Lições do criativo mais premiado do mundo

Buscar

Comunicação

Publicidade

Lições do criativo mais premiado do mundo

Número 1 no Big Won, Bruno Prosperi, da AlmapBBDO, fala sobre os desafios de manter a qualidade criativa aos clientes e para a indústria

Bárbara Sacchitiello
8 de fevereiro de 2018 - 7h39

Diretor executivo de criação foi classificado como o mais premiado do mundo em 2017 (Crédito: Divulgação)

Assim que o Directory Big Won Rankings divulgou o nome de Bruno Prosperi na primeira posição entre os diretores executivos de criação mais premiados do ano de 2017, a caixa de e-mail do profissional da AlmapBBDO encheu. Mensagens de colaboradores da rede BBDO e até mesmo de diretores da holding Omnicom foram enviadas para parabeniza-lo pelo trabalho. “Recebi mensagens de pessoas que ocupam cargos que nem sabia que existiam. Até fiquei na dúvida se era correto ou não agradecer”, brinca o profissional.

Apesar de ter comemorado bastante – e ainda estar celebrando – a classificação, Bruno não acredita que figurar no topo do Big Won seja a representação do talento individual. “Ser considerado um diretor de criação premiado é fruto de um conjunto de fatores. Mas não consigo creditar esse título de número 1 do mundo a mim, porque, na verdade, ele só foi possível de ser alcançado pelo repertório e consistência criativa que a AlmapBBDO possui”, pondera o profissional. O ranking Big Won é elaborado com base na pontuação obtida pelas agências de publicidade de todo o mundo – e seus respectivos profissionais de criação – nas premiações internacionais ocorridas no ano anterior.

Com 23 anos de carreira – sendo os últimos 14 passados na Almap – Bruno foi promovido em 2014 ao cargo de diretor executivo de criação da agência que mais venceu prêmios internacionais na história da publicidade brasileira. No ano passado, a AlmapBBDO ficou em segundo lugar na categoria Agência do Ano do Cannes Lions e foi responsável pelo melhor desempenho do país, retornando ao Brasil com 22 troféus. A presença em Cannes e as demais premiações internacionais renderam a vice-liderança do Big Won, como a segunda agência mais premiada do mundo. Além de Bruno, outros profissionais da Almap – como o sócio e CCO, Luiz Sanches – também figuram na lista internacional.

Alcançar o título de mais premiado diretor executivo de criação do mundo é algo que, na opinião de Bruno, não depende somente a vontade individual. “Estar em uma estrutura que preserva a criatividade e que tem como característica a produção de trabalhos de qualidade acaba dando espaço para colocar em prática as ideias”, comenta.  Atualmente, todos os trabalhos que saem da AlmapBBDO passam pelo crivo de Bruno, que coordena cinco diretores de criação e supervisiona cases de marcas como Havaianas, Volkswagen, O Boticário, Gol e outras. “Todo mundo que trabalha na criação da Almap compartilha da mesma ideia de que a criatividade é prioridade. Isso é um pensamento único e tão estruturado que é compartilhado por todos de forma bem natural. Por isso, é natural que sempre tenhamos cases de qualidade nas ruas e, também, em premiações.

A pedido da reportagem, Bruno dá alguns conselhos para quem trabalha na bancada de criação e sonha em, algum dia, ver seu nome entre os mais brilhantes profissionais de publicidade do planeta. Veja:

 

Campanha “Nosferatu”, criada pela AlmapBBDO para a Getty Images, foi o case brasileiro mais premiado em Cannes em 2017 (Crédito: Reprodução)

Encontrar o que gosta
“A primeira coisa que digo é o conselho mais óbvio do mundo. Há 23 anos, quando entrei nessa profissão, eu tinha muita certeza que queria trabalhar na criação. Tinha vontade de fazer. Então, é preciso realmente gostar muito daquela profissão escolhida. Quando você gosta do seu trabalho acaba nem sentindo o tempo passar e executando as atividades com prazer e com mais criatividade”.

Ideia é só o começo
“Muitas pessoas acham que a parte mais difícil do trabalho de um criativo é ter uma inspiração e criar uma ideia. Na verdade, isso é o mais fácil. A partir daí é que começa o tortuoso processo de elaboração, adequação, aprovação, etc. Fazer a ideia acontecer é um processo bem mais difícil do que criar algo, de fato. E exige muita persistência e dedicação e acompanhamento do projeto do início ao fim.

Aconselho os criativos a jamais desistirem de suas ideias. As vezes é preciso de tempo, adequação e algumas mudanças, mas o fato de você acreditar que aquela ideia é boa já a torna mais forte

Persistência
“ Se há uma característica forte entre os criativos da Almap é o fato de não nos darmos por vencidos quando o cliente rejeita uma ideia. Cheguei, algumas vezes, a fazer vídeos apenas para explicar porque aquela ideia poderia resultar em uma solução interessante. Então, aconselho os criativos a jamais desistirem de suas ideias. As vezes é preciso de tempo, adequação e algumas mudanças, mas o fato de você acreditar que aquela ideia é boa já a torna mais forte. E para que um trabalho seja forte a ponto de chegar às ruas e ganhar prêmios, é preciso que o profissional acredite nele e o defenda desde o início.”

Buscar prêmios sem almejar prêmios
“Nunca trabalhei almejando criar para conquistar premiações. O que sempre buscamos é apresentar aos clientes soluções criativas para suas marcas. No caso de Getty Images, por exemplo (cliente com o qual a AlmapBBDO angariou diversos prêmios em Cannes), começamos a fazer um trabalho anual que tem como objetivo aumentar o faturamento do banco de imagens da empresa. A partir disso, tivemos a possibilidade de criar muitas soluções diferentes, que conquistaram diversos prêmios mas que também ajudaram a aumentar as vendas do cliente. A premiação deve ser a consequência de um projeto criativo.”

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • criatividade

  • AlmapBBDO

  • prêmios

  • Criativos

  • Bruno Prosperi

  • Big Won

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”