Votação para o Caboré 2017 termina nesta quinta, dia 30

Buscar

Comunicação

Publicidade

Votação para o Caboré 2017 termina nesta quinta, dia 30

Conheça os 39 profissionais e empresas indicados que concorrem ao troféu que será entregue na próxima segunda-feira, dia 4


29 de novembro de 2017 - 9h33

Termina nesta quinta-feira, dia 30, o período de votação para a escolha dos profissionais e empresas vencedores do Caboré 2017, que serão revelados na próxima segunda-feira, 4 de dezembro, durante festa de premiação no Citibank Hall, em São Paulo (os convites para o evento já estão esgotados). Na ocasião, todos os indicados serão homenageados. 

Os ganhadores são apontados através de votação online aberta apenas a assinantes do Meio & Mensagem (só pode votar quem já era assinante antes da divulgação da lista de indicados). Todo o processo é auditado pela Pricewater­houseCoopers.

Para a maioria dos 39 indicados de 2017, a emoção de concorrer ao troféu mais desejado do mercado é inédita: 24 nunca foram indicados anteriormente. Do total, 31 nunca ganharam a coruja. Em cinco das 13 categorias todos os três indicados concorrem pela primeira vez: profissionais de Atendimento, Mídia, Veículo, Marketing e Serviço de Marketing. Outros estreantes são o dirigente Fabio Coelho, a agência Artplan, o criativo André Kassu, as profissionais de planejamento Márcia Neri e Renata Bokel, o produtor de conteúdo Discovery Home & Health, a plataforma ­Vivo Ads e as produtoras Iconoclast e Saigon.

Já concorreram, mas ainda não têm a coruja o criativo Ricardo John, o planejador Fernando Diniz, a produtora de conteúdo GloboNews, as plataformas de mídia Instagram e JCDecaux, e os anunciantes GM e Johnson & Johnson. Além disso, Hugo Rodrigues e João Livi, que já conquistaram Caborés de Profissional de Criação, concorrem pela primeira vez como dirigentes; e a DPZ&T disputa o troféu pela primeira vez após a fusão entre DPZ e Taterka.

Confira, a seguir, quem são os 39 indicados ao Caboré 2017 e as razões que levou cada um deles a ser escolhido pelos editores de Meio & Mensagem:

Empresário ou Dirigente da Indústria da Comunicação

Fabio Coelho (Google)

No mundo, o Google figura nas listas de empresas mais admiradas, inovadoras e valiosas há alguns anos. No Brasil, não é diferente: aparece por sete anos consecutivos, de 2010 a 2016, entre as melhores para se trabalhar no ranking do Great Place to Work e foi escolhida Empresa dos Sonhos dos Jovens três vezes pela Cia de Talentos. Por trás da tarefa de manter o alto patamar está o presidente Fabio Coelho, reconhecido por sua atuação por indicadores externos, como a Forbes Brasil, que o incluiu na lista dos dez melhores CEOs do País em 2015 e 2016, e pelo próprio Google, que o elegeu vice-presidente global da Google Inc, nomeação restrita a um seleto grupo de líderes. No décimo ano de operação no Brasil, Coelho capitaneia a missão de manter o “esforço para permitir uma internet aberta e no desenvolvimento de empresas”. Além disso, nos próximos anos, a empresa irá concentrar esforços em vertentes como cidades, saúde, entretenimento e educação.

“O Google trabalha com o mercado para criar soluções inovadoras que valorizam a criatividade dos brasileiros e ajudar pequenos, médios e grandes a usar internet. A democratização das oportunidades passa pela democratização do acesso. Minha indicação ao Caboré, além de extrapolar qualquer sonho do menino lá de Vitória que adorava propaganda, representa esse mundo novo no qual a tecnologia e a criatividade caminham juntas para gerar negócios, mais empregos e recolocar o País no caminho do crescimento”, afirma Coelho, que concorre ao prêmio pela primeira vez.

Hugo Rodrigues (WMcCann):

A trajetória de Hugo Rodrigues é marcada por relacionamentos duradouros. Começou a carreira na década de 1990 como redator e construiu experiência em mais de 15 agências de pequeno porte. Em 1999, foi contratado pela Salles DMB&B, que após uma série de mudanças de fusões e aquisições transformou-se na atual Publicis Brasil. Depois de ocupar a cadeira de vice-presidente de criação da agência por dois anos, foi nomeado, em 2011, a chief creative officer e COO, tornando-se o primeiro criativo a gerenciar todos os departamentos de três agências do grupo — além da Publicis, ele ficou responsável pela Salles Chemistri e pela Publicis Dialog, nas quais já supervisionava a criação. Cerca de um mês depois de ter assumido a presidência da agência, em 2014, ele ganhou o Caboré de Profissional de Criação (área em que já havia concorrido em 2009).

Desde então, a Publicis colecionou conquistas importantes. Segundo o ranking Monitor Evolution, a Publicis saltou de nono em 2015 para terceiro no consolidado de janeiro a agosto de 2017. Rodrigues liderou duas das mais robustas concorrências em que a agência saiu vencedora, Carrefour e Bradesco, e ganhou Leões em Cannes, como o Ouro em Outdoor pela campanha “The Cliché”, para Heineken. Neste mês, a WMcCann oficializou a notícia que havia sido antecipada por Meio & Mensagem, de que Rodrigues é o novo CEO e chairman da agência. O profissional sucede Washington Olivetto, que se mantém como conselheiro da McCann.

 

João Livi (Talent Marcel)

Essa é a terceira vez que João Livi é indicado ao Caboré. Após ser indicado em 2005, ele ganhou a coruja de Profissional de Criação em 2012, mesmo ano em que recebeu o único Grand Prix do Brasil em Radio na história do Cannes Lions. “Uma indicação ao Prêmio Caboré é sempre uma emoção, uma alegria e uma ansiedade enormes”, confessa. Depois de ocupar as funções de CCO e COO, o profissional é CEO da Talent Marcel desde outubro de 2015, ano em que a empresa conquistou o Caboré de Agência de Comunicação. Livi acumula mais de 17 anos na casa, além de também integrar o board criativo global da Publicis Worldwide.

O profissional é responsável pela atual configuração de trabalho da agência, chamada de Noline, e que na prática significa a quebra de departamentos para promover a integração entre as diversas expertises. Essa mudança e a entrada de Livi coincidiram com a entrada da Talent para a rede francesa Marcel. Até o presente, a junção tem rendido bons resultados e campanhas memoráveis para clientes como Ipiranga, Net e Tigre. No ano passado, a agência foi a melhor em novos negócios no mercado brasileiro, segundo levantamento de Meio & Mensagem, impulsionada por conquistas como a de Claro. Em entrevista concedida em fevereiro, Livi disse que o caminho para o sucesso reside no planejamento administrativo robusto e na criação de relações que vão além da comunicação. “Não podemos mais ficar somente discutindo advertising. Temos de entrar e atuar no negócio dos clientes”, declarou.

Agência da Comunicação

AlmapBBDO

Luiz Sanches e Cintia Gonçalves

Este é o segundo ano consecutivo que a agência liderada pelos sócios Luiz Sanches e Cintia Gonçalves recebe a gaiola que simboliza a indicação ao Caboré de Agência de Comunicação. Com isso, a AlmapBBDO prova ser capaz de manter um patamar consistente de trabalhos para clientes como Antarctica, Havaianas e Volkswagen, o que rendeu troféus nas principais premiações da indústria ao longo do ano: foi a segunda colocada na disputa do Agency of the Year em Cannes, onde somou 22 Leões, o maior saldo de sua história no festival; foi a Agência do Ano pelo décimo ano consecutivo no Wave Festival; e abocanhou 12 troféus no Effie Brasil, posicionando-se como a mais reconhecida dessa premiação, na qual conquistou o Grand Effie nos dois anos anteriores, com cases para O Boticário.

Para Sanches, a produtividade da Almap reside na crença de que é preciso reconquistar o cliente todos os dias. “Temos o objetivo de realizar um trabalho consistente, inovador e criativo para oferecer aos nossos clientes a melhor comunicação possível. É um trabalho diário e incansável, com uma equipe maravilhosa. Como resultado, neste ano, crescemos nossa atuação em quase todos os clientes. Ganhar contas é bom, mas manter e crescer dentro delas é melhor ainda”, diz. Os sócios destacam também que este foi um ano importante para a valorização da equipe. É o caso de Filipe Bartholomeu, promovido a vice-presidente executivo de operações e negócios em maio. “Retivemos talentos e tivemos a satisfação de fazer com que eles se desenvolvessem aqui, o que na verdade é a minha história e a do Luiz também, então ficamos muito felizes”, afirma Cintia. Para a dupla, o ano de 2017 é a prova de que onde há desafios, há oportunidades.

Rodolfo Medina

Artplan

A inédita gaiola de Agência de Comunicação chega à Artplan em um momento emblemático: neste ano, a empresa comemora seu quinquagésimo aniversário. Sob o comando de Rodolfo Medina, a empresa realizou movimentos significativos para manter-se relevante para os clientes: em junho, abriu a Key, uma célula de negócios que opera internamente comandada por Luiz Telles, diretor nacional de conteúdo e engajamento. No mês seguinte, lançou, em sociedade com o publicitário Allan Barros, a Pullse, operação voltada a soluções de inteligência criativa para o varejo, tendo como cliente principal a Ricardo Eletro. “A gente vive em um momento de mercado em transformação. Uma agência que faz 50 anos tem propriedade para propor mudanças, novos modelos, novas formas. Muito mais do que pensar comunicação integrada, atuamos como parceiro integrador. Nosso trabalho no Rock in Rio mostra isso, como conseguimos conectar muitos parceiros, cada um com sua especialidade, mas essa coordenação precisa estar na agência”, declara Rodolfo, que desde 2006 preside a agência fundada por seu pai, Roberto Medina.

Segundo o executivo, o sucesso da transição familiar deve-se ao cuidado com a gestão de pessoas. “Trouxemos esse olhar voltado para recursos humanos e é preciso falar sobre gestão. O mercado fala pouco sobre isso. O Roberto continua sendo nosso líder inspirador, é o presidente do conselho do grupo”. Uma das vantagens de ser uma das poucas grandes agências controladas pelo capital nacional é poder tomar decisões e testar modelos de maneira mais livre e rápida, comenta. “Em um momento de questionamentos, a gente tem uma velocidade maior do que o resto do mercado e isso é muito positivo”, diz Rodolfo.

DPZ&T

Das muitas gaiolas que colecionou ao longo dos anos, esta última é a mais especial para a DPZ&T, porque é a primeira recebida após a fusão da DPZ com a Taterka, realizada pelo Publicis Groupe no início de 2015, e liderada pelo CEO Eduardo Simon. “Hoje temos uma agência completamente renovada e com liderança jovem. Além disso, todos os clientes das duas agências continuam com a gente fazendo os melhores trabalhos, temos muito orgulho disso. E a gaiola é resultado disso, de o mercado estar olhando que estamos honrando a história de duas agências importantes. A DPZ&T, de certa forma, é uma nova agência que honra tudo o que as duas têm de melhor”, afirma o CCO Rafael Urenha. O criativo define a atual carteira de contas da agência como um “dream team”, que inclui Itaú, McDonald’s, Natura e Vivo. A equipe tem feito trabalhos significativos para Natura, que neste ano reassumiu a liderança do segmento de perfumaria, e Itaú, para o qual acaba de criar uma campanha de grandes proporções para o projeto Leia para uma criança.

Além disso, a DPZ&T conquistou a conta de Petrobras e, por este motivo, reabriu o escritório do Rio de Janeiro para concentrar os esforços de comunicação para a estatal. “É uma conta emblemática, é a maior empresa do País e precisa retomar o papel que sempre teve na sociedade e também queremos retomar a importância que a DPZ&T teve no Rio de Janeiro”, diz Urenha. Neste ano, a agência ainda mudou seu time diretivo, com Elvio Tieppo assumindo a vice-presidência de operações, Daniel Jotta passando a responder como vice-presidente de atendimento e novos negócios, e a contratação do diretor financeiro Fernando Bottura (ex-R/GA).

Profissional de Criação

André Kassu (CP+B)

Embora tenha mais de duas décadas na publicidade, André Kassu sentiu que passou os últimos anos tendo de provar ao mercado a qualidade de seu trabalho. Por isso, foi com surpresa que ele recebeu a primeira gaiola do Caboré de sua carreira. “A CP+B é uma agência nova. Muitos criativos, quando abrem uma agência, tendem a esquecer o que os levou até ali. Acho que havia uma expectativa sobre que caminhos escolheríamos”, confessa o sócio e CCO da operação que ajudou a trazer ao País em 2014, quando achou que era o momento de deixar para trás uma premiada carreira como diretor de criação na AlmapBBDO para empreender.

Ao lado de Vinicius Reis (CEO) e Marcus Medeiros (CCO), Kassu comanda não só a filial brasileira como o escritório de Miami. Para o carioca, que escolheu a carreira de redator porque o daltonismo o barrava na direção de arte, a indicação confirma não apenas que a abertura da agência foi uma decisão correta, como simboliza a estabilidade profissional e satisfação pessoal. “A gaiola chegou em um momento em que estou muito feliz com o trabalho.” Além da Almap, Kassu passou pela F/Nazca S&S e Artplan.

 

Ricardo John (JWT)

Enquanto a J.Walter Thompson celebrava a chegada da gaiola que sinalizava a indicação de Ricardo John, o criativo estava dedicado a algo que consome boa parte de seu cotidiano como CCO: apresentar uma campanha a um cliente. “Meu par no board da agência, o André PB, me chamou no Facetime. Quando atendi, o vi segurando uma gaiola e vários rostos felizes pulando em volta dele”, lembra John, que pela segunda vez disputa o troféu de Profissional de Criação (a primeira foi em 2015).

Há cinco anos como primeiro nome da criação da agência, John expandiu sua atuação geográfica desde 2016, quando passou a responder pelo trabalho criativo em toda a América do Sul. Para ele, que já chegou a ser presidente de júri no festival de Cannes, além de ter participado dos mais importantes eventos de publicidade do mundo, não basta apenas cuidar dos trabalhos entregues aos clientes. Há alguns meses, John idealizou e passou a ser mentor do projeto 20/20, uma iniciativa da operação brasileira que visa ampliar o número de funcionários negros. Antes de ingressar em sua atual agência, em 2011, John passou por Giovanni+DraftFCB, Africa, Age, Talent e Ogilvy.

 

Sergio Gordilho (Africa)

Somando, com a de 2017, três indicações — sendo que uma delas, em 2008, lhe rendeu a coruja —, Sérgio Gordilho é experiente em matéria de Caboré. A gaiola deste ano, no entanto, tem um sabor especial por ser a primeira que recebe depois de ter assumido a copresidência da Africa, em 2010 (cargo que divide com Marcio Santoro). “Ser indicado já é motivo de honra e orgulho. Tenho outras responsabilidades e cargo dentro da Africa, mas sou essencialmente um criativo”, define o profissional, que faz parte do time da agência do Grupo ABC desde o primeiro dia de sua fundação, há 15 anos. Segundo Gordilho, mais do que homenagem por toda sua carreira, a gaiola simboliza o reconhecimento pelo trabalho realizado recentemente. “Ser indicado ressalta que dá frutos criar líderes criativos e mostra que o mercado reconheceu valor nas 140 campanhas que botamos no ar este ano”.

Em 2017, além de gerir os cases criados pela agência, Gordilho supervisionou a implementação do Pulse, área que visa tornar o digital o combustível do processo criativo da Africa. Também participou de Cannes como jurado na categoria Cyber e subiu ao palco para receber os sete Leões que a agência conquistou em 2017.

 

Profissional de Atendimento

Denise Milan (Leo Burnett Tailor Made)

Em sua terceira passagem pela Leo Burnett Tailor Made (LBTM), a vice-presidente de atendimento Denise Milan está liderando o negócio e a comunicação institucional e de varejo da marca Fiat. Nesse segmento automotivo, ela já atuou na direção de empreitadas como a chegada da Jeep ao Brasil e em lançamentos dos modelos Renegade, Compass, Mobi, Toro e Argo. A profissional, que concorre ao Caboré pela primeira vez, tem passagens por agências como Africa, AlmapBBDO, Y&R, Dentsu e Lintas. Denise afirma que essa diversidade de segmentos foi essencial para sua carreira. “Foi muito rico na minha trajetória”, diz.

Em sua primeira passagem na Leo, a executiva atuou na empresa entre 1999 e 2007, um ano depois, em 2008, voltou para um segundo período até 2010, retornando em 2015. A profissional acumula experiência internacional na DMB&B (hoje Publicis Group), em Londres, liderando estratégias para marcas e clientes internacionais na Europa. Além da publicidade, teve outros projetos como a Life Organized, empresa de lifestyle management, na qual ainda mantém um blog.

Filipe Bartholomeu (AlmapBBDO)

Após 18 anos na indústria da propaganda, sendo 14 deles na AlmapBBDO, Filipe Bartholomeu assumiu em maio a responsabilidade de liderar as operações e negócios da agência como vicepresidente executivo. A mudança aconteceu após a saída de Rodrigo Andrade, que deixou a agência para comandar as finanças e a gestão da BBDO na América Latina. Desde então, Felipe forma o trio que dirigi a Almap ao lado dos sócios Cintia Gonçalves, diretora de estratégia e operações, e Luiz Sanches, diretor-geral de criação. Ao longo se sua carreira, Filipe trabalhou com marcas de diferentes indústrias como Volkswagen, PepsiCo, Walmart, CocaCola, Ford, Havaianas, Visa, Bayer, Audi, Bradesco Seguros, Mars e AbInBev.

Em 1999, ele fez parte do programa de trainee da AlmappBBDO. Depois disso, passou por J. Walter Thompson e LDC. Já em 2003, voltou à Almap como supervisor de conta. Com mestrado em estratégia de comunicação pela ESPM e especialização em gestão empresarial pela Fundação Dom Cabral, Filipe recebe sua primeira indicação ao Caboré.

Karina Ribeiro (Ogilvy)

Atual diretora executiva do Grupo Ogilvy Brasil, Karina Ribeiro atua nas empresas da holding há 15 anos, com um intervalo de dois anos vividos em Portugal. Na função na holding desde junho do ano passado, ela se dedica a captação e identificação de novos negócios e atua diretamente com o chairman Sergio Amado, o presidente Fernando Musa e o CEO Luiz Leite na operação que envolve cinco agências: Ogilvy, David, Foster, Jüssi e 3yz. A Ogilvy foi a primeira experiência de Karina na publicidade.

Lá entrou como estagiária de atendimento, quando ainda cursava duas faculdades: a de comunicação social, na ESPM, e a de gastronomia, na Anhembi Morumbi. Iniciou sua carreira na equipe de atendimento da marca Dove, que continua na agencia até hoje. Após a temporada fora do País, Karina voltou ao grupo em 2011 para trabalhar na recém-lançada David, onde atendeu clientes como Burguer King, Faber-Castell e Sony, e chegou ao posto de diretora executiva da agência. Agora, recebe sua primeira indicação ao Caboré.

Profissional de Planejamento

Fernando Diniz (DPZ&T)

Com passagens, primeiro como jornalista, pela Folha de S.Paulo, Jovem Pan e Bandeirantes, e no mundo da publicidade, por Loducca, TBWA, Y&R e Fbiz, Fernando Diniz é, desde julho de 2015, chief strategy officer da DPZ&T. “Sou uma soma de coisas que fiz na vida como teatro, artes plásticas e fotografia. Tudo isso somado gera resultado. O mercado tem exigido esse olhar mais diverso”, diz o executivo que recebe sua segunda indicação ao Caboré (a primeira foi em 2001, quando estava na Fbiz).

Segundo ele, a indicação de 2017 é também fruto de sua capacidade de aproximar pessoas a um mesmo propósito ou trabalho. “O meu maior papel é integrar os pensamentos da agência. Não se trata de ser um bom moço, mas de trabalhar de um jeito mais inteligente e motivador para todos, inclusive para mim”, reflete. Logo após a fusão entre a DPZ e a Taterka, Diniz assumiu a missão estratégica de conectar áreas. Para ele, reinventar-se constantemente é o maior desafio de sua trajetória profissional. “Um incômodo enorme aparece de tempos em tempos e eu sou obrigado a me mexer, explorar coisas novas fora do mercado”. Essas mudanças, de acordo com ele, ajudam a reafirmar seus valores.

Márcia Neri (FCB Brasil)

Com mais de 21 anos de carreira, Márcia Neri vê-se como uma das pioneiras na implantação do e-commerce no Brasil. Durante seis anos, a executiva foi responsável pela área de marketing do Submarino. Sua estreia em agência foi na Africa, onde esteve por dez anos, com uma breve interrupção de oito meses, quando atuou como chief marketing officer e partner do site de vendas Coquelux. Para a atual vice-presidente de planejamento da FCB Brasil, que recebe sua primeira indicação ao Caboré, entender o problema, fazer as perguntas certas, observar e ouvir as pessoas são os principais aprendizados que pode passar diariamente a sua equipe. “Como líder de um time que carrega características diferentes e complementares, minha contribuição passa por provocá-los a tirar o melhor de cada um”, diz. “Minha crença, para um trabalho diferenciado, sempre foi calcada no cuidado de orquestrar as estratégias com muita profundidade e relevância”, acrescenta. Neste um ano e meio na agência, ela vem se dedicando a fazer um trabalho integrado com a criação, unindo o pensamento analítico e crítico à criatividade.

Renata Bokel (BETC/Havas)

Depois de sete anos como advogada, em 2003 Renata Bokel decidiu mudar sua vida profissional. Apesar de, atualmente como vice-presidente de estratégia da BETC/Havas, encarar o desafio de construir a marca da agência no Brasil, ela considera dois momentos como memoráveis em sua carreira: “primeiro, quando deixei de ser advogada ambiental para trabalhar com comunicação; segundo, quando assumi a liderança de planejamento da Isobar — eu tinha de planejar, pensar em novos modelos de negócio e gerir pessoas”.

Além de sua atuação como vice-presidente de estratégia da Isobar Brasil, liderando equipes nos escritórios de São Paulo e Brasília, Renata já trabalhou como diretora de planejamento estratégico da Africa e diretora de estratégia da Fischer. “Sempre me orgulhei das equipes que formei ao longo da minha trajetória. Elas sempre foram diversas e multidisciplinares, o que reflete o meu DNA”, diz. Entre os motivos para sua primeira indicação ao Caboré, ela reforça que por onde passou deixou sua “marca em trabalhos inéditos para grandes clientes”.

Profissional de Mídia

Jairo Soares (Fischer)

Jairo Soares começou cedo no mundo da propaganda. Em 1992, virou office boy da DM9 e, no ano seguinte, aos 16 anos, já fazia parte da equipe de mídia da agência. De lá para cá passou por Africa, Leo Burnett, Y&R, Grey — como vice-presidente — e PeraltaStrawberryfrog, onde passou pouco mais de seis anos como COO e head de mídia. Também acumulou experiência internacional, na TribalDDB de San Francisco. Atualmente, é COO e head de mídia e inovação da Fischer. Na agência, afirma que consegue “ser um fiscal do DNA dos clientes”, ao mesmo tempo que atua como profissional de mídia.

A trajetória do indicado inclinou para esse agrupamento de tarefas porque, segundo ele, começou “a procurar um entendimento operacional de toda a agência e, também, se preocupar com entrega de inovação ao cliente”. Entre as contas que atende estão Vigor, Cartão Elo e Banco do Brasil Seguros. Além do trabalho na agência, o profissional também investe e presta consultoria para startups no Brasil e nos Estados Unidos.

Miriam Shirley (Publicis)

Com mais de 20 anos de experiência nacional e internacional, Miriam Shirley acaba de assumir neste mês o posto de copresidente da Publicis Brasil, cargo que divide com Eduardo Lorenzi. Nos últimos dois anos, Miriam foi vice-presidente de mídia da agência. Na função, comandou uma equipe híbrida de cem pessoas. Neste ano, a executiva foi eleita Mídia do Ano no Prêmio Desafio Estadão e representou o Brasil no júri de Media do Festival de Cannes. Entre os cases que liderou na Publicis, estão o da Black Friday de Chevrolet, premiado pelo Google por ter a maior variação em volume de buscas na categoria automotivos, e a estratégia digital alinhada ao conceito Pra Frente, de Bradesco.

Além dessas marcas, Miriam atua com anunciantes como P&G, Nestlé e Sanofi, entre outros. Em sua trajetória profissional, foi por oito anos diretora geral de mídia da Ogilvy Brasil. Antes, foi por seis anos diretora-geral e vice-presidente sênior da Starcom Worldwide na Cidade do México e passou pelos escritórios da Leo Burnett em Chicago e em São Paulo. Em outros momentos, já gerenciou as verbas de mídia de anunciantes como Coca-Cola, Magazine Luiza e GSK.

Vicente Varella (DM9DDB)

Vicente Varela está à frente da equipe de mídia da DM9 há quase um ano. Graduado em publicidade e propaganda e tecnólogo em pesquisa de mercado pela Universidade Anhembi Morumbi, Vicente tem mais de 15 anos de experiência na área de planejamento estratégico de mídia e negócios digitais. Ele iniciou a carreira no Ibope Media, onde teve uma proximidade maior com as áreas de dados e de pesquisa de mídia. Aprofundou-se em varejo com o trabalho de gestão de inteligência de mídia nas Casas Bahia, onde afirma ter atrelado “uma boa negociação com um bom entendimento de negócio”.

Em seguida, passou pela agência Fala, também dedicada a clientes de varejo. Vicente ainda registra passagens por agências como Y&R e Fisher, além de ter atuado no Grupo Havas, na integração de dados entre a Z+ e Media Contacts. Antes retornar à DM9 como vice-presidente de inteligência digital e mídia, em novembro de 2016, passou alguns meses na Disney Brasil, onde relançou o posicionamento comercial e operativo dos produtos digitais.

Veículo de Comunicação – Produtor de Conteúdo

Monica Pimentel

Discovery Home & Health

Com programação voltada para estilo de vida, o Discovery Home and Health tem conquistado cada vez mais sua audiência principal, as mulheres de 18 a 49 anos. O canal comemora sua primeira indicação ao Caboré após o melhor semestre de sua história nos seis primeiros meses de 2017, com crescimento de 60% em comparação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a empresa. O investimento em conteúdo original e programas consagrados internacionalmente, bem como a consolidação de parcerias com emissoras de TV aberta, para programas como MasterChef, fizeram parte desse crescimento.

Este ano, o canal fechou uma parceria com a provedora Vix, para criação de breaks e conteúdo online, aumentando também a oferta de conteúdo on demand junto às operadoras. “O desafio é aumentar cada vez mais nossa presença em todos estes pontos de contato com o público, sem descuidar por um minuto daquilo que já é um grande sucesso, que é a nossa programação”, diz Monica Pimentel, vice-presidente de conteúdo da Discovery Networks Brasil. O objetivo para o próximo ano é levar o conteúdo para além de programas de casa e comida.

Estadão

Flavio Pestana

Um dos veículos mais tradicionais do Brasil, o Estadão acumula mais de 140 anos de história e dois Caborés, conquistados em 2005 e 2010. Este ano, disputa o prêmio novamente após implementar iniciativas para levar a credibilidade da marca para além do jornalismo impresso. No início deste ano, criou o núcleo de content marketing Media Lab Estadão, com o intuito de desenvolver projetos para marcas nas áreas de eventos, mídia impressa, rádio e digital.

A estratégia comandada por Flavio Pestana, diretor comercial executivo do grupo, envolve o aprimoramento da área de business intelligence e a ampliação da distribuição de publicidade nativa. O fortalecimento da área de branded content foi outro foco da empresa. Entre os projetos recentes, destacaram-se a plataforma “De Real para Realidade”, que compara o valor da corrupção no Brasil aos custos de serviços públicos; e o programa de assinaturas de alta gastronomia Clube Paladar, em parceria com a Grand Cru. Além disso, o veículo é representante no Brasil há 16 anos do Festival Internacional de Criatividade de Cannes.

 

Globo News

Eugenia Moreyra

A GloboNews já concorreu ao Caboré em 2011, na categoria Veículo de Mídia Eletrônica, portanto, esta é sua primeira indicação com Produtor de Conteúdo. O canal, que cresceu 113% em audiência entre 2014 e 2017, tem investido na consolidação de parcerias, na ampliação da rede de colaboradores e na intensificação da cobertura multiplataforma em tempo real. Também quer continuar renovando seus programas e ampliar a faixa matinal de jornalismo ao vivo. “Trocamos o conceito de jornais fechados e compartimentados pelo de cobertura continuada, permanente, com apuração e atualização ao vivo”, diz Eugenia Moreyra, diretora do canal.

Atenta aos padrões de consumo atuais, a GloboNews reforçou a interação com o espectador pelo aplicativo colaborativo Na Rua e por meio de seu serviço on demand. Promove ainda eventos como GloboNews Prisma e Festival Piauí GloboNews de Jornalismo, e aposta em filmes, tendo coproduzido quase cem documentários nos últimos três anos. “Se os hábitos de consumo de notícias mudam, mudamos com eles para estar sempre em cima dos fatos e contribuir com análises”, completa a diretora.

 

Veículo de Comunicação – Plataforma de Mídia

Diego Dzodan

Instagram

O Instagram soma dois milhões de anunciantes ativos e ganha, em média, um milhão de novas contas de usuários por mês. É com esses e outros números que Diego Dzodan, vice-presidente do Facebook e do Instagram para a América Latina, justifica a segunda indicação consecutiva da plataforma ao Caboré. Segundo o executivo, o objetivo da rede é aproximar seus usuários a interesses e paixões, o que está intimamente ligado às marcas e exemplifica sua explicação mais uma vez com dados: “Cerca de 80% dos Instagrammers seguem um negócio, ou seja, as marcas podem dialogar com seus potenciais clientes em um espaço onde já estão receptivos à descoberta”.

No último ano, o grande destaque da plataforma aconteceu em agosto de 2016 quando lançou o Stories, formato que declarou concorrência direta ao Snapchat. O formato trouxe um novo desafio a anunciantes, mas, de acordo com Diego, reforçou a crença no consumo de vídeo. “O tempo que as pessoas passam assistindo a vídeos no Instagram cresceu 80% de um ano para o outro e o número de vídeos produzidos por dia aumentou quatro vezes”, afirma.

JCDecaux

Ana Celia Biondi

Prestes a completar 20 anos no País, a segunda indicação da JCDecaux ao Caboré (a primeira foi em 2015) chega num ano em que a empresa conquistou exclusividade nos anúncios out-of-home das linhas 1, 2, 3 e 5 do metrô de São Paulo e no aeroporto de Aeroporto Internacional de Guarulhos. Segundo ela, alcançando cerca de quatro milhões de passageiros diariamente no transporte público e 36 milhões por ano no aeroporto. Esses movimentos da empresa foram, para Ana Celia Biondi, diretora-geral da JCDecaux Brasil, uma comprovação da força do OOH.

“A JCDecaux tem o privilégio de fazer parte do cotidiano das pessoas que vivem nas grandes cidades, uma tendência crescente em todo o mundo. Ela tem a oportunidade de impactar o consumidor que se movimenta, que corre e faz a economia girar”, declara. Além das conquistas, a empresa divulgou estudo sobre comportamento dos brasileiros, mostrando que o local e o acesso a experiências influenciam em como cada geração pensa, age, consome e vive. A JCDecaux está em 75 países, com faces em 220 aeroportos e tem 260 contratos em transporte público.

Vivo Ads

Lucas Amadeu

Com dois anos no mercado e em sua primeira indicação ao Caboré a Vivo Ads é o braço de publicidade em mobile da Vivo. “Nascemos da empresa que mais entende de celular no Brasil e agregamos vantagens únicas ao ecossistema da publicidade, como um big data extremamente rico e a capacidade de recompensar o usuário com o que ele mais precisa: internet para navegar à vontade no mobile”, aponta Lucas Amadeu, head da Vivo Ads.

A plataforma de mídia diz atingir 74,3 milhões de usuários e entregar conteúdo para grandes massas, apesar de ter a segmentação como uma de suas qualidades. Essas, segundo o executivo, são os diferenciais da Vivo Ads diante de um ecossistema em que os formatos de entrega da publicidade em mobile estagnaram nos últimos 15 anos. A empresa tem criado novas formas de atingir os usuários por demandas de clientes como Unilever, LG, Universal Pictures, Multiplus e Heineken. Os formatos incluem anúncios em vídeo com cobrança por retenção de mensagem, campanhas de leads com qualificação garantida e retargeting geolocalizado para venda em lojas físicas.

 

Profissional de Veículo

Alexandre Guerrero (Eletromídia)

Mais do que regulamentar a paisagem do município de São Paulo, a Lei Cidade Limpa deu a Alexandre Guerrero, sócio e vice-presidente comercial da Eletromidia há 12 anos, a oportunidade de viver o maior desafio de sua carreira. “Tivemos que reinventar a empresa, para não dizer começar do zero, pois 90% do faturamento da Eletomidia estava em São Paulo e na rua”, conta. O profissional acredita que sua indicação ao Caboré é consequência dos resultados da empresa que atua e do meio out-of-home (OOH).

Foi após ter experiências como trainee na Mitsubishi e gerente e diretor comercial da Techmídia que Guerrero embarcou na missão de ser um dos responsáveis pela consolidação do setor de OOH. “O meio tem muito que caminhar e aprender”, aponta. Para o executivo, o market share do meio triplicará nos próximos três anos. “Estamos escrevendo um capítulo importante da história do OOH, deixaremos um legado para os próximos 20 anos, desde sistemas de check in com o IVC até métricas de audiência”. Hoje, Guerrero enfrenta a missão de entregar projetos que façam sentido para as marcas e que conversem com o consumidor nos diversos momentos de seu dia.

André Vinícius (UOL)

Diretor executivo do UOL Ad Lab há dois anos, André Vinícius trabalha diariamente para que a equipe do portal seja reconhecida como uma grande parceira de negócios das agências e anunciantes. “Tudo isso com muita disposição e flexibilidade para viabilizar ideias e desafios, sejam eles quais forem”, diz o executivo. Com 15 anos de experiência no mercado digital, ele considera-se um grande defensor dos produtores de conteúdo, do brand safety, da transparência do ecossistema e da veiculação em audiência livre de fraudes e fake news.

André Vinícius começou sua carreira na Editora Abril como trainee e depois de dez anos na empresa, onde fez carreira em diversas unidades de negócios, assumiu como diretor comercial do UOL em 2010. O profissional vangloria-se de cases como o Festival CarnaUOL, o hub de conteúdo e eventos Urban Taste e a liga de e-Sports XLG. “São plataforma que unem conteúdo de qualidade, tecnologia, usos de dados e live marketing e são capazes de impactar grande audiência no mundo físico e digital”, fala.

 

Paulo Marinho (Gloob/Viu)

Há bastante tempo dentro das empresas do Grupo Globo, Paulo Marinho preocupa-se atualmente com a manutenção do crescimento do primeiro canal infantil da Globosat, o Gloob, e com a solidificação das parcerias da unidade digital Viu Hub, incubada na Globosat, com anunciantes, agências e influenciadores. “Acho que no mercado atual, onde tudo muda tão velozmente, precisamos sempre olhar para o futuro pensando em novos negócios e novos modelos de atuação para fazer diferença nesse ambiente em transformação”, diz. O executivo já atuou na área de marketing do jornal O Globo, foi trainee em planejamento e controle na Rede Globo e trabalhou na coordenação artística e de conteúdo da Rádio Globo FM.

Porém, Paulo Marinho ressalta sua atual colaboração como diretor do Gloob e do Viu Hub como os dois principais projetos de sua trajetória profissional. “O Gloob nasceu dentro de um mercado altamente competitivo e sacudiu a produção audiovisual brasileira. E, o lançamento da Viu Hub consolida uma nova fase de atuação da Globosat, onde nossos canais viram produtores de conteúdo seja qual for a plataforma”, salienta.

 

Anunciante

Chevrolet

A Chevrolet é a principal marca da General Motors, que produz automóveis em 30 países e é líder nos maiores e nos mercados que mais crescem no mundo. Em 2017, as operações na Argentina e no Brasil foram integradas na GM Mercosul. A empresa tem quatro complexos industriais que produzem veículos, motores e componentes sendo três em território brasileiro, localizados em São Caetano do Sul (SP), São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS).

Com mais de 247,5 mil automóveis e veículos comerciais leves emplacados no acumulado de janeiro a agosto, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a Chevrolet completou dois anos na liderança da indústria automotiva brasileira. A marca ainda saiu na frente no ranking de modelos mais vendidos, com o Onix, que teve um total de 116,9 mil unidades comercializadas neste período. Entre os lançamentos recentes, destacam-se as 12 novidades da linha da Chevrolet que chegaram ao mercado em 2016. Já em 2017, a marca lançou o Tracker e, mais recentemente, o Equinox. No marketing, entre as campanhas de destaque, estão “Pessoas Reais, Opiniões Verdadeiras”, criada pela Publicis Salles Chemistri e iniciada em 2014. Além disso, “Music Drives You”, para Onix, “Seu Lado Picape”, para a S10, “Mudança”, para Cruze, e “Celebração”, para Camaro Fifth, foram algumas das ações publicitárias levadas ao ar ao longo do último ano. Essa é a segunda indicação da Chevrolet ao Caboré, que já concorreu em 2005.

Johnson & Johnson

Com 19 novos produtos lançados até agora em 2017, a Johnson & Johnson já planeja um incremento ao seu portfólio com outros 20 no ano que vem. Metade deles, na unidade de negócio Beauty, criada em maio e que já conta com mais de 180 profissionais dedicados. Apostando no futebol como um elo de ligação da família brasileira, comprou uma das cotas de transmissão da Copa da Rússia pela Rede Globo, além de ter renovado sua cota para o pacote Futebol 2018 na emissora. Isso porque a família segue sendo uma das apostas da companhia no marketing. Foi nesta linha que ela veiculou de julho a outubro deste ano sua maior campanha institucional, a “Domingo em Família”, que trouxe como protagonistas os casais Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank; Marcio Garcia e Andrea Santa Rosa, e ainda a cantora Anitta.

Apostando na valorização da diversidade, lançou em homenagem ao Dia das Mães um filme que, pela primeira vez, trouxe como protagonista um bebê com síndrome de Down, reforçando o conceito da ação com a assinatura “Para nós e para todas as mães, todo bebê é um bebê Johnson’s. Ambas campanhas criadas pela DM9DDB. O digital tem sido uma aposta da companhia globalmente, e já representa 37% do investimento total em mídia. No Brasil, este índice deve chegar a 30% em breve, já que em 2018 a empresa promete dobrar seus investimentos em digital. Ainda em 2017, deu um passo inovador no setor ao criar um war room para monitorar suas campanhas e associar essa performance aos resultados no ponto de venda. Essa é a segunda indicação da J&J ao Caboré, que já concorreu em 1984.

P&G

A crise não amedrontou a P&G: a empresa aumentou seu investimento no mercado nacional com foco em infraestrutura e projetos de longo prazo nos últimos 20 a 24 meses. Globalmente e no Brasil, levantou discussões importantes em torno da transparência e métricas no digital, lideradas por seu chief brand officer Marc Pritchard. No mercado brasileiro, consolidou a comunicação de todas as suas marcas nas agências Grey, Publicis e Wieden + Kennedy, além de ter criado um novo modelo de hub digital com a Iprospect, da Dentsu Aegis Network, projeto que foi exemplo para a sede da empresa em Cincinatti, nos Estados Unidos. A iniciativa no digital refletiu nos resultados da P&G no Facebook: em 2016, 70% da audiência da rede social viu ao menos uma vez uma das marcas da P&G.

Entre os destaques na comunicação, o reality show “Cabelo Pantene”, veiculado na TV fechada com a MTV e ainda no YouTube, e que recebeu a inscrição de mais de 45 mil mulheres; a campanha “Obrigado Mãe”, durante a Olimpíada e que ganhou o Effie Latam para o projeto desenvolvido com a Globo.com, e ainda um Facebook Live de 48 horas para Old Spice. Sem poder divulgar números de 2017, a empresa revela apenas que em 2016 cresceu duplo dígito e que 90% das suas áreas de negócios aumentaram a fatia de mercado. Criada há 180 anos, a empresa chegou ao Brasil há 30 anos e por conta disso se considera uma startup, apostando recentemente em ações disrruptivas com as citadas acima. Depois de ser indicada em 1999, a P&G venceu o Caboré de Anunciante em 2010.

Profissional de Marketing

Andrea Alvares (Natura)

Vice-presidente de marketing, inovação e sustentabilidade da Natura, Andrea Alvares acredita que o marketing é um elemento essencial para transmitir os valores e conceitos que norteiam a atividade da empresa. Com isso em mente, liderou iniciativas de destaque da empresa, como o lançamento da campanha “Viva Sua Beleza Viva”, materializado por meio do conceito “Vista sua pele #ocupeseucorpo”, o relançamento da linha Faces e o movimento #VelhaPara, criado para a linha Chronos.

Também sob seu comando, a empresa relançou a linha Natura Homem, com a qual busca romper com estereótipos do machismo. Atuante na indústria de comunicação, Andrea também é membro do conselho da Câmara Americana, dos Institutos Ethos e Akatu e, ainda, da Rede Brasileira de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e Mulheres do Brasil. Com passagens anteriores por PepsiCo (onde estava quando foi apontada como Women to Watch, em 2013) e Procter & Gamble, ela já foi listada entre as mulheres mais influentes do marketing brasileiro pela Forbes e, neste ano, representou o Brasil no júri de Glass do Cannes Lions.

Jerônimo Santos (Ipiranga)

Jeronimo Santos está há 33 na Ipiranga e ocupa o cargo de diretor de varejo e marketing desde 2010. À frente da estratégia de varejo da empresa, ele lidera todo o processo de inovação, tecnologia e diversificação da oferta de produtos e serviços da Ipiranga em todo o Brasil. Ainda é responsável pelas áreas de marketing e comercial da companhia, respondendo pela comunicação e relacionamento da empresa; além das operações e desenvolvimento de negócios de varejo e atividades relacionadas ao segmento de conveniência, produtos financeiros e ao programa de fidelidade KM de Vantagens.

Liderou o lançamento de inúmeros serviços e produtos, inclusive, os da marca própria am/pm; introduziu o primeiro programa de fidelidade no setor; reposicionou a marca Ipiranga como um lugar completo no ponto físico e no ambiente online; e ainda esteve à frente do lançamento do aplicativo Abastece Aí. Seu objetivo é criar iniciativas para surpreender os clientes e estar mais próximo do dia a dia deles, investindo em uma comunicação multicanal, que amplifica o bordão “Pergunta lá no Posto Ipiranga” e comunica o posicionamento da empresa para diversos públicos.

 

Paula Lindenberg (Ambev)

Na Ambev desde 2001, Paula Lindenberg assumiu o departamento de marketing da empresa em 2015. Antes, já havia cuidado, isoladamente, das marcas Skol, Brahma e Antarctica, além de liderar o segmento premium, onde foi responsável pelo lançamento de Stella Artois no Brasil. Ao longo desses 16 anos de empresa, Paula também morou no Equador, onde teve a missão de criar a estrutura de marketing da Ambev no país. Sua experiência internacional também contempla Nova York, de onde liderou a área global de insights da companhia.

Com a crença de que as pessoas esperam mais humanidade por parte das marcas, ela desenvolveu atividades que visam aproximar a companhia das pessoas, como a participação das marcas da Ambev nas festas de Carnaval de praças como São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Brasília. Capitaneou, também, a inclinação da Skol para a causa da diversidade, desenvolvendo ações que visam derrubar estereótipos. Antes da Ambev, Paula trabalhou na Johnson & Johnson, Philip Morris e Unilever. Em 2015, foi uma das homenageadas do Women to Watch.

Serviço de Marketing

Marcelo Trevisani e Mauro Oliveira

CI&T

Uma empresa de TI indo em direção ao marketing. Essa é a definição da CI&T, multinacional brasileira originalmente de tecnologia e software que atualmente vem se deslocando para atender clientes na criação de experiências digitais. “A nossa indicação é mais um sinal desse mundo em transformação, onde a tecnologia e o marketing estão colapsando em uma coisa única e poderosa”, diz Mauro Oliveira, vice-presidente para a América Latina.

A atuação da empresa se apoia em método que pretende eliminar desperdícios e resolver problemas de maneira sistemática. E, no contexto digital, combina competências como design, machine learning, APIs e IoT, entre outros. “O Marketing Studio da CI&T é um exemplo de estrutura multidisciplinar que tem conduzido processos de criação de ofertas, combinando estratégias de marketing às de tecnologia, tornando o marketing data driven”, completa o CMO Marcelo Trevisani. Neste ano, desenvolveu o App Light do Itaú, parte do Lean Digital Transformation que está sendo aplicado no banco, o projeto CaringCrowd para a J&J (feito com a R/GA e premiado no SXSW) e a expansão nos EUA, incluindo a aquisição da Comrade.

Giusti Comunicação

O PR está ganhando protagonismo. Essa é a sugestão de Edson Giusti, jornalista e sócio da Giusti Comunicação, sobre a indicação de sua empresa pela primeira vez ao Caboré. Nascida dentro da Loducca, no ano 2000, a agência passou de assessoria de imprensa para relações públicas nesses 17 anos e adquiriu especialidade em mídia e publicidade em razão do seu passado atrelado a uma agência. Hoje, Edson Giusti acredita que tal fato foi positivo.

Segundo ele, entre os pilares diferenciais da empresa, criatividade está em primeiro lugar. “Nosso lema interno é buscar ajudar os publishers a melhor embalar as notícias. Notícia boa não precisa de PR, precisa de um lead bom e nisso nos consideramos criativos”, diz. Para além dos trabalhos com mídia, que abarcam a concepção de campanhas para o Prêmio Desafio Estadão e para O Melhor Comercial do Brasil, do SBT, a agência vem adquirindo expertise em gestão de crise. Atender a Camargo Corrêa em tempos de Lava Jato fez crescer o reconhecimento sobre esse serviço, diz. “Esse setor nunca foi tão importante quanto agora”. No portfólio da agência também constam Centauro, Dentsu e Fiesp.

Mutato

A primeira indicação da Mutato ao Caboré aconteceu no mesmo dia em que  agência completou cinco anos. Com clientes como Avon e Coca-Cola em São Paulo, a Mutato expandiu negócios: neste ano, abriu escritórios em Buenos Aires e Bogodá para atender Kimberly-Clarck e Latam Airlines — e colaborar no projeto #RepenseOElogio, criado pelos escritórios da JWT de Londres e Sidney para a Avon.

Essas conquistas, de acordo com Eduardo Camargo (à esq.), sócio, CEO e CCO, são consequência dos pilares da empresa: foco no digital e a forma de se relacionar com clientes, com quem opera contas em conjunto. “Isso não é muito simples nem fácil. Tem um processo de convivência, adaptação e adequação necessário que não é contabilizado no Excel, mas gera resultados muito impressionantes”, diz Camargo, que comanda a Mutato ao lado do sócio e COO Andre Passamani (à dir.). Eduardo cita o post de House of Cards no Twitter (“Tá difícil de competir”) e o teste de fidelidade de João Kleber, ambos para Netflix, que atende independentemente do Grupo JWT, assim como Samsung e Ipanema; a campanha digital para o S8 e o lançamento de Fanta Guaraná.

Produção Publicitária

Iconoclast

A Iconoclast, produtora nascida na França em 2011 e com escritórios nos Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha, chegou ao Brasil em 2015. Inicialmente, em parceria com a Movi&Art e, depois, com a Prodigo. Mas a demanda foi crescendo e motivou a mudança para um escritório próprio em São Paulo. Com um portfólio global que inclui diretores como Gus van Sant e Romain Gavras, a Iconoclast não atua somente com publicidade, abrangendo também as áreas de entretenimento e fotografia de moda.

No Brasil, a equipe da produtora é encabeçada por Ian Ruschel, diretor e sócio, pelo diretor Brenno Castro e pela produtora executiva Karina Amabile. “Estamos no mercado há pouco tempo e é muito bacana já ter esse reconhecimento. Estamos animados e na torcida”, diz Karina sobre a primeira indicação ao Caboré. Entre os destaques da produtora neste ano estão as contratações da dupla Alaska (Gustavo Moraes e Marco Lafer) e do produtor Henrique Danieletto, além de filmes para Natura, Gol Linhas Aéreas, Johnnie Walker e Itaipava, e prêmios no Wave Festival, Clube de Criação e Ciclope Latino.

Saigon

Indicada ao Caboré pela primeira vez, a Saigon nasceu há três anos pela união do diretor Vellas (Felipe Vellasco), a dupla de diretores Dois (João Dornelas e Pedro Pereira) e o produtor executivo Marcelo Altschüler. Embora seja relativamente nova no mercado, a produtora vem estreitando suas relações com agências e clientes importantes, já tendo realizado campanhas para Sky, Itaú, Vivo, O Boticário, Volkswagen, Honda, Mitsubishi, Skol, Claro, Tigre, Bradesco Seguros e Samsung. Marcelo conta que a Saigon recebeu a gaiola do Caboré com uma mistura de surpresa, alegria e euforia. “No final, concluímos que alguma coisa certa devemos estar fazendo, para concorrer a um prêmio como este. É uma sensação muito legal e gratificante”, diz o produtor. Este ano, a Saigon realizou projetos marcantes como a campanha do Itaú para o Rock in Rio e “Gisele Reloaded B”, para Sky. Também conquistou prêmios em festivais e premiações como Profissionais do Ano, Clube de Criação e Ciclope, entre outros.

Sentimental

Inaugurada em 2002, a Sentimental Filme comemora sua terceira indicação. Em 2005, ganhou logo na primeira vez, e voltou a ser indicada em 2013. Liderada pelos diretores Mauricio Guimarães, Luciano Zuffo, Marcos Araújo e Bill Queen, a Sentimental comemora 15 anos em 2017 como uma típica adolescente, “com muitos sonhos e realizações”. Recentemente, anunciou a chegada dos diretores Bruno Shintate e Guilherme Petry. “Na publicidade, estamos concluindo o processo de renovação do nosso casting de diretores de cena, mantendo o DNA da Sentimental, de sempre revelar novos talentos para o mercado de propaganda”, diz Felipe Cama, diretor executivo de publicidade.

A produtora quer ampliar sua oferta para o mercado audiovisual e reforçar a área de entretenimento para marcas, liderada desde julho por Marcello Penna (ex-Y&R). “Queremos continuar sendo uma parceira estratégica não só para as agências e para as grandes marcas do mercado, mas para os demais players”, conclui Marcos Araujo. Entre os projetos recentes estão 40 filmes mobile para Itaú, a campanha de aniversário da Hyundai e projetos para McDonald’s e Vivo.

 

 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”