Roberto Justus deixa mercado publicitário em novembro

Buscar

Comunicação

Publicidade

Roberto Justus deixa mercado publicitário em novembro

Um ano e meio depois de ter vendido sua parte no grupo Newcomm, profissional decide se dedicar totalmente à carreira artística e a novos negócios

Bárbara Sacchitiello
7 de agosto de 2017 - 12h05

Executivo se dedicará totalmente à carreira de apresentador de TV (Crédito: Arthur Nobre)

Após ter adiado por duas vezes sua aposentadoria do mercado publicitário, Roberto Justus marcou uma data para, definitivamente, deixar de lado os assuntos do Grupo Newcomm, holding de comunicação fundada por ele em 1998 e da qual foi presidente até 2015. Em novembro deste ano, o empresário e também apresentador de TV encerra sua trajetória na publicidade brasileira e passa a se dedicar integralmente a carreira artística, que já vem ocupando boa parte de seu tempo diário nos últimos anos.

A confirmação do desligamento de Roberto Justus do mercado foi dada pela sua assessoria de comunicação. Dedicar-se apenas à carreira artística e a outros projetos de negócios era algo que o publicitário já vinha almejando. Algumas demandas e negociações com o Grupo WPP, no entanto, adiaram um pouco a saída do mercado.

Desde 2010, Justus já vinha negociando as ações que o mantinham na sociedade do Newcomm junto com a holding WPP. Naquele ano, 50% das ações que o executivo possuía já foram negociadas com o WPP. Em entrevista concedida ao Meio & Mensagem em janeiro de 2016, o publicitário confessou que sua ideia, a princípio, era desligar-se do mundo da propaganda ainda em 2010. “Calculei que estaria com 55 anos e, na minha visão, seria um bom momento para sair do universo da propaganda. Mas, depois, concluí que foi uma estratégia mal planejada porque, hoje em dia, 55 ou 60 anos são idades ainda muito interessantes em termos empresariais. Descobri que seria muito cedo fazer isso em 2010 e fiz um novo acordo: vendi metade das ações que possuía ao final daquele ano e planejei vender o restante em 2015”, contou Justus, no início do ano passado.

Uma nova negociação com o WPP adiou um pouco mais a meta de se desligar totalmente da publicidade. No final de 2015, quando negociou a totalidade de suas ações, Justus passou a ocupar o cargo de chairman do grupo Newcomm, a pedido do próprio WPP. A presidência do grupo passou, então, para as mãos de Marcos Quintela, que passou a responder pelos negócios cotidianos do grupo.

Essa nova função de chairman já a Justus mais liberdade e tempo para se dedicar à carreira artística, embora ele ainda acompanhasse diretamente as principais negociações e acontecimentos de todas as empresas do Grupo Newcomm (Y&R, Wunderman, Grey, VML, Ação e Red Fuse). Com a saída de Justus do negócio, o grupo Newcomm não deve colocar um outro executivo na função de chairman. Quintela, como presidente do grupo, continuará responsável por liderar todos os negócios e ações das agências da rede.

Agora, com a aposentadoria do mercado publicitário, Justus voltará suas atenções para as atividades televisivas. Recentemente, ele comandou a segunda temporada do programa Power Couple, na Record e, em breve, assumirá, mais uma vez, o comando do reality show A Fazenda. Para ajudar a incrementar sua carreira artística, Justus contratou, no ano passado, Claudio Pessutti para cuidar de sua carreira profissional. Pessutti é sobrinho de Hebe Camargo e cuidou, por mais de 30 anos, da carreira e negócios da tia.

Além dos trabalhos na Record, Justus também se dedicará a outros negócios fora da indústria da comunicação. Um deles é a sociedade na rede de clínicas populares MegaMed.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”