Fusão da Salve e LDC origina a Salve Tribal Worldwide

Buscar

Comunicação

Publicidade

Fusão da Salve e LDC origina a Salve Tribal Worldwide

Nova operação terá Carlos Pitchu como CEO e Alcir Gomes Leite na função de presidente

Bárbara Sacchitiello
8 de fevereiro de 2017 - 16h31

Alcir-e-Pitchu-Tribal

Alcir Gomes Leite (à esq.) e Carlos Pitchu irão liderar a operação da agência no Brasil (Crédito: Divulgação)

A agência resultante da fusão entre a LDC e a Salve, promovida pelo Grupo ABC e antecipada nessa terça-feira, 7, já tem nome e sede definidas. A nova operação se chamará Salve Tribal Worldwide e ocupará o espaço que, atualmente, abriga o time da LDC, funcionando como o escritório brasileiro da Tribal, rede de atuação internacional com presença nos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Latina.

Trazer a marca Tribal ao País era algo que o Grupo ABC e o Omnicom estudavam desde a aquisição da rede brasileira, em novembro de 2015. “Uma das vantagens da negociação com o Omnicom foi o acesso que passamos a ter a marcas internacionais muito interessantes e com forte atuação em diversos mercados. Sempre analisamos as possibilidades de trazer essas operações ao País e, agora, surgiu essa oportunidade de negócio pela necessidade de moldar uma nova estrutura digital, que una o melhor dos universos on e offline”, explica Guga Valente, CEO do ABC.

 Escolhida para batizar o primeiro nome da nova operação, a Salve, que desde 2015 passou a fazer parte do Grupo ABC, levará ao projeto a expertise da criação de soluções digitais e o pensamento integrado de comunicação. O CEO da agência, Carlos Pitchu, será CEO da Salve Tribal Worldwide. “A Salve contribui com um modelo que coloca sempre o digital à frente, em todas as estratégias e isso será combinado com o fantástico DNA de storytelling da LDC. Não queremos que uma marca prevaleça sobre a outra mas sim que os trabalhos entregues aos clientes reflitam essas duas capacidades”, analisa Pitchu.

Alcir Gomes Leite, que no final de 2016 foi deslocado da copresidência da DM9DDB para assumir a LDC, será o presidente da operação. “A principal característica da Salve Tribal Worldwide é não ter barreiras. Os consumidores não acordam um dia digitais e outro analógicos. O online e o offline acontecem o tempo todo e é isso que queremos levar para a operação”, complementa.

Da força internacional da Tribal Worldwide a operação pretende absorver as ferramentas e tecnologias com as quais a rede desenvolve trabalhos internacionais para clientes como Volkswagen, McDonald’s, ExxonMobil, Heineken e outros grandes anunciantes. “O mercado brasileiro tem um dinamismo e uma reserva de talentos criativos muito grande. Ouvimos muitas informações a respeito da crise no País, mas achamos que momentos como este trazer as melhores oportunidades”, analisa Juan Carloz Ortiz, presidente e CEO da Tribal na América Latina.

Fim da marca LDC
A fusão com a a Tribal encerra a presença da marca LDC no País, nome utilizado desde o início de 2016, para marcar a nova fase da operação após a saída do fundador e sócio, Celso Loducca. Como o executivo detinha o direito de uso da marca, os sócios de Loducca na operação Guga Ketzer, Daniel Chalfon e Ken Fujioka) rebatizaram a agência como LDC – nome que foi aprovado pelo Grupo ABC.

Após a mudança do nome e da estrutura societária, a LDC passou por uma nova transformação quando absorveu a operação brasileira da Pereira & O’Dell, no ano passado. No final de 2016, no entanto, aconteceu mais uma brusca mudança na agência. Todos os sócios deixaram a operação e o Grupo ABC escalou Alcir Gomes Leite para comandar a LDC. Ao assumir o cargo, o executivo destacou que pretendia fortalecer a marca da agência na área digital.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Guga Valente

  • Alcir Gomes Leite

  • Juan Carlos Ortiz

  • Carlos Pitchu

  • Salve

  • LDC

  • Omnicom

  • Grupo ABC

  • Salve Tribal Worldwide

  • Tribal

  • Agencias

  • digital

  • Negócios

  • Rede

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”