Ad Age divulga lista dos publishers de destaque em 2018

Buscar

Mídia

Publicidade

Ad Age divulga lista dos publishers de destaque em 2018

Lista aponta veículos que tiveram bons resultados e iniciativas interessantes em produtos impressos e online, indicando também inovações em vídeo e podcasts

Karina Balan Julio
9 de janeiro de 2019 - 12h56

* Com informações do Advertising Age

Foto: Reprodução

Anualmente, o Advertising Age publica uma lista de veículos que se destacaram no ano anterior. Chamado Ad Age Magazine A-List, a lista este ano incorporou novas categorias além das revistas e jornais. Com o sucesso das extensões digitais dos negócios dos publishers tradicionais, além dos portais nativos digitais, a Publishers A-List 2019, como foi rebatizada, inclui pela primeira vez uma categoria de publishers digitais. A lista agrega também os veículos que foram destaque na produção de podcasts e vídeos nos Estados Unidos.

A lista celebra veículos que servem como inspirações de produção de conteúdo, bem como exemplos de modelos de negócio para o mercado.

Revistas

O Ad Age destacou a New York magazine como um exemplo de jornalismo de profundidade, cobertura sobre cultura e projetos personalizados para marcas. Já a The New Yorker, da Condé Nast, teve seu maior pico de circulação em 2018, com 1,27 milhões de assinantes. A receita advinda de vendas hoje responde por dois terços da receita total da publicação, que também duplicou seu investimento em jornalismo investigativo.

O Advertising Age também destacou a The New York Times Magazine pelas reportagens internacionais, jornalismo cultural e especiais temáticos, assim como a The New York Times Style Magazine. Por último, foi destacada a Wall Street Journal’s Magazine, que completou 10 anos em 2018 e teve em uma de suas edições, de setembro, o exemplar que gerou maior receita em sua história.

O melhor time executivo entre os publishers

O trio de executivos da Meredith Corp., Steve Lacy, Tom Harty e Jon Werther  foi escolhido como melhor time executivo entre as empresas de mídia americanas. Eles foram alguns dos responsáveis pela compra da Time Inc. em janeiro de 2018, pelo valor de US$2.8 bilhões. Com a incorporação de alguns títulos da marca, como a People, InStyle e Real Simple, a Meredith foi capaz de atingir uma audiência ainda maior.  Em 2018, a empresa ainda revendeu a Time para Marc Benioff, fundador da Salesforce, e a revista Fortune, que passou a ser controlada pelo executivo tailandês Chatchaval Jiaravanon.

Publishers digitais

Para destacar os publishers digitais, a lista geral do Ad Age considerou veículos digitais nativos e também aqueles oriundos de marcas tradicionais de jornais e revistas. A categoria também ganhou três subcategorias: Vídeo, Áudio e Podcasts e Eventos.

Na A-List geral de produtores de conteúdo digital, o Advertising Age destacou o portal The Atlantic, que teve um aumento de cerca de 22 milhões de visitantes únicos mensais em 2018. O portal também incorporou novos times de tecnologia e design. Entre os veículos digitais, o Ad Age também destacou a Bloomberg.com e a NYMag.com, que entre outras iniciativas aderiram a um paywall dinâmico com diferentes modalidades de pagamento e acesso; o BuzzFeedNews.com, que foi finalista de um prêmio Pulitzer; e o NewYorker.com, que teve incremento de 19 milhões de visitantes únicos.

O NYTimes.com, por sua vez, pela primeira vez ultrapassou a marca de 1 milhão de assinantes, crescimento que foi impulsionado pelas assinaturas digitais. A Wired conseguiu expandir suas editorias e implementou um paywall dinâmico em fevereiro do ano passado. Os portais do Washington Post e Wall Street Journal também aparecem na A-List: o primeiro tem impulsionado sua receita com o paywall, e o segundo tem utilizado big data para determinar o tipo e o volume de conteúdo que deve sugerir a cada assinante.

Vídeo

Uma das novas categorias da A-List de publishers é dedicada a produtores de vídeo. A última edição da lista destacou as produções do The New York Times, que aposta no formato para complementar seu jornalismo investigativo e cultural. Já o Vox consolidou seu formato de jornalismo explicativo e ultrapassou a marca de 5 milhões de assinantes no YouTube, além de ter lançado um programa de assinaturas para financiar seu núcleo experimental, o Vox Video Lab.

Outro destaque do ano foi o Bon Appétit, da Condé Nast, cujas séries originais e vídeos virais ultrapassaram 1 bilhão de visualizações a People, que intensificou sua produção de vídeo e lançou o programa “People Now” para o serviço de streaming People TV; e a Wired, que chegou a mais de 3 milhões de inscritos no YouTube e lançou os primeiros pilotos para sua plataforma de vídeo OTT.

Podcasts e Áudio

Na categoria de áudio e podcasts, a A-List ressaltou os podcasts temáticos do The New York Times, como o “The Daily” e “Popcast”. Também apontou os podcasts da The New Yorker, que se debruçam sobre temas políticos e temas como cultura e literatura. Os podcasts do veículo tiveram aumento de 3 milhões de downloads em 2018.

 

 

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • podcast

  • video

  • BuzzFeed

  • Salesforce

  • Advertising Age

  • Wired

  • Wall Street Journal

  • The New York Times

  • Washington Post

  • Condé Nast

  • People

  • Vox

  • time magazine

  • Meredith Inc.

  • New York magazine

  • NY Mag

  • Steve Lacy

  • Tom Harty

  • Jon Werther

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”