Qual será o futuro do Medium?

Buscar
backgroundmedium

Mídia

Publicidade

Qual será o futuro do Medium?

Plataforma de textos independentes demitiu cinquenta funcionários, Ev Williams, CEO, busca novo modelo de negócios

Luiz Gustavo Pacete
9 de janeiro de 2017 - 11h52

 

evwilliam

Ev Williams, CEO do Medium

O Medium, plataforma de publicação de textos independentes, que, segundo estatísticas da própria empresa, cresceu mais de 300% no ano passado, demitiu cinquenta funcionários, cerca de um terço de sua força de trabalho. A notícia, dada na primeira semana do ano, pegou de surpresa quem acreditava que a plataforma era um modelo de monetização de conteúdo no ambiente digital.

Em seu blog, Ev Williams, CEO do Medium, explicou que a medida foi tomada para que a empresa buscasse um novo modelo que consiga “equilibrar receita e bom conteúdo”. Com o título “Revendo o foco do Medium”, Williams explicou em seu texto os motivos da decisão e deu algumas pistas dos rumos que pretende seguir.

Os cortes
Essa foi a parte difícil. Eliminamos cinquenta empregos, principalmente das áreas de vendas, suporte e funções de negócios. Com isso, estamos mudando nosso modelo de negócios para cumprir com a missão que iniciamos originalmente.

A decisão
Chegamos a essa decisão quando a equipe de gerenciamento da Medium se reuniu para rever o ano passado e analisar com atenção o nosso negócio. Embora pudéssemos continuar no nosso caminho atual, decidimos que arriscaríamos nossa missão maior caso não fizéssemos mudanças.

O ano de 2016
Foi o nosso melhor ano. As métricas como leitores e postagens publicadas aumentaram aproximadamente 300% ano a ano. E testemunhamos histórias importantes publicadas no Medium, de líderes mundialmente famosos a pessoas desconhecidas. Estamos orgulhosos do papel de nossa mídia na promoção de pontos de vistas e novas idéias.

Missão
Sentimos que estamos ficando aquém. Nossa visão, quando começamos em 2012, era ambiciosa: construir uma plataforma que definisse um novo modelo para a mídia na internet. O problema, como vimos, era que os incentivos que impulsionavam a criação e disseminação de conteúdos não estavam servindo às pessoas que o consumiam ou criavam.

O que deu errado
Em 2016, fizemos grandes investimentos em equipes e tecnologia visando atrair anúncios para o Medium. E com isso, começamos a vender nossos primeiros anúncios. No entanto, ao construir este modelo, percebemos que ainda não tínhamos a solução certa para a grande questão de financiar conteúdo de qualidade. Tínhamos começado a expandir as equipes para vender e apoiar produtos que eram, na melhor das hipóteses, incrementais no modelo publicitário orientado por anúncios, e não o modelo transformador que buscávamos.

medium.jpg

Cartaz de lançamento da plataforma

Futuro
Estamos investindo nossos recursos e atenção para definir um novo modelo para publicadores e criadores a serem recompensados, com base no valor que estão criando para as pessoas. É muito cedo para dizer exatamente aonde isso vai dar. Nossa nova estratégia é mais focada, mas também menos comprovada. Vai exigir tempo para obtê-lo direito, bem como algumas habilidades diferentes. É por isso que estamos tomando essas medidas hoje e dizendo adeus a muitas pessoas talentosas. Também estamos fechando nossos escritórios em Nova York e Washington D.C.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Medium

  • Blogs

  • Conteúdo

  • Redes Sociais

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”