AO VIVO

SAP NOW CX

José Vinagre e Bruno Nardon falam sobre o novo cenário digital, no evento SAP Now CX, a partir das 14:30

Uma imagem vale mais…

Buscar

Marketing

Publicidade

Uma imagem vale mais…

Instagram e YouTube se destacam entre mídias sociais no segundo trimestre, de acordo com o Mídias Sociais 360º, desenvolvido pelo núcleo de inovação em mídia digital da FAAP

Roseani Rocha
22 de julho de 2016 - 16h38

YouTube_575

YouTube: cada vez mais presente nas estratégias de comunicação das marcas (Reprodução YouTube)

As 100 principais marcas brasileiras presentes em redes sociais tiveram crescimento médio de 95.180 seguidores no Instagram contra média de 77.168 do trimestre anterior. Um crescimento significativo também foi registrado no YouTube: a média de inscritos nos canais dessas marcas foi a 50.184 pessoas, sendo que de janeiro a março  a média das marcas com mais interações no YouTube era de 36.313.

Os dados são do estudo Mídias Sociais 360º (#MS360FAAP), desenvolvido pelo Núcleo de Inovação em Mídia Digital (NiMD) da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) em parceria com a Socialbakers.

Por si, os números evidenciam o fato de que está consolidada nas redes sociais a força das imagens e dos vídeos, em particular no YouTube.“Essa tendência vem dos canais de pessoas, os famosos youtubers. Por conta disso, muitas marcas vêm usando mais esses influenciadores digitais em suas ações”, explica em comunicado o professor Thiago Costa, coordenador do curso de pós-graduação, em Gestão da Comunicação e Marketing Digital da FAAP e um dos pesquisadores envolvidos no estudo.

Outros destaques do estudo apontam o Facebook como a rede com mais usuários e o aumento de sua relevância como veículo de comunicação. A média de interações na categoria “Mídia/Notícias” era de 5.333.678 no segundo trimestre de 2014 e no mesmo período deste ano chegou a 9.268.189. No segmento de e-commerce, outro fenômeno significativo: o tempo médio que as marcas demoravam para responder aos usuários no Facebook caiu de 22 horas e 52 minutos, no primeiro trimestre, para 5 horas e 4 minutos, no 2º trimestre.

Embora tenha diminuído o número de novos usuários no Twitter, o serviço segue também como rede social considerada relevante pelas marcas.

Detalhes do estudo podem ser acessados no infográfico disponível neste link.

Publicidade

Compartilhe