Veja continua a mais admirada entre as revistas

Buscar

Mídia

Publicidade

Veja continua a mais admirada entre as revistas

Exame, Época, Carta Capital e IstoÉ também aparecem à frente na lista das mais bem avaliadas

Eliane Pereira
3 de fevereiro de 2012 - 6h30

No topo do ranking desde a primeira edição, Veja (com circulação de 1,075 milhão de exemplares semanais) é a revista mais admirada no mercado publicitário nacional, de acordo com a pesquisa Veículos Mais Admirados, realizada pelo Grupo Troiano de Branding e publicada com exclusividade por Meio & Mensagem. O estudo calcula o Índice de Prestígio da Marca (IPM) dos principais veículos de comunicação do País a partir dos dados de levantamento feito pela Qualibest junto aos assinantes do Meio & Mensagem e a uma base seleta de internautas cadastrados no site www.meioemensagem.com.br .

Com faturamento de R$ 1,6 bilhão entre janeiro e outubro de 2011, o meio revista cresceu abaixo da média do mercado e continua na luta por recuperar sua fatia no bolo publicitário, hoje na casa dos 7%. Entre os títulos mais admirados, os cinco primeiros colocados (Veja, Exame, Época, Carta Capital e IstoÉ) mantiveram as posições. Piauí subiu uma posição e Época Negócios, duas. Você S/A caiu do sexto para o oitavo lugar e IstoÉ Dinheiro (em nono) e InfoExame (em décimo) trocaram de posições em relação ao ano passado (veja quadro completo).
wraps
 Leia a matéria completa na edição especial Veículos Mais Admirados

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”