Havaianas lança campanha com cenas de Stranger Things

Buscar

Comunicação

Publicidade

Havaianas lança campanha com cenas de Stranger Things

Comercial da marca tenta provar que “o país do chinelo invertido” é mais estranho que “a cidade do mundo invertido”

Renato Rogenski
26 de junho de 2019 - 12h56

(Crédito: reprodução)

Se transformar suas séries em produtos é um desafio para o Netflix, algumas produções começam a expandir seus contratos de licenciamento. A Havaianas, por exemplo, acaba de lançar dois modelos de sandálias com as estampas de “Stranger Things”. Mais do que isso, com criação da AlmapBBDO, a marca acaba estrear uma campanha temática às vésperas da estreia da terceira temporada da atração.

O filme se propõe a provar que o Brasil dos anos 80 era ainda mais estranho que Hawkins, a cidade onde se passa a trama. Enquanto a região fictícia era ameaçada por coisas impensáveis em 1985, no Brasil, na mesma época, uma onda tomava conta do país: inverter o solado das Havaianas, para que as cores das tiras e da sola ficassem iguais. A produção é da Cine. 

Há alguns dias, a Nike também anunciou o lançamento de uma coleção de tênis, roupas e acessórios inspirada na série. O início das vendas está previsto para o próximo dia 27 de junho, quinta-feira. No Brasil, a comercialização dos produtos será realizada apenas no e-commerce da Nike e na loja física da Guadalupe, em São Paulo.

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Campanha

  • AlmapBBDO

  • havaianas

  • Stranger Things

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”