“A mídia é o único setor capaz de mudar o mundo da noite para o dia”

Buscar

Comunicação

Publicidade

“A mídia é o único setor capaz de mudar o mundo da noite para o dia”

Madeline Di Nonno, CEO do Geena Davis Institute on Gender in Media e presidente do júri do Glass Lions, aposta no potencial da publicidade no combate às injustiças sociais

Isabella Lessa
20 de junho de 2016 - 16h27

dinonno-1-300x300

Madelina Di Nonno (Crédito: Divulgação)

Encontrar a conexão entre o negócio das marcas e a mensagem sobre as injustiças sociais é o grande desafio dos anunciantes, na visão de Madelina Di Nonno, CEO do Geena Davis Institute on Gender in Media e presidente do júri do Glass Lions. Para ela, campanhas como a vencedora do GP, a “6 Pack Band”, criada pela Mindshare de Mumbai, são um exemplo de como abraçar causas globais. Realizado para o Brooke Bond – Red Label Tea, da Unilever, uma marca de 113 anos, o projeto conseguiu unir cultura pop e entretenimento para tratar uma questão séria: a violência contra mulheres trans.

Em entrevista ao Meio & Mensagem logo após a coletiva de imprensa que anunciou os vencedores das categorias Promo, Direct e Glass, a profissional comentou o aumento da participação das mulheres no júri e o desempenho das marcas que se preocupam com causas sociais:

Meio & Mensagem – Neste ano, 40% do júri é formado por mulheres. Como avalia essa representatividade? Acha que o festival pode melhorar?
Madeline Di Nonno – O júri de Glass foi praticamente todo composto por mulheres: apenas três homens. Esse cenário pode melhorar muito ainda. Não apenas no Festival de Cannes, mas em vagas de emprego e cargos na política as mulheres sentem que precisam ser convidadas, em vez de levantarem a mão e tomarem a iniciativa. Acredito que existe uma iniciativa agressiva em Cannes de convidar mulheres que talvez não ocupem cargos sêniores com o intuito de misturar com pessoas mais veteranas. Isso é uma mudança drástica e de grande importância.

M&M – O Glass é uma categoria nova, está em seu segundo ano. Como avalia a evolução dos trabalhos inscritos nesse ano?
Madeline – No ano passado foi fenomenal. Um de nossos jurados, Josy Paul, chairman e chief creative officer da BBDO Índia, ganhou um Glass com a campanha “Touch the Pickle”, feita para a P&G. O volume de trabalhos inscritos nesse ano foi fantástico, então julgar os melhores cases foi uma tarefa desafiadora para nós. Todos são emocionantes e tratam de assuntos muito sérios, foi algo muito intenso.

M&M – Além do Grand Prix, a Índia ganhou outros dois Leões em Glass. O país é conhecido pelas injustiças e violências cometidas contra a mulher. Os cases premiados sinalizam uma mudança no mindset dos indianos? Na sua opinião, qual país está mais avançado nessas questões?
Madeline – Sabemos, através de pesquisas realizadas pelo Geena Davis Institute, que as pessoas, particularmente aquelas que são grandes consumidoras de entretenimento, possuem mais consciência e são mais preocupadas em abraçar causas como a igualdade de gênero. Nos EUA existem iniciativas significativas em torno do tema, pois no país ainda existe muita injustiça social. Particularmente nos EUA, diria que a mídia está tomando as rédeas e tem o poder de mudar esse cenário, afinal a mídia produzida em território norte-americano domina o consumo mundial. Então, o país tem uma grande oportunidade em termos de casar conteúdo e questões sociais.

M&M – Qual é o próximo passo para as marcas que já concentram esforços em questões sociais?
Madeline – Acredito que as marcas têm um histórico de filantropia há anos. A oportunidade de propagar mensagens a favor de causas sociais sempre existiu. O que elas devem fazer agora é atrelar a mensagem da marca à causa em questão ao invés de somente apoiar doações para instituições de caridade. É justamente aí que temos visto trabalhos incríveis surgindo.

Acompanhe a cobertura completa no hotsite especial do Cannes Lions 2016.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”