Executivo da Volkswagen é preso por fraude nos EUA

Buscar
background_opel

Últimas notícias

Publicidade

Executivo da Volkswagen é preso por fraude nos EUA

Oliver Schmidt, ex-executivo da marca, foi preso por fraude nos EUA acusado de conspirar contra o governo


10 de janeiro de 2017 - 17h33

Acusado de conspiração para fraudar os Estados Unidos com o “dieselgate”, caso de alteração em dados relacionados a veículos poluentes, o ex-executivo da Volkswagen, Oliver Schmidt, que comandou o departamento de compliance regulatório da empresa nos EUA de 2014 a março de 2015, foi preso no último sábado, 7, pelo FBI no aeroporto de Miami, na Flórida.

O caso está relacionado à admissão, por parte da Volks, em setembro de 2015, que veio a público informar que tinha instalado um software em 475 mil carros com motores 2.0 a diesel nos EUA para fraudar testes de emissão de poluentes e fazer os modelos parecerem mais limpos. Na verdade, os veículos emitiam poluentes em um nível até 40 vezes acima do permitido pela lei. No mundo inteiro, a fraude, que acontecia desde 2006, atingiu 11 milhões de veículos. No Brasil, apenas a picape Amarok foi afetada.

“Eu não estou ciente de qualquer irregularidade da minha parte”, comentou o antigo CEO da empresa Martin Winterkorn, na época que a informação sobre a adulteração foi divulgada pela empresa. O executivo acabou acusado na segunda-feira, 9, de saber sobre a fraude e não reportar às autoridades. Schmidt é o segundo funcionário da empresa a ser preso por ter envolvimento com a fraude. Em outubro, o engenheiro James Robert se declarou culpado das alegações de que teria conspirado para fraudar o governo.

“A Volkswagen continua a cooperar com o Departamento de Justiça enquanto trabalhamos para resolver as questões pendentes nos Estados Unidos. Não seria apropriado comentar sobre qualquer investigação em andamento ou discutir questões pessoais”, afirmou a empresa em comunicado ao The New York Times.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Volkswagen

  • fraude

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”