>>>>LINK >>> >>>ID >>

Cielo cria hub de conteúdo para explicar maquininha

Buscar

Marketing

Publicidade

Cielo cria hub de conteúdo para explicar maquininha

Empresa lançou terminal inteligente que inaugura categoria no setor de meios de pagamento e que pode auxiliar na transformação digital dos pequenos empreendedores

Sergio Damasceno Silva
13 de junho de 2018 - 16h34

Novo terminal da Cielo pretende superar as maquininhas e se consolidar como equipamento de gerenciamento da vida digital do empreendedor (Crédito: Reprodução)

A Cielo acaba de lançar a Lio, que agrega várias funcionalidades aos equipamentos do setor de points of sales (POS, na sigla em inglês), que é o nome formal das abrasileiradas “maquininhas”, e cria uma nova categoria nesse segmento: a dos terminais inteligentes que, claro, servem como meios de pagamento, mas evoluem em serviços e aplicativos que poderão completar a digitalização de um pequeno estabelecimento comercial. O dispositivo da Cielo está preparado para fazer a gestão das vendas, a administração do negócio do empreendedor e mais uma série de apps que poderão ser adicionados conforme o cliente ficar mais familiarizado com o equipamento.

A despeito da guerra das maquininhas que está em curso no segmento de meios de pagamento, e da qual a Cielo participa, a Lio é lançada com a proposta de adicionar valor ao POS, isto é, concentrar no próprio equipamento o meio de pagamento, o terminal caixa que o estabelecimento tem e até eventuais computadores que os empresários usam para controlar estoque. Para explicar como tudo isso pode ser feito num único terminal, a Cielo criou um hub de conteúdo, em projeto feito pela New Content, especialmente para o terminal inteligente. Para essa plataforma de comunicação, foram produzidos mais de 40 conteúdos, dos quais 20 vídeos de cases de clientes, tutoriais e de apresentação do Lio.

A campanha inaugural do terminal já está no ar. O que o hub de conteúdo faz é informar e mostrar como se dá o uso do Lio na prática. O conteúdo foi baseado em pesquisas, workshops e grupos de discussão com empreendedores de diversos setores. “Sentimos necessidade de fazer esse hub porque temos que falar detalhadamente do produto porque é diferente daquilo a que o mercado estava acostumado. O mercado conhece as maquininhas. Claro, cada uma tem um funcionamento, mas são conhecidas. A Lio é outra história. Começa pelo pagamento, mas avança por território completamente novo que é a gestão do negócio do cliente. Que vai da visão de produto até os apps que estão integrados ao produto conforme o tipo de varejista que o usa”, detalha a diretora de marketing da Cielo, Duda Bastos.

E a comunicação da empresa para o Lio será direcionada ao hub. Campanhas para TV (aberta e paga) e digital vão direcionar o público ao hub. Duda explica que o cliente que se credenciar na Lio pode começar a usar a solução, que já embarcada com um app gratuito que ajuda os pequenos varejistas. “Temos como monitorar o cliente a se integrar com o app, sua região e setor para que possa ajudar no potencial de vendas. É uma categoria completamente nova e, portanto, é um processo educativo. O varejista não sabe exatamente como utilizar. Para os pequenos varejistas, que não têm nem acesso à automação, é a possiblidade de digitalizar seu negócio”, afirma.

Em outra vertente, a Cielo, assim como outros players de maquininhas, tem investido na conectividade. Para não ficar à mercê das redes móveis das operadoras, os POS têm saído de fábrica tanto para operar com o chip 3G das teles quanto para se conectar via WiFi. “Mesmo que a conexão com a operadora tenha instabilidade, será possível se conectar em WiFi com a rede de cliente dentro do estabelecimento. Independentemente disso, a Cielo tem um sistema de monitoramento no centro de comando que acompanha as redes móveis nos mais de 5,5 mil municípios brasileiros. Quando ativarmos uma Lio em São Luis, no Maranhão, por exemplo, já enviaremos um equipamento com o chip que melhor funciona naquela localidade. No último ano, no entanto, esse problema de conectividade com as redes móveis tem diminuído, já que os terminais (as maquininhas) têm WiFi”, diz Duda. A campanha da Lio que está no ar, composta por um filme para TV (aberta e por assinatura) e peças para digital, foi criada em parceria com a Wunderman, com produção da Corazon Filmes.

São João

A Cielo é a patrocinadora master de duas das maiores festas de São João do Brasil, Caruaru, em Pernambuco, e Campina Grande, na Paraíba. Por meio da plataforma Cielo Movimenta, a empresa fará promoções e ativações exclusivas nas duas cidades. As ações, criadas pela BFerraz, foram desenvolvidas para atender tanto os barraqueiros e lojistas quanto os consumidores finais. Para os comerciantes presentes nas festas, a empresa realizou o credenciamento prévio da Lio e a entrega de materiais de ponto de venda aos novos clientes.

Para os foliões, em Caruaru, a cada R$ 60 em compras acumuladas em estabelecimentos de toda a cidade que tenham a máquina da Cielo, o consumidor ganha um voucher, impresso pela própria máquina, que dá direito a um saco de pipoca para ser retirado no pátio da festa. Já em Campina Grande, a cada R$ 150 em compras na máquina Cielo, usando cartão da bandeira Visa, o consumidor tem direito a um nécessaire. É o segundo ano que a Cielo apoia o São João pernambucano. Em Campina Grande, na Paraíba, é a primeira vez como patrocinador.

(Crédito da foto do topo: Reprodução)

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Duda Bastos

  • Cielo

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”