ponto de vista »


patrocínio »

ponto de vista Mídia »

Outros pontos »

  • Adilson Xavier


    + Leia mais
  • Mauro Segura


    + Leia mais



Milena Seabra
LEIA MAIS »
06  Mar   2012

Midia

O Brasil nunca leu tanto

Há alguns anos ouvi Nizan Guanaes dizer em uma palestra que nenhuma mídia seria capaz de substituir o jornal na construção de uma marca. Após isso, já ouvi grandes publicitários defenderem esse meio que vem se modificando e se reinventando a cada dia.

Hoje vivemos uma explosão de mídias e formas de contato com o consumidor, mas cada uma possui características particulares. Do meu ponto de vista, nenhuma delas entrega, de uma forma tão efetiva, atributos como credibilidade e opinião, como o jornal.

Tenho total consciência de quanto esse meio está sendo questionado no mundo todo, mas também tenho convicção de que nunca o brasileiro leu tanto jornal. Segundo o IVC, a circulação de jornais superou 4,4 milhões de exemplares diários, número recorde desde a criação do Instituto. É verdade que esse número ainda é pequeno, se comparado a países desenvolvidos, mas em 2011 tivemos um crescimento de 3,5% de circulação no país.

Isso sem falar da leitura digital. Em 2011, a circulação das edições digitais dos jornais teve um crescimento de 123% e se configura como uma tendência para o mercado de jornais, pois a internet deve continuar crescendo e os jornais ocupam cada vez mais esse espaço.

O fato é que a credibilidade dos jornais e a força que essa mídia tem na construção das marcas, como já dizia Nizan, estão hoje em diversas plataformas. O newspaper se consolida como News e o consumidor pode escolher como e quando receber a informação. Além da Web, os jornais estão conquistando cada vez mais espaço nos tablets e mobile, o que também deve ter um crescimento muito significativo nos próximos anos.

Interessante é perceber que apesar de vivermos em um ambiente no qual a informação pode ser considerada “commodity” e pode ser construída e distribuída por todos para todos, nunca se deu tanta importância para a fonte, para a marca e para a credibilidade. Nesse ambiente é cada vez mais importante separar o joio do trigo. Por isso, os jornais e suas grandes marcas têm cada vez mais valor e relevância.

Esse é o momento! Vivemos uma realidade muito favorável. Os jornais continuam tendo papel fundamental na construção de opinião, senso crítico e evolução da sociedade. Agora cabe aos anunciantes perceberem e aproveitarem a importância fundamental que os jornais têm na construção e posicionamento de suas marcas.  

* Milena Seabra é diretora corporativa de marketing do Grupo Paranaense de Comunicaçao (GRPCOM)
comments powered by Disqus