>>>>LINK >>> >>>ID >>

Sony investe na TV com assistente virtual

Buscar

Marketing

Publicidade

Sony investe na TV com assistente virtual

Empresa anunciou presidente para o Brasil e lançamentos que estão entrelaçados à internet das coisas

Sergio Damasceno Silva
16 de maio de 2018 - 16h16

Kenichiro Hibi assume como presidente do Brasil com a missão de elevar a participação das TVs e demais equipamentos audiovisuais premium (Crédito: Divulgação)

O mercado de televisores sempre está movimentado, seja pelo impulso dado pelos eventos globais como Olimpíada e Copa do Mundo (cuja edição deste ano comprova o aquecimento do setor), seja pelas novidades tecnológicas do aparelho que não param de chegar. Não à toa, as vendas dos televisores cresceram 24% de 2016 para o ano passado. No mesmo período, a expansão dos aparelhos com tecnologia 4K (com resolução quatro vezes superior ao full HD) foi de 79%, o que comprova que as pessoas são ávidas por tecnologia. Ainda, a chegada da smart TV, que permite o uso de aplicativos e o acesso à internet, ajudou a ampliar a venda dos televisores. Este ano, no mundo, as smart TVs deverão somar 759 milhões de equipamentos. E 97% desses dispositivos são embarcados com serviços de streaming como Netflix e YouTube, dois players que são, também, grandes responsáveis pela movimentação no segmento de televisores.

Nesta quarta-feira, 16, a Sony adicionou mais opções desses aparelhos com o lançamento de linhas de TV e outros equipamentos que se unem ao ecossistema do audiovisual como projetores para home theater (também em 4K), mini systems, som portáteis, headphones e outros dispositivos. Em comum, todos têm conectividade (via Bluetooth, por exemplo) e elementos como leitura de gestos (para equipamentos de som).

Mas é com os televisores que a Sony se conecta ao mundo da inteligência artificial (IA) e da internet das coisas (IoT). Os aparelhos da marca são embarcados com o Android TV, sistema operacional do Google que, mundialmente, equipa mais de dois bilhões de dispositivos (entre celulares, TVs e tablets, por exemplo). Nos Estados Unidos, os assistentes virtuais estão presentes em 42% dos televisores. Baseados em IA, como o Google Assistant, permitem comandos e busca por voz, controlam a iluminação do ambiente (automação residencial) e são capazes de fazer pedidos diretamente pela TV (no mercado americano, é possível pedir PizzaHut e chamar o Uber pelo aparelho). No Brasil, embora os televisores da Sony cheguem ao varejo com essa tecnologia embarcada, o serviço equivalente do Google Assistant ainda não está disponível. Tecnologia equivalente está disponível em algumas linhas da LG também.

A Sony também apresentou publicamente, pela primeira vez, o novo presidente no País, Kenichiro Hibi, cuja missão é reforçar o posicionamento da empresa no segmento premium (de TV e dos demais equipamentos de audiovisual). Com quase 30 anos de carreira na Sony, o executivo passou pelo Japão, México, Estados Unidos, Rússia e Índia. Agora, como principal dirigente da Sony no Brasil, afirma que “cada mercado se diferencia por uma cultura comercial diferente”. Hibi diz que a internet das coisas é uma realidade para as TVs inteligentes e também para os equipamentos de áudio e dispositivos móveis. A Sony é atendida no País pela agência David e, segundo o gerente de marketing e comunicação, Marcelo Gonçalves, a comunicação será feita com duas campanhas: para a linha premium de smart TV XBR, com os benefícios possibilitados pelo sistema Android TV e para os equipamentos com a tecnologia X-Protection PRO (contra a umidade, poeira, relâmpagos e surtos elétricos). Essas campanhas, diz Gonçalves, serão veiculadas no digital, rádio e TV paga.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Kenichiro Hibi

  • Marcelo Gonçalves

  • Sony

  • minisystens

  • projetores

  • smart TV

  • TV

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”