Fake news é tema do Prêmio Desafio Estadão Cannes

Buscar

Mídia

Publicidade

Fake news é tema do Prêmio Desafio Estadão Cannes

Quarta edição da premiação, oficializada durante o festival do Clube de Criação, tem inscrições abertas a partir desta segunda-feira, 18

Karina Balan Julio
18 de setembro de 2017 - 11h30

O Estadão anunciou nesta segunda-feira, 18, durante o festival do Clube de Criação, a quarta edição do Prêmio Desafio Estadão Cannes, que reconhece campanhas veiculadas nas diferentes plataformas de conteúdo do jornal.

No ano passado, além das categorias Multiplataforma e Branded Content, foi criada a categoria Impresso, que avaliava campanhas sem desdobramentos em outras plataformas. Também será premiado o Mídia do ano e o Brief Desafio. A campanha de divulgação do desafio leva o mote “Em terra de publicidade quem tem cavalo vai a Cannes”, em campanha criada pela FCB.

O Estadão também apresentou o tema do Brief Desafio que, desde o ano passado, convida agências a criar uma campanha de conscientização sobre diferentes temas sociais. Para a nova edição, o tema é “Criatividade na corrida contra as fake news”. No ano passado, o assunto foi a violência contra a mulher, tema que recebeu cem inscrições apenas nesta categoria.

“O fato de termos incluído o Brief Desafio no ano passado democratizou o prêmio, não mais restrito a agências grandes. Temos muita participação de agências médias e pequenas e até de fora de SP, que normalmente não teriam condições de veicular uma campanha no Estadão”, disse Flavio Pestana, diretor comercial executivo do jornal.

O tema das fake news foi escolhido tendo em vista a proximidade das eleições. “No ano que vem esse assunto vai ser muito comentado e o mundo vai ser bombardeado por fake news. Vamos tentar, em alguma medida, veicular essa campanha vencedora sobre o tema, pois é nesses momentos que marcas associadas a veículos podem ter uma relevância ainda maior”, acrescentou.

Os jurados do Desafio são Alisson Laprega (One Digital), Arício Fortes (DM9), Átila Francucci (Nova S/B), Cátia Luz (Estadão), Cesar Toledo (Salve Tribal), Cris Duclos (Wunderman), Daniel Fernandes (Estadão), Domênico Massareto (Publicis Brasil), Fernando Diniz (DPZT), Filipe Cuvero (Dentsu Brasil), Giovanni Rivetti (New Content), Luiz Sanches (AlmapBBDO) e Rafael Pitanguy (Y&R).

Uma vez que é representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil há 16 anos, o Estadão vai premiar os vencedores do desafio com 12 viagens a Cannes (concedidos a criativos, mídia e clientes) que incluem passagem aérea, hospedagem e inscrição no festival.

Os profissionais que compõem o júri serão divulgados esta semana. No prêmio, serão contempladas peças veiculadas entre 1º de abril de 2017 e 31 de março de 2018 , em impresso, na edição digital de O Estado de S. Paulo (portal, tablet, mobile ou TV Estadão); na Radio Estadão ou na Rádio Eldorado. A agências poderão se inscrever gratuitamente no site a partir desta segunda-feira. O julgamento das campanhas acontecerá no período entre 9 de abril e 8 de maio, quando serão anunciados os vencedores.

Na mesma ocasião, será divulgado o Mídia do Ano, que escolherá um entre três profissionais indicados. O vencedor será escolhido ao longo de março por dois mil profissionais de mídia do mercado. Em relação ao Festival de Cannes, o Estadão também apoia agências com a inscrição dos trabalhos, registro de delegados e esclarecimento de dúvidas.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • estadao

  • fakenews

  • jornalismo

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”