos três anos a reconstruir a presença local da Leo Burnett, que em 2011 estava sob risco de perder a conta da Fiat, seu principal cliente. Desde então, como Leo Burnett Tailor Made, a agência teve excelente performance em novos negócios, adicionando contas como Carrefour, Nova Schin e Secom, além de manter Fiat. Foi destaque ainda no Festival de Cannes, especialmente em 2014, quando conquistou 22 troféus. Em setembro, Giovanni protagonizou uma movimentação dentro do Publicis Groupe: passou a liderança da Leo Burnett para os novos copresidentes Marcelo Reis e Marcio Toscani e assumiu como chairman da rede Publicis Worldwide, cargo antes ocupado por Roberto Lima, atual presidente da Natura. Com a missão de organizar as operações das agências ligadas à rede, ajudou a promover a criação da AG2 Nurun, que unificou as operações de AG2, Digitas, Razorfish e Dialog. A rede ainda precisa resolver algumas situações, sobretudo a que envolve uma possível fusão entre DPZ e Taterka. São novos desafios para a movimentada trajetória de Giovanni. 

wraps

Roberto Justus
Entre vários outros, dois fatos se destacam no grupo e agências do WPP comandadas no Brasil por Roberto Justus. Logo no começo do ano, a Y&R, joia da coroa, manteve na casa a verba da Casas Bahia, após cinco meses de concorrência que envolveu também Lew’Lara\TBWA, Loducca, NBS e Publicis. Isso garante a Y&R a manutenção do primeiro lugar no ranking Agências & Anunciantes, ocupado por ela desde 2003. Em 2014 também se consolidou a nova operação brasileira da Grey, marca confiada pelo WPP à Justus no ano passado, após histórico claudicante. Mesmo em um ano difícil para o mercado nacional, foram investidos R$ 5 milhões na nova sede da Grey Brasil, operação comandada por Walter Longo que atende 3M, Coca-Cola, GSK, HSBC, Gillette, Pantene e Gafisa. Além disso, anunciou o lançamento da Grey Shopper, unidade especializada em shopper marketing. No posto de CEO do Grupo Newcomm, Justus comanda ainda os escritórios locais de outras duas marcas do WPP: Wunderman e VML. Além de empresário, Justus mantém sua carreira de apresentador de TV. Em 2014, comandou na Record a primeira edição do reality O Aprendiz protagonizada por celebridades.  

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”