Semana de Arte Moderna permanece na memória

Buscar

Mídia

Publicidade

Semana de Arte Moderna permanece na memória

Emissora, rádios e museu direcionam conteúdos para o movimento brasileiro que alterou a visão da época

Victória Navarro
17 de fevereiro de 2017 - 13h30

Capa do catálogo da exposição da Semana de Arte Moderna, em 1922 (crédito: reprodução)

Capa do catálogo da exposição da Semana de Arte Moderna, em 1922 (crédito: reprodução)

Há 95 anos, acontecia no Teatro Municipal, em São Paulo, a Semana de Arte Moderna de 1922. O evento, realizado de 11 a 18 de fevereiro, reuniu artistas como Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade e Anita Malfatti, em prol da livre expressão da criatividade. E, neste 2017, emissora, rádios e museu voltam seus conteúdos para o acontecimento brasileiro, que mudou a visão da época e trouxe novas perspectivas artísticas para o mundo, até então, habituado aos modelos estéticos europeus.

Dessa maneira, entre terça-feira e sexta-feira desta semana, a TV Cultura exibe documentários sobre as transformações culturais do período e figuras importantes que marcaram a Semana de Arte Moderna. No longa Menotti Del Picchia, é possível encontrar a trajetória do profissional e saber sobre o convívio do artista com os seus amigos modernistas e os ideais do movimento. Já no documentário Victor Brecheret, o telespectador entra em contato com a participação do profissional no modernismo e em sua relação com os brasileiros Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Antônio Gomide.

Capa da primeira edição do livro Macunaíma de Mário de Andrade (crédito: reprodução)

Capa da primeira edição do livro Macunaíma de Mário de Andrade (crédito: reprodução)

Ainda na TV Cultura, foi exibido um filme sobre Mário de Andrade, que mostra fatos da vida e da personalidade do escritor. Nele, Rubens Borba de Moraes destaca a obra Macunaíma. Por fim, em Piano e Ganzá – O Mundo Musica de Mário de Andrade, o público pode ver a relação do profissional com a música, enfatizando como a expressão musical desencadeou e influenciou sua obra e vida.

Além disso, em a Trilha da História, programa da Rádios EBC que mistura bate-papo sobre história do Brasil e do mundo com músicas, Pieter Tjabbes, historiador de arte holandês, Tarsilinha do Amaral, sobrinha-neta da pintora modernista Tarsila do Amaral, e Antonio Nóbrega, compositor, conversam sobre as origens da Semana de Arte Moderna de 1922 e o movimento modernista. No Caderno de Música, também na grade da Rádios EBS, foi possível conhecer um pouco mais sobre as influências do evento.

Para celebrar os 95 anos, o Museu do Café, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promove atividades gratuitas, voltadas para arte e literatura. Na programação, está a intervenção artística Desenhando o Museu do Café, realizada pelo arquiteto e artista plástico Paulo von Poser e a professora Claudia Braga. Nela, os participantes podem se inserirem na produção de desenhos da fachada do edifício da Bolsa Oficial de Café.

Já na oficina Construindo e Desconstruindo a Figura Humana, no Museu do Café, Rodrigo de Carvalho, artista plástico, proporciona atividades sobre noções básicas de desenho e construção da figura humana, baseadas em artistas do movimento da Semana de Arte Moderna. E, quem passar pelo museu, neste sábado, 18, pode participar do Sarau Literário que abordará literatura e poesia com o professor Sergio Manoel Rodrigues.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Anita Malfatti

  • Antônio Gomide

  • Antonio Nóbrega

  • Claudia Braga

  • Mário de Andrade

  • Menotti Del Picchia

  • Oswald de Andrade

  • Paulo von Poser

  • Pieter Tjabbes

  • Rodrigo de Carvalh

  • Rubens Borba de Moraes

  • Sergio Manoel Rodrigues

  • Tarsila do Amaral

  • Tarsilinha do Amaral

  • Victor Brecheret

  • Museu do Café

  • Rádios EBC

  • tv cultura

  • Museu do Café

  • Rádios EBC

  • Semana de Arte Moderna de 1922

  • TV Cultura

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”