Criticada na internet, Calvin Klein pede desculpas por anúncio

Buscar

Comunicação

Publicidade

Criticada na internet, Calvin Klein pede desculpas por anúncio

Vídeo que mostrava beijo entre Bella Hadid e influenciadora virtual Lil Miquela foi considerada oportunista pela comunidade LGBTQ+


21 de maio de 2019 - 6h00

Modelo Bella Hadid beija a influenciadora-robô, Lil Miquela: marca foi acusada de praticar o queerbaiting (Crédito: reprodução)

A publicidade da Calvin Klein sempre foi provocadora. Nos anos 1990, várias modelos ficaram famosas depois de aparecerem de topless nos anúncios da marca (entre elas, a top Kate Moss). Ações assim também já trouxeram à marca acusações como a de glamorizar o uso de drogas ou fazer alusão à pornografia infantil.

Agora, outra estratégia de marketing da Calvin Klein volta a gerar debate. Um anúncio veiculado nas mídias sociais da marca nos Estados Unidos, que mostrava um beijo entre a modelo Bella Hadid e a influenciadora virtual Lil Miquela (que existe apenas no Instagram, onde acumula mais de 1,5 milhão de seguidores), gerou muitas críticas entre os consumidores e obrigou a marca a fazer um posicionamento oficial, desculpando-se pela escolha.

Logo após o vídeo ter ido ao ar, na semana passada, a Calvin Klein foi acusada de praticar “queerbaiting”, termo utilizado para explicar uma estratégia midiática que faz uso de elementos, como personagens ou situações que chamam a atenção do público LGBTQ+, de forma não genuína. Nesse caso, as críticas se apoiam no fato de que Bella Hadid, a modelo escalada para a campanha, ser declaradamente heterossexual. Na cena, enquanto interage com a influenciadora virtual – e a beija – Bella diz, em uma narração, a frase: “Viver é abrir portas, criar novos sonhos que você nem sabia que poderiam existir”. Assista:

Após as críticas, a Calvin Klein foi ao Twitter para se desculpar, destacando que o conceito da campanha tinha a intenção de promover a liberdade de expressão para uma ampla gama de identidades e que o beijo entre a modelo e a influenciadora virtual foi inserido para “desafiar os estereótipos convencionais da publicidade”.

“Nós entendemos e reconhecemos que uma pessoa que se identifica como heterossexual beijar outra do mesmo sexo pode ser percebido como queerbaiting. Como uma companhia com longa tradição em militar pelos direitos LGBTQ+, certamente não foi nossa intenção deturpar a representação da comunidade LGBTQ+”, escreveu a Calvin Klein, em seu perfil oficial no Twitter. A peça publicitária faz parte da campanha “I Speak My Truth in #MyCalvins”.

 

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Polêmica

  • Calvin Klein

  • Bella Hadid

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”