E o Rei do Camarote existe

Buscar

Mídia

Publicidade

E o Rei do Camarote existe

Alexander Augusto de Almeida, dono de uma despachante e perfilado por Veja SP, procurou a 9ine, que rechaçou trabalhar sua imagem

Felipe Turlao
5 de novembro de 2013 - 7h36

 Uma reportagem de Veja São Paulo publicada há instantes colocou fim na polêmica envolvendo Alexander Augusto de Almeida, vulgo Rei do Camarote, que chega a gastar R$ 50 mil por noite nas festas que frequenta. Assunto dos últimos dias nas redes sociais, o empresário foi capa da publicação e principal perfilado de uma reportagem sobre pessoas que mais gastam dinheiro em camarotes de casas noturnas da capital paulista.

Segundo a revista, ele é proprietário da Organização e Assessoria em Despachos 3A Ltda., registrada em 4 de abril de 2010. Meio&Mensagem apurou a mesma informação, e acrescenta que a empresa está sediada no Tatuapé e Almeida, assim como descrito pela reportagem de capa, mora mesmo no bairro Jardim Anália Franco.

A Veja São Paulo também revelou que Almeida procurou a 9ine para fazer sua assessoria de imprensa e que a agência havia sugerido que ele “sumisse do mapa”. A agência confirmou ao Meio&Mensagem que foi procurada por um representante de Almeida, mas afirmou que sequer cogitou fazer o trabalho.

Inúmeros boatos sobre o assunto circularam a internet nos últimos dias. Um dos principais foi de que Alexander era um personagem e que a ação estava sendo coordenada por Wagner Martins, conhecido como Mr. Manson, que foi sócio da Espalhe até meados deste ano e que lançou o Cocadaboa, que se definia como blog de humor e boatos. A estratégia de pegar carona na história rendeu mais seguidores ao profissional, que em breve anunciará seu novo rumo.

Para alimentar a especulação, Martins publicou fotos instigantes no Instagram. Em uma delas, “ele” aparece tirando fotos de Almeida. Na realidade, a foto é dos bastidores da sessão de fotos da Veja, comandada por Mario Rodrigues e Fernando Moraes, ambos da Abril, fato comprovado pela reportagem. Sobre uma segunda foto, que mostra Martins dirigindo uma Ferrari, ela foi tirada durante uma viagem, segundo a escritora e roteirista Rosana Hermann.

Outra “pegadinha” foi a entrevista que Almeida concedeu à Rádio Bandeirantes na qual afirmava que a história era uma brincadeira que seria revelada posteriormente. “É algo que não é real – fica a dica. Não posso ficar falando agora", disse. A rádio não quis se pronunciar sobre o assunto, mas a reportagem apurou que a entrevista é real e foi fruto da apuração da equipe de jornalismo da rádio, com a intenção de abrir espaço para ele se pronunciar.

Uma terceira história envolve o Pânico que, segundo uma linha defendida nas redes sociais, seria o articulador da história, seja vendendo um personagem “falso” comprado pela Veja São Paulo – o que não se comprovou –, seja posteriormente, tentando ganhar buzz ao “recriar” Almeida. Ele passaria a defender uma “nova verdade” de que a reportagem foi feita em cima de uma brincadeira, conforme ele sustentou à Rádio Bandeirantes. Mas a versão tampouco sobreviveu. Em reportagem do UOL, seus humoristas afirmaram que Almeida teria ficado chateado com a repercussão negativa.

O programa humorístico foi vítima, no passado, de uma ação de marketing da cerveja Proibida, concorrente do patrocinador Skol. Criada por Jader Rossetto, a ação se baseou no blog We Love Brazil, que contava a história das checas Dominika e Michaela, que demonstravam vontade de conhecer o País. O Pânico entrou em contato com Rossetto e veiculou a história, estratégia interrompida após descobrir a realidade. A propósito, Rossetto, hoje líder da criação da Agência3, chegou a ser procurado por Meio&Mensagem e, obviamente, negou que estivesse por trás do novo caso, e disse não ter certeza de que se tratava de uma brincadeira. “Mas se fosse, seria maravilhoso”, divertiu-se.

Marcas pegam carona

Algumas marcas não perderam tempo e criaram campanhas em cima da imagem de Almeida. Ponto Frio, Walmart, Ale, Axe, Itaú, Bis e Halls foram algumas delas. No caso de Ponto Frio, a opção foi pela frase “Agrega valor ao camarote”, já eternizada expressão de Almeida, para vender taças de champagne.

Já Itaú seguiu a linha “Quer ser o rei do camarote? 😉 Veja quanto vc precisa investir pra ganhar seu 1º milhão:”. Halls mostrou um balde de gelo com embalagens de seu produto e a frase “os reis do camarote”. E Axe disse que iria “agregar ao camarote”.

Apesar dos inúmeros compartilhamentos que esses tweets receberam, a estratégia não é considerada boa pelo estrategista de marketing Gabriel Rossi: “Pensando nas marcas, tem o lado bom de mostrar que estão atentas. Mas isso pouco ou quase nada agrega ao valor delas”, disse.

Quem agregou valor, no final das contas, foi o vídeo com os 10 Mandamentos do Rei do Camarote, que conta com quase 2,5 milhões de visualizações (até o fechamento desta nota):

wraps

 Outro que agregou valor foi Paulo Soares, apresentador da ESPN, que satirizou Almeida na abertura do programa Sportcenter:

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”