Justiça barra menção da Seara à Sadia

Buscar

Comunicação

Publicidade

Justiça barra menção da Seara à Sadia

Marca da BRF afirma que concorrente quer ?confundir o consumidor? ao tentar se ?valer dos famosos slogans da Sadia?, que por várias ocasiões usaram o ?S? como mote


10 de julho de 2015 - 7h54

Atualizada 13/07/2015 às 08h05

Liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferida na quarta-feira, 8, determina que a Seara, da JBS Foods, retire do ar a campanha criada pela WMcCann que estreou nesta semana e na qual a marca faz menção à concorrente Sadia, da BRF. O motivo da discórdia é que no comercial da Seara duas crianças pedem ao vendedor presunto da marca que “começa com S” e “termina com A”. “Seara, lógico”, responde o vendedor. O filme é encerrado pela garota-propaganda da Seara, a apresentadora Fátima Bernardes.

O juiz Douglas Ravacci, da 33ª Vara Civil de São Paulo, considerou que, embora a comparação feita pela Seara não seja pejorativa, ela se baseia no sucesso da marca Sadia. Ele determinou multa diária no valor de R$ 50 mil, caso a campanha não seja retirada do ar.

O pedido da marca da BRF defende que a Seara quer “confundir o consumidor” ao tentar se “valer dos famosos slogans da Sadia”, que por várias ocasiões usaram o “S” como mote. A Sadia também entrou com representação contra a campanha no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

O vídeo já foi retirado das redes. Procurada, a Seara disse que ainda não foi citada em nenhuma ação judicial. A Sadia, por meio da BRF, disse que não vai comentar o assunto.

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”