Corta! lança filme contra assédio no audiovisual

Buscar

Comunicação

Publicidade

Corta! lança filme contra assédio no audiovisual

Criado pela Apro em 2017, Pacto de Responsabilidade Antiassédio no Audiovisual apresenta campanha criada pela Leo Burnett TM e firma parceria com o #MeTooBrasil


23 de setembro de 2020 - 19h28

(Crédito: Divulgação)

O Corta, Pacto de Responsabilidade Antiassédio no Audiovisual criado em 2017 pela Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (Apro), lançou, nesta quarta-feira, 23, uma campanha que reforça a urgência pela mudança de comportamento na indústria audiovisual contra o assédio sexual. Criada pela Leo Burnett Tailor Made, a campanha apresenta três filmes baseados em histórias reais de abuso, mas que poderiam ser tramas de ficção com doses de suspense.

“Apartamento”, “Hotel” e “Camarim” retratam situações de comportamentos abusivos que aconteceram em festas, eventos oficiais do mercado e dentro de sets de produção, com diretores, produtores, atores e outros profissionais envolvidos com o audiovisual. Ao final de cada filme, aparece a seguinte mensagem: “Isto não é um roteiro. Isto é uma história real. Isto precisa ter fim. CORTA!, um movimento contra o assédio na indústria do audiovisual”.

Para lançar a campanha, a Apro mobilizou suas produtoras associadas e entidades do setor para fazer uma manifestação coletiva nas redes sociais. Nesta quarta, 23, produtoras, entidades, diretores, atores e outros profissionais do audiovisual se manifestaram por meio do Instagram e do Twitter para promover a conscientização dos abusos cometidos na indústria audiovisual.

Com o intuito de fortalecer o movimento, a entidade também firmou parceria com o #MeTooBrasil, braço independente do movimento lançado nos EUA formado por um grupo de advogadas especialistas no enfrentamento da violência baseada no gênero. O grupo está atuando com o Projeto Justiceiras para acolher as vítimas de violência sexual, dando visibilidade, apoio, orientação e suporte para meninas e mulheres que passam por situações de abuso.

*Crédito da imagem no topo: Divulgação

Publicidade

Compartilhe