Sinergia marcou reestruturações recentes da Abril

Buscar

Mídia

Publicidade

Sinergia marcou reestruturações recentes da Abril

Gestão de Walter Longo tentou aproximar áreas como ABC, ABD, licenciamentos, assinatura e conteúdo em prol de buscar novas receitas

Luiz Gustavo Pacete
14 de novembro de 2017 - 8h19

A notícia da saída de Walter Longo da presidência do Grupo Abril, oficializada na manhã desta segunda-feira, 13, inicia uma nova fase do período de reestruturações recentes do grupo. Arnaldo Figueiredo Tibyriçá, vice-presidente jurídico da Abril há 15 anos, assume a posição. Longo assumiu a direção da empresa em fevereiro de 2016 e fez várias tentativas de integrar as diversas áreas para trazer novas receitas e modelos de negócios.

Assim que assumiu, em entrevista ao Meio & Mensagem, ressaltou o foco em aproveitar o potencial que já existia na empresa, mas não estava conectado. “Meu cliente terá a possibilidade de ter um pacote de comunicação completo. Uma campanha de publicidade seguida de e-mail marketing na qual vou falar com cada assinante e isso passa a ter muito valor dentro do ABD e do ABC, um profit center rentável que venha ajudar nessa adição”, disse Walter.

Em agosto do ano passado, o grupo lançou seu novo posicionamento relacionado a esse tema. Com o slogan “Bem-vindo à indústria do conhecimento”, a empresa ressaltou a sinergia entre suas áreas: Mídia, Assinaturas, Print, Total Express, Licensing, Casa Cor, Abril BrandedContent (ABC) e Abril Big Data (ABD). “Estamos focados em trabalhar as potencialidades individuais de cada um desses pilares e otimizar essa força por meio da combinação de suas expertises e integração entre as unidades. Acreditamos que isso nos permite atender os novos desafios do mercado”, disse Walter Longo à época.

“O mundo publicitário cometeu um grande equívoco quando chamou determinado grupo de anunciantes. Isso deu a falsa impressão de que a função das pessoas era anunciar e não é essa a função das empresas. No fundo, o que a marca quer é desenvolver e vender produtos e é isso que queremos atender”, disse Walter. De forma concreta, esse novo posicionamento incluiu lançamentos de novos modelos como o GoBox, marketplace de clubes de assinatura.

Neste período, a empresa também comprou plataformas como a Nerd Monster, especialista em inteligência de mercado, marketing digital para varejo e soluções de realidade virtual e parte da operação do Guiato, sistema para distribuição de catálogos e folhetos promocionais com base na localização. Longo também retomou alguns títulos outrora transferidos para a editora Caras como Arquitetura e Construção, Minha Casa, Placar, Você RH e Você S/A. Além disso, a empresa criou uma série de eventos, lançou pesquisas e desenvolveu outras formas de novos negócios.

O desafio financeiro

Em dezembro de 2015, dois meses antes de Walter Longo assumir o Grupo Abril, em entrevista ao Meio & Mensagem, Alexandre Caldini, o então presidente da empresa, falava sobre a nova fase financeira. Na ocasião, a família Civita realizou um aporte de R$ 450 milhões no grupo. Na época, a empresa havia repassado 17 títulos para a Editora Caras, com um foco direto em reestruturação. E reduzido em 2% o quadro de funcionários.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • abril

  • gestão

  • negocios

  • walterlongo

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”