Brahma reestreia mobiliário de SP

Buscar

Comunicação

Publicidade

Brahma reestreia mobiliário de SP

Abrigos de ônibus recebem a primeira campanha, marcando o retorno da exploração comercial dos espaços urbanos

Bárbara Sacchitiello
1 de abril de 2013 - 3h19

A Brahma é o primeiro anunciante a explorar a nova fase do mobiliário urbano de São Paulo. As peças da campanha “Movimento por um Futebol Melhor”, já lançada pela Ambev e assinada pela Africa, começam a ser espalhadas pelas estruturas dos novos abrigos de ônibus da cidade a partir desta semana. Por enquanto, os anúncios podem ser vistos nos pontos dos bairros do Itaim Bibi, Jardim Paulista, Perdizes e Moema.

Conforme noticiado pelo Meio & Mensagem no início do mês de fevereiro, a Ambev e a Net foram os primeiros anunciantes a adquirir as cotas de patrocínio para aparecer no novo mobiliário urbano de São Paulo. O modelo comercial foi proposto pela Ótima, empresa resultante do consórcio Pra SP – formado por Odebrecht, Grupo Bandeirantes, Kalítera Engenharia e APMR Investimentos e Participações – vencedor da licitação para a montagem, desenvolvimento e exploração comercial dos abrigos e pontos de ônibus da cidade de São Paulo.

A Ótima é responsável pela substituição de 6,5 mil abrigos antigos e pela implantação de mil novos, além da instalação de 12,5 mil totens e conservação das calçadas ao redor. O investimento total é calculado em R$ 636 milhões e esse trabalho deverá ser concluído em 36 meses.
 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”