A jornada do eleitor e o desafio da relevância

Buscar

Marketing

Publicidade

A jornada do eleitor e o desafio da relevância

Votorantim e Sunset transformam cruzada pelo voto consciente em operação de guerra, Burger King aproveita o buzz do Whooper Branco e Ben&Jerry´s muda nome de seu produto tendo as eleições como inspiração

Luiz Gustavo Pacete
5 de outubro de 2018 - 10h45

O terreno político é hostil e, em muitos casos, evitados por marcas e empresas. Neste ano especificamente, esse ambiente tornou-se ainda mais delicado pelo nível de polarização e proliferação de fake news. Mas há exceções. No último domingo, o Burger King decidiu entrar nas conversas com o Whooper Branco, durante o debate presidencial da Record, e esclarecer ao eleitor sobre a importância de não inutilizar o voto. A estratégia continuou nesta quinta-feira, 4, durante o debate da TV Globo.

Outra empresa, ainda que indiretamente, tentava entrar nas conversas e chamar a atenção para o mesmo assunto nestes dois debates e nos anteriores para a presidência. A Votorantim, por meio do aplicativo Guia Voto, utilizou-se de uma operação de guerra, montada pela Sunset Comunicação, para promover o app que se propõe a agregar informações sobre candidatos para contribuir na toma de decisão sobre o voto. Desde junho, quando foi lançado, o Guia Voto já chegou a 150.687 mil downloads e o objetivo da Votorantim é promover um processo de educação que motive o voto consciente.

“Cada vez mais, as marcas precisam se posicionar. Não se posicionar sobre algo já é um posicionamento e, neste caso especificamente, esse posicionamento é por meio de uma ferramenta que contribui para o voto consciente”, afirma Inaiara Florêncio, diretora de social media da Sunset Comunicação. Diferentemente de marcas já consolidadas, fazer a construção da marca de um aplicativo desconhecido e ainda sobre um tema tão delicado é uma operação que demanda uma análise estratégica e muito cuidado sobre o que é dito e o que tem conexão com a entrega.

De acordo com Ariel Grunkraut, diretor de vendas e marketing do Burger King Brasil, marcas também possuem responsabilidades quanto a tema sensíveis para o Brasil. “Considerando nossa responsabilidade como marca, de gerar conversas, identificamos que era importante falar sobre esse assunto. Era importante se posicionar e explicar para as pessoas o que acontece quando se vota nulo e branco”, afirma.

No desdobramento do Whooper Branco, a marca acabou contando com vários influenciadores que repercutiram a ação. Até mesmo candidatos como Henrique Meirelles e o Partido Novo repostaram o vídeo. Já para o Guia Voto, o mais importante na relação com os influenciadores é a capacidade citação e interação orgânica e espontânea. “A estratégia de contratá-los, apesar de possível, era arriscada, logo, a decisão de conversar com esses influenciadores de forma orgânica foi um dos grandes desafios”, afirma Cleber Paradela, VP de planejamento da Sunset Comunicação.

Nesta quinta-feira, 4, a Ben&Jerry´s também entrou na conversa inspirada pelas eleições e criou uma campanha em que, se o eleitor apresentar seu título eleitoral em qualquer loja, terá 10% de desconto. A marca, já conhecida por seu posicionamento político e social, também criou a plataforma Me Representa, para contribuir para que eleitores encontre candidatos que estejam alinhados com pautas relacionadas a direitos humanos. Por fim, a marca transformou o Cone Sweet Cone em Vote Sweet Vote.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • david

  • burger king

  • Sunset

  • Votorantim

  • Guia do Voto

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”