Abril vende 7 revistas e investe em branded content

Buscar

Mídia

Publicidade

Abril vende 7 revistas e investe em branded content

Editora anunciou uma ampla reestruturação, dividindo seus negócios em áreas de Conteúdo, Marketing e Receitas e criando área de conteúdo customizado

Bárbara Sacchitiello
2 de junho de 2015 - 4h37

A Editora Abril anunciou mais uma importante reestruturação em sua área de conteúdo e de publicidade nesta terça-feira, 2. A empresa vendeu sete de suas revistas para a Editora Caras: AnaMaria, Arquitetura & Construção, Contigo, Placar, Ti-ti-ti, Você RH e Você S/A. Em julho do ano passado, a Abril já havia repassado à Caras outros dez títulos de seu portfólio, com o argumento de que precisaria concentrar as energias nas marcas mais rentáveis para o Grupo.

Já a Capricho, tradicional título do segmento jovem, deixa de circular na versão impressa e manterá as publicações somente no ambiente digital. A Exame PME também deixa de existir de forma independente e será incorporada à revista Exame. O Guia 4 Rodas continua sendo uma marca da Abril, mas não irá mais ser publicado na versão impressa.

Os demais títulos do grupo – impressos e plataformas digitais – serão mantidos, dividos em quatro núcleos: Veja; Exame; Femininas (Boa Forma, Claudia, Capricho.com, Casa Claudia, Claudia, Cosmopolitan, Elle, Estilo e a plataforma digital M de Mulher) e Lifestyle (Brasil Post, Elástica, Guia do Estudante, Info.com, Men’s Health, Mundo Estranho, National Geographic, Playboy, Quadrinhos, Quatro Rodas, Saúde, Superinteressante, Veja SP, Veja Rio, Viagem e Turismo, VIp e Women’s Health).

Além dessas mudanças na área de conteúdo, a Editora Abril também anunciou uma alteração em toda a sua estrutura organizacional que, agora, passa a ser dividida em três áreas: conteúdo, marketing e receitas. A Unidade de Conteúdo será ocupada interinamente por Victor Civita Neto.

A área de Marketing terá Tiago Afonso como chief marketing officer (CMO) e abrigará toda a área de informações e gestão de marcas, bem como os eventos e a Abril Big Data (área de dados e inteligência que reúne toda as informações do banco de assinantes e leitores da Abril).

Publicidade por segmentos
Outra importante mudança anunciada pelo grupo está na área de publicidade, que agora, ficará sob o guarda-chuva da Unidade de Receitas, cujo líder será Rogério Gabriel Comprido. O executivo administrará todas as fontes de faturamento da editora (publicidade, assinaturas, vendas avulsas, e-commerce, digital e eventos).

Sob essa área de Receitas ficará a diretoria de vendas e publicidade da Abril que, a partir de agora, será comandada por Virginia Any. Neste núcleo, a editora irá implantar um novo modelo comercial: a publicidade não será mais comercializada por títulos (revistas), mas sim por segmentos econômicos: bens de consumo, financeiro, moda, saúde, decoração e construção, educação, cultura, lazer e esporte, tecnologia, serviços públicos e sociais, transporte e mobilidade. A ideia é planejar, junto às agências, o público-alvo que o anunciante pretende atingir e, a partir daí, selecionar as plataformas impressas e digitais da Abril que sejam condizentes com aquele target.

“O mercado está mudando completamente e precisamos estar preparados para entregar as soluções que o anunciante busca. Não podemos mais oferecer somente uma página dupla em uma revista. Temos que entregar uma solução que atenda à necessidade do anunciante, independente das plataformas”, comentou Alexandre Caldini, presidente da Editora Abril. 

Branded Content
A Editora Abril também anunciou a criação de uma área específica para projetos de branded content, chamada Estúdio ABC – Abril Branded Contet. O núcleo será comandado pelo diretor de apoio editorial, Edward Pimenta, e terá uma equipe de jornalistas da casa para desenvolver projetos de conteúdo customizado para os clientes.

“Todos os movimentos do mercado convergem para a área de produção de conteúdo. A Abril é especialista nessa área e queremos usar nossa ampla base de dados e estrutura tecnológica para criar cases que façam as marcas dialogar com seu público-alvo”, reforçou Caldini. Os títulos Educar para Crescer e Planeta Sustentável passam a fazer parte do estúdio ABC e irão veicular projetos customizados

De acordo com o presidente, essa é a mudança mais profunda e representativa da história da Editora Abril. “Com toda essa transformação da nossa indústria de comunicação, não podemos mais nos posicionar somente como uma editora. Estamos reformulando nossa atuação para atender aos leitores e mercado de forma a acompanhar as novas formas de consumo de conteúdo, aproveitando a relevância e expertise da Abril nesta área”, finaliza Caldini.

Demissões
Segundo o presidente da Abril, essas mudanças são a segunda parte de um grande processo de reestruturação, iniciado no ano passado, quando o próprio Caldini assumiu os negócios da Editora e a primeira leva de títulos foi repassada à Caras. Agora, com essa nova organização, o executivo garante que as equipes de redação dos títulos vendidos serão totalmente absorvidas pela Editora Caras.

Sobre o reajuste das demais áreas, o presidente da Abril afirma que os cortes atingiram 2% de um total de 6 mil funcionários do Grupo (algo em torno cerca de 120 funcionários, de diversas áreas). A reportagem de Meio & Mensagem obteve informações de que profissionais da redação da Abril estavam sendo desligados na tarde desde terça-feira, 2. O Sindicato dos Jornalistas marcou uma assembleia com os funcionários da Editora para o início da noite deste dia 2. 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”