Marcas de moda querem lacrar nos blocos

Buscar

Marketing

Publicidade

Marcas de moda querem lacrar nos blocos

Das fast-fashion até grifes, anunciantes aproveitam o interesse crescente pelo Carnaval e apostam em itens coloridos atemporais e peças inspiradas em unicórnios, sereias e super-heróis

Karina Balan Julio
8 de fevereiro de 2018 - 14h00

Maiô usado por Pabllo Vittar no clipe “Então Vai”, lançado pela C&A.

O Carnaval se aproxima e com ele começa a correria dos consumidores para improvisar as fantasias mais criativas. Os bloquinhos e festas de típicos da data caíram no gosto do público, e o aumento do interesse pelo Carnaval motiva marcas de moda, das fast fashion até as grifes, a criarem coleções-cápsula exclusivas.

A C&A é uma das marcas que este ano aumentou a variedade e proposta das peças, e também aproveitou o timing para lançar campanhas junto a itens “lacradores”, como o body usado por Pabllo Vittar e Anitta em seus últimos clipes.A marca também apostou em licenciamentos específicos, como camisetas que imitam trajes de Batman, Mulher-Maravilha e itens de A Branca de Neve.

“As comemorações de Carnaval ganharam uma proporção ainda maior no Brasil nos últimos anos. O Carnaval não se limita mais às cidades tradicionais, hoje é mais democrático e abraça todas as idade. Vimos que,tanto para curtir a folia como para usar no dia a dia, as pessoas buscam peças temáticas bonitas, baratas e que possam ser aproveitadas depois. O consumidor está mais consciente até para festejar”, diz  Filipe Albuquerque, gerente da divisão jovem da C&A. Ele afirma que muitas peças já estão esgotadas e que a procura tem aumentado na última semana.

Coleção-cápsula da Youcom, marca jovem da Renner. Foto: Divulgação

Os itens não são necessariamente elaborados: o importante é ser colorido, alegre e confortável.  Alguns temas naturalmente ganham a preferência do público, como os super-heróis, heroínas e sereias,  mas quem reina absoluto para a festa em 2018 é o unicórnio. Uma pesquisa do eBay divulgada esta semana mostra que o ser mitológico é o que mais se destaca nas buscas na plataforma para o Carnaval. Saias e tiaras, peças de tule, flores e camisetas com unicórnios estão entre os itens mais procurados. De acordo com o eBay, a categoria de fantasias cresceu 76% no Brasil entre 2015 e 2017.

“O que a gente vê de resultado é que as roupas ajudam a compor a festae a unir pessoas. As fantasias de grupo, como dos Power Rangers e da Branca de Neve e os Sete Anões fazem a festa de grupos de todos os tamanhos”, acrescenta Filipe. A Youcom, marca jovem da Renner, também lançou uma coleção cápsula com camisetas com estampas divertidas, collants, tutus e acessórios. Na campanha de lançamento, influenciadores trazem a mensagem de ocupação coletiva dos espaços urbanos.

Riachuelo investiu em licenciamentos com a DC. Foto: Reprodução

“A rua é local de passagem, mas principalmente de possibilidades, descobertas e expressão. Historicamente o carnaval de rua é a necessidade de festejar e ocupar espaços públicos de forma coletiva. Diante disto, nosso insight criativo seguiu a ideia de ‘vá brilhar e deixe um pouco de brilho aonde quer que vá”, disse Joice Trindade, gerente de marketing da Youcom.

A pauta do Carnaval, ativa desde o início do verão entre as marcas, também ajuda a aumentar o potencial de consumo para a data, na opinião de Joice. Além das redes de fast fashion, grifes e marcas premium também embarcaram na tendência das fantasias, entre elas Maria Filó, Farm e Salinas. “A tendência é poder ser criativo, comprar peças específicas para o Carnaval, e mesclar com o que se tem no guarda roupa, por exemplo. Brincar de customizar peças já existentes ou mesmo as adquiridas torna cada fantasia única e representa bem o que cada jovem quer expressar”, opina.

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • c&a

  • Carnaval

  • Renner

  • Farm

  • Youcom

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”