Skol une marcas pela causa LGBTQ+

Buscar

Marketing

Publicidade

Skol une marcas pela causa LGBTQ+

Se uniram à iniciativa da cerveja, com a doação de letras da logomarca, Burger King, Bis, Trident e Quem disse, Berenice?; as marcas também doarão valores para as ONGs Coletivo Não Desculpo, Casinha, TODXS e Coletivo Transformação

Sergio Damasceno Silva
28 de maio de 2018 - 15h46

No primeiro momento, o projeto #MarcasAliadas uniu Fabio Melo, de Bis, Julia Salgado, de Trident, Daniel Feitoza, da Skol, responsável pela iniciativa, Thais Nicolau, do Burger King, e Alvaro Garcia, do Quem disse, Berenice? (Crédito: Felipe Panfili)

Numa iniciativa da Skol, pelo menos mais quatro marcas se uniram para “doar” parte das respectivas logomarcas para entidades ligadas à causa LGBTQ+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trânsgeneros e +, que abrange pansexuais, assexuais, multissexuais e outras denominações). Além de doarem as letras, as marcas também doarão valores para as ONGs Coletivo Não Desculpo. Casinha, TODXS e Coletivo Transformação. Sob o guarda-chuva #MarcasAliadas, as marcas doaram, respectivamente, as seguintes letras de seus nomes:

L – Skol

G – Burger King

B – Lacta Bis

TTrident

QQuem disse, Berenice?

A campanha estreou domingo, 27, nos principais jornais e nesta segunda-feira os consumidores da cerveja, por exemplo, vão ver, nas redes sociais, a marca Skol sem o “L”, ou seja, Sko. A Skol é patrocinadora da Parada do Orgulho LGBT em São Paulo, que acontece no próximo domingo, 3, pelo terceiro ano seguido. Segundo a empresa, a doação da letra pretende chamar atenção para a importância das diversas comunidades e também dos aliados à causa.

A extensão da campanha às demais marcas foi feita a convite da própria Skol. A #MarcasAliadas convida, agora, outras empresas que quiserem se juntar ao movimento pelo site www.marcasaliadas.com.br ou pelos perfis da Skol no Twitter e Facebook. A iniciativa, no entanto, já vem de junho do ano passado quando a Skol celebrou o Dia do Orgulho LGBT com o filme “Mãos”, um convite para que todas as pessoas que tivessem um compromisso com a bandeira do respeito também vestissem essa camisa e se tornassem aliadas à causa. Agora, com a campanha #MarcasAliadas, a intenção é dar ainda mais voz a esse movimento que enfrenta desafios diários para superar o preconceito na sociedade. Na ocasião, a marca e o Ibope Inteligência fizeram uma pesquisa, a Skol Diálogos, para retratar os principais tipos de discriminação que existem no Brasil: racismo, machismo, homofobia e gordofobia. O estudo apontou que, entre os brasileiros que se declararam preconceituosos, a homofobia é a mais citada: 29%. Outra pesquisa, realizada pelo Observatório de Turismo e Eventos, núcleo de estudos e inteligência de mercado da São Paulo Turismo, apontou que quase 20% do público que frequenta a Parada LGBT da cidade é formado por heterossexuais.

 

(Crédito; Divulgação)

Marca a marca

A ação #MarcasAliadas é uma criação da agência F/Nazca Saatchi & Saatchi, que atende a conta da Skol, e que trabalhou junto com a empresa para convidar as demais marcas a doarem pedaços de suas logomarcas. “A Skol já vem, há três anos, patrocinando a Parada Gay de SP, fazendo uma comunicação que seja mais inclusiva. Temos trabalhado há algum tempo nesse caminho. Agora, a Skol queria fazer algo maior que não fosse apenas publicidade pura e simples. Já estão ligados à causa, fazem doações, mas não queriam que essa ação fosse apenas uma peça publicitária. Daí chegamos nessa iniciativa. Temos outro cliente da casa, a Trident, que estava super interessada e que também já tem uma conversa em relação à causa e nos pareceu legítimo fazer isso e convocar mais gente”, detalha o diretor de criação da F/Nazca, Pedro Prado. “Começamos a correr atrás de marcas que pudessem ter a mesma coragem – e ainda é corajoso uma marca grande como essas se posicionar – para aceitar esse convite e fazer parte desse movimento. Obviamente, não queremos limitar a cinco letras e a cinco marcas. A ideia é que continuemos. Inclusive já estamos tendo repostas de outras marcas”, afirma.

A negociação envolveu marca a marca. “O processo de negociação com as outras marcas foi complexo, porque envolve algumas culturas corporativas diferentes, mas, na verdade, a resposta imediata que recebemos foi muito positiva. Tivemos que resolver especificidades, detalhes, estrutura de marca. As agências das marcas não foram envolvidas”, diz o diretor geral de atendimento, Ricardo Forli. A Skol e a Trident são atendidas pela F/Nazca; Burger King pela David, Lacta Bis pela Wieden+Kennedy e Quem disse, Berenice? pela Santa Clara.

“A iniciativa faz parte de um caminho ainda maior que a marca tomou nos últimos anos, de abordar a inclusão, respeito, pluralidade e diversidade. A Skol é democrática e é importante quando conseguimos trazer mais pessoas para essa discussão. É uma série de movimentos que culminou com essa campanha. Em 2017, já havíamos extrapolada para usar o momento e convidar as pessoas a se juntar à causa. Lançamos, no ano passado, lata comemorativa com parte da renda revertida para instituição de apoio à causa LGBTQ+. Este ano, fomos ainda mais longe, com doações destinadas a quatro instituições “, explica o gerente de marketing da Skol, Daniel Feitoza.

Desde este domingo, 27, quando a campanha foi veiculada nos jornais Folha de S.Paulo e Estado de S.Paulo e nos perfis sociais das marcas, Feitoza comemora a repercussão e o interesse de outras marcas, pequenas e grandes, em fazer parte do movimento (que estará aberto até 28 de junho, quando se celebra o Dia Internacional do Orgulho LGBTQ+). Foi um processo interessante. Algumas marcas ficaram muito interessadas em participar, inclusive marcas que já tinham suas próprias causas. Outras que têm política de inclusão, mas nunca levantaram essa bandeira de forma tão

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • diversidade

  • skol

  • LGBTQIA+

  • Marcas Aliadas

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”