Urso polar da Coca-Cola ganha amigos para retratar diversidade

Buscar

Comunicação

Publicidade

Urso polar da Coca-Cola ganha amigos para retratar diversidade

Criada pela agência alemã Heimat, campanha traz à tona animais da mesma espécies, mas de continentes diferentes, bebendo o produto da marca juntos


15 de março de 2019 - 15h37

Em prol da diversidade, a Coca-Cola apresenta seu icônico urso polar branco ao lado de animais da mesma espécie e de continentes diferentes — pardo, preto e panda. Criada pela Heimat, de Berlim, na Alemanha, campanha expõe os ursos bebendo juntos e a frase “Nós podemos parecer diferentes. Mas, há mais que nos une do que nos divide”.

 

Há quase cem anos, o urso polar integra campanhas de Coca-Cola (crédito: reprodução)

O personagem, que protagoniza diversas comunicações de Coca-Cola há quase cem anos, aparece pela primeira vez com amigos e abordando um assunto como a multiplicidade de culturas. Segundo a agência responsável pela campanha, a ideia da comunicação veio após a marca de refrigerante e Heimat perceberem que, há anos, os anúncios de Coca-Cola mostravam apenas os ursos polares.

A veiculação da campanha da marca de refrigerante conta com mídia out-of-home, baseada em cartazes e pôsteres digitais espalhados em estações de trem em Berlim.

*Crédito da foto no topo: divulgação

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Coca-Cola

  • Heimat

  • comunicacao

  • Campanha

  • diversidade

  • coca-cola

  • ooh

  • Urso polar

  • Heimat

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”