A receita do Facebook para os atletas digitais

Buscar

Mídia

Publicidade

A receita do Facebook para os atletas digitais

Felipe Kozlowski, diretor de parcerias esportivas da plataforma, dá dicas de como os esportistas e veículos podem usar seus perfis para engajar e ampliar a audiência

Luiz Gustavo Pacete
26 de julho de 2016 - 17h28

A Rio 2016 representará um marco para o uso das redes sociais. Estudo recente encomendado pelo Facebook e desenvolvido pela GfK mostram que a Olimpíada deverá bater novo recorde de audiência mobile. A pesquisa revela que por conta da diversidade de dispositivos a forma como os brasileiros interessados nos Jogos vão acompanhar o evento tem mudado.

kaka

Felipe Kozlowski e o jogador Kaká

Nesta movimentação, existem oportunidades não apenas para marcas e atletas diretamente envolvidos no evento, mas a todos esportistas e veículos que podem, de forma espontânea e criativa, ampliarem suas estratégias nas redes sociais por meio do esporte. Em tempos que o conteúdo pessoal tornou-se prioridade no Facebook após a mudança de algoritmo, produzir algo que gere engajamento tornou-se cada vez mais importante.

“Será uma oportunidade importante para muitos atletas que, a partir da Rio 2016, poderão alcançar engajamento em seus perfis e gerar conteúdo”, diz Felipe Kozlowski, líder de parcerias estratégicas em esportes do Facebook no Brasil. Ao Meio & Mensagem, Kozlowski conta como que alguns atletas vêm crescendo em audiência em suas redes e de que maneira os veículos podem fazer melhor uso da plataforma quando o assunto é esporte.

Os quatro mandamentos das redes
Consistência, autenticidade, relevância e engajamento são as palavras mais importantes para quem quer fazer um bom trabalho nas redes. É óbvio que para um atleta nem sempre é possível ter todos. As vezes é difícil manter um ritmo de postagens com relevância. Mas saber trabalhar com essas quatro ideias e encaixar isso com o perfil e a naturalidade do atleta é muito importante. Tudo isso, no entanto, deve ser feito com frequência, se não existir frequência não se constrói uma relação.

A importância dos bastidores
Observamos como os bastidores interessam às pessoas. Na Copa América dos Estados Unidos, por exemplo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) fez alguns lives do vestiário e isso teve uma enorme repercussão. É um tipo de conteúdo que ninguém tem. O olhar do atleta, da concentração. Isso é muito importante e é um conteúdo diferenciado e que interessa aos fãs. Naturalmente, em grandes eventos isso acaba sendo contemplado pelos veículos, mas existem muitas oportunidades para fazer com que esse conteúdo não fique mais escondido.

felipinho

Vídeo de Felipinho Massa e Daniel Ricciardo fez sucesso nas redes de Felipe Massa

A familiaridade com a plataforma
Tem atleta que é mais experiente na idade, mas tem uma cabeça super jovem no uso da plataforma. Em geral, o atleta que vai bem sabe a importância de testar, de experimentar e que para falar com um público novo ele precisa de novas ferramentas. Mas mais do que isso, ser ele mesmo é algo muito importante. Por isso, sempre recomendamos que eles encontrem o tom certo nas redes.

O engajamento dos latinos
O Brasil e o México são os países com maior engajamento de futebol, por exemplo. Imagine a oportunidade que atletas menos conhecidos não possuem de usarem as redes para construir sua imagem. Ainda mais agora na seleção olímpica que vemos novos e jovens atletas.

A lição para os veículos
Muitos veículos quebraram paradigmas ao usar as ferramentas digitais. O Esporte Interativo é um deles e fez isso com base em testes. Testar é outro ponto importante. Outros veículos foram aprendendo o que fazia sentido e o que não fazia sentido. Nos vídeos do Facebook, tiraram as vinhetas que eram muito comuns no começo. Passaram a usar o autoplay. Começaram a ver que algumas letras precisavam ser maiores por causa do mobile. Ou seja, viram que o conteúdo nas redes não deveria ser uma repetição. E muitos vêm alcançando êxito com o assunto.

Marcas que também geram conteúdo
Observar marcas que geram conteúdo também é um bom exercício para atletas dispostos a melhorar seu engajamento. A Red Bull é um ótimo exemplo de um produtor de conteúdo de primeira. A GoPro é outra que vem fazendo um trabalho excelente. Essas marcas mostram que o foco delas é em entrega de conteúdo de qualidade e não em apenas aparecer.

 

bufoni

A Skatista Letícia Bufoni

Aqueles que mandam bem
Temos exemplos recentes de atletas que estão mandando bem. Em março do ano passado, por exemplo, o Felipe Massa chegou aqui sem muito volume e já chegou a 600 mil fãs neste ano. Ele tem feito várias coisas legais. Postado fotos do paddock, vídeos com seu filho e isso vem aumentando sua base. Recentemente, ele colocou um vídeo do Felipinho Massa disputando uma corrida com o Daniel Ricciardo, a brincadeira rendeu uma repercussão interessante. Outro exemplo é o Kaká, ele já tem um jeito específico de falar com seus fãs, uma maneira muito própria, mas também encontrou o tom. Outra atleta que vem fazendo um trabalho super legal é a skatista Letícia Bufoni, com 23 anos e sem um social manager ela já tem mais de 1 milhão de fãs.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”