>>>>LINK >>> >>>ID >>

Museu da Língua Portuguesa expande acervo ao marketing

Buscar

Marketing

Publicidade

Museu da Língua Portuguesa expande acervo ao marketing

Enquanto realiza reforma de reconstrução após incêndio, instituição leva obras e ações para festas literárias e exposições no exterior

Salvador Strano
14 de março de 2018 - 10h42

Créditos: AlfRibeiro/Folhapress

Mais do que prestar contas sobre a obra de reconstrução da instituição, o Museu da Língua Portuguesa, que está fechado desde quando foi danificado por um incêndio, em 2015, mantém uma comunicação com a sociedade que pretende ser uma extensão de seu acervo. Além das ações de marketing, que levam o mote “O museu está sendo reconstruído, mas nossa língua que está sempre em construção”, o MLP esteve presente em festivais literários como a FLIP, em Paraty, e a FLUP, no Vidigal.

Outra novidade da organização, em parceria com Itamaraty, Instituto Internacional da Língua Portuguesa e Instituto Camões, será a exposição itinerante para três países: Angola, Moçambique e Cabo Verde.

A concepção e a realização de todas as atividades são de responsabilidade da Fundação Roberto Marinho e do Governo do Estado. Já no patrocínio, EDP, Grupo Globo, Sabesp e Itaú apoiam as ações do Museu.

“Uma das coisas que aprendemos com o incêndio foi o potencial de mobilização internacional deste museu. Especialmente na comunidade dos países de língua portuguesa. Agora, neste processo de reconstrução, fincamos o pé de que queremos muito ser uma embaixada da língua”, afirma Flávia Constant, gerente de desenvolvimento institucional e comunicação da Fundação Roberto Marinho.

Roda de conversa do Museu da Língua Brasileira durante a Flip (Créditos: Antonia Leite/Divulgação)

Durante a Flip, a organização apresentou a Praça da Língua, uma espécie de “planetário do idioma”, que reúne poesia, prosa e música. Já no Vidigal, que sedia a Festa Literária das Periferias, o museu exaltou a língua falada apoiando o Rio Poetry Slam, em que participaram poetas do Brasil, Angola e Portugal.

“Toda vez que você sai do espaço físico do prédio, expõe que museu é lugar para ser frequentado. Isso também é fundamental para que as pessoas lembrem de nós”, afirma Flávia Constant, gerente de desenvolvimento institucional e comunicação da Fundação Roberto Marinho.

Créditos: Sofia Colucci/Divulgação

Fora das festas literárias, o museu realizou ações na Bienal do Rio, focadas nos professores e alunos; na Estação da Luz, durante o dia da língua portuguesa (5 de maio); e, a cada 15 dias, realiza o Canteiro de Artes, em que os operários da obra de reconstrução do museu utilizam materiais descartados para criar suas próprias obras.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Flávia Constant

  • flip

  • FLUP

  • Fundação Roberto Marinho

  • Itamaraty

  • Museu da Língua Portuguesa

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”