Apesar da crise, varejo online cresce no Brasil

Buscar

Marketing

Publicidade

Apesar da crise, varejo online cresce no Brasil

Setor deve movimentar R$ 44,6 bilhões até o final de 2016 de acordo com relatório WebShoppers, realizado pela E-bit/Buscapé


25 de fevereiro de 2016 - 4h19

O comércio eletrônico deve movimentar R$ 44,6 bilhões até o final de 2016, o que representa um acréscimo nominal de 8% em relação ao ano passado, cujo crescimento foi de 15% no faturamento, movimentando R$ 41,3 bilhões. Essa é umas das previsões para o setor de acordo com a 33ª edição do relatório WebShoppers, levantamento realizado pela E-bit/Buscapé, unidade especializada em informações de comércio eletrônico do Buscapé Company.

Segundo a pesquisa, apesar da instabilidade econômica, o ano de 2015 trouxe resultados positivos para o setor como o aumento das vendas feitas por dispositivos móveis, que passaram a representar 12% do faturamento, na média do ano, e 14,3%, em dezembro. O número de consumidores que realizaram pelo menos uma compra via Internet chegou a 39,1 milhões, volume 3% maior, se comparado a 2014. A quantidade de pedidos cresceu 3%, atingindo 106,2 milhões. Já o tíquete médio das compras ficou em R$ 388, valor 12% mais alto, se comparado a 2014. Para 2016, estima-se que o tíquete médio das compras gire em torno de R$ 419, crescimento de 8% em relação a 2015. Outro destaque do ano passado foi a elevação no NPS (Net Promoter Score), que mensura a satisfação e a fidelizac?a?o dos clientes no comércio eletrônico, resultado da diminuição no atraso das entregas e da melhoria dos serviços prestados pelas lojas.

A pesquisa também apresenta o resultado de estudos específicos sobre compras em sites estrangeiros (cross-border), omnichannel e a análise de preços do Índice FIPE/Buscapé. 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”