Blue Note chega ao Rio com L21

Buscar

Marketing

Publicidade

Blue Note chega ao Rio com L21

Empresa de Luiz Calainho abre a primeira filial da tradicional casa nova-iorquina no Hemisfério Sul

Teresa Levin
8 de maio de 2017 - 15h15

Geofrey Keezer e Sting, no Blue Note Nova York (Crédito: Divulgação)

O Rio de Janeiro receberá no segundo semestre deste ano a primeira filial da Blue Note, a tradicional casa de jazz nova-iorquina inaugurada em 1981 e hoje um patrimônio cultural da Nova York. Conhecida pelos seus shows de jazz de alta qualidade, ela já conta com filiais na California, Havaí, Milão, Pequim, Tóquio e Nagoya e terá agora a sua primeira unidade no Hemisfério Sul. A frente da empreitada, está a L21, holding comandada por Luiz Calainho que tem o direito de uso da marca no País por dez anos, renováveis por mais dez. O investimento inicial da L21 no espaço, que funcionará onde era a Miranda, na Lagoa Rodrigo de Freitas, é de US$ 1,2 milhão.

“Desde 1990 tenho o desejo de trazer o Blue Note para o Brasil. Sempre quis construir este encontro, fazendo uma ponte firme e intensa com a casa em Nova York, talvez a mais emblemática em termos de marca que existe no planeta no segmento de música”, comenta Calainho. Exclusivamente para o Rio, ele conseguiu uma liberação para ir além do jazz na programação. “A ideia é transformar o Blue Note Rio em um Hub de música de excelência no Brasil, em um desdobramento artístico que se divide em seis formatos”, antecipa. Além de shows com artistas de alta expressão nacional e internacional, o espaço terá apresentações de lendas vivas do jazz; shows com parcerias inusitadas; e after jams, entre outras atrações. Com 350 lugares, o Blue Note Rio também contará com almoços semanais, regados a shows de jazz, e brunchs aos domingos; um chef já de renome comandará a gastronomia do local.

A L21 já está comercializando as cotas de patrocínio do espaço que terá uma marca apresentadora; Calainho antecipa que já negocia esta cota com uma empresa do mercado financeiro. Além dela, o espaço terá cinco patrocinadores e cinco apoiadores. Após a inauguração no Rio de Janeiro, o executivo revela que a ideia é levar a marca Blue Note a outras cidades do País, já que adquiriu os direitos para o Brasil. “O plano é inaugurar em São Paulo em 2018 e em Recife em 2019”, conclui o executivo.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Luiz Calainho

  • Blue Note

  • L 21

  • Blue Note

  • jazz

  • música

  • Rio de Janeiro

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”