Parklets engajam marcas na prática da gentileza urbana

Buscar

Marketing

Publicidade

Parklets engajam marcas na prática da gentileza urbana

Mais de 15 anunciantes já patrocinaram os espaços urbanos de convivência da cidade de São Paulo; empresa responsável pelas instalações quer aumentar parcerias

Bárbara Sacchitiello
14 de setembro de 2016 - 8h20

Parklet-destaque

Um dos parklets instalados em São Paulo (Crédito: Divulgação/Contain (it))

Ocupada maciçamente por carros, as ruas de São Paulo passaram a ter, desde 2013, espaços fixos de convivência para as pessoas. Com plantas, bancos de madeira e conexão wi-fi, os parklets já se tornaram pontos conhecidos da paisagem da megalópole e começam, também, a ganhar mais visibilidade como plataformas de mídia.

Atualmente, a cidade possui 89 parklets instalados em diferentes bairros. Desses, 45 são administrados pela Contain (it), hub de soluções que combinam arquitetura, urbanismo e design, que vem enxergando um aumento do interesse dos anunciantes pelos espaços urbanos. “As marcas vêm percebendo, de certa forma, que estar presente nesses espaços é uma maneira positiva de se aproximar do público. A ideia de poder expor sua marca e ainda fazer uma gentileza urbana, proporcionado lazer e entretenimento aos moradores da cidade, é muito positiva”, comenta Arthur Norgren, CEO da Contain (it).

A empresa é responsável pela instalação, administração e negociação de patrocínio de parte dos parklets colocados na cidade. A atuação da companhia no projeto começou em 2013, quando a ideia de criar espaços de convivência já estava nos planos da prefeitura e um grupo de designers desenhou os primeiros espaços, em caráter experimental. Regulamentada pela prefeitura de São Paulo no início de 2014, a instalação de parklets pode ser realizada a partir da demanda de qualquer munícipe, que deve fazer a solicitação à administração, que irá analisar as condições de instalação do espaço no local requerido.

A participação das marcas no projeto acontecem de duas formas, segundo Arthur. “As empresas podem tanto encomendar projetos de parklets, construindo espaços padronizados, com suas cores e características, ou podem simplesmente patrocinar os parklets já instalados, fixando sua marca em um espaço determinado pela Lei Cidade Limpa, na instalação”, explica.

Até o momento, a Contain (it) já fechou contratos de patrocínios de parklets para marcas como Brahma, Chilli Beans, Cyrela, Heineken, Dorflex, Mate Leão, Idea Zarvos e outras. “Muitas marcas e alimentos e bebidas acham interessante patrocinar espaços próximos a bares e restaurantes pois isso acaba influenciando até no consumo dos produtos”, opina o executivo.

Ocupação da periferia
Embora a Prefeitura tenha feito esforços para levar os parklets para as diversas regiões da cidade (em junho, a administração anunciou que irá custear a instalação de 32 parklets públicos fora do centro expandido da capital paulista), as regiões mais nobres ainda acabam concentrando quase que a totalidade dos espaços. Veja no mapa:

Parklet-SaoPaulo

Pontos amarelos, que representam os parklets patrocinados, estão concentrados nas zonas Oeste e Central da Cidade. Pontos vermelhos são espaços custeados pela prefeitura (Crédito: gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br)

Na opinião de Arthur, as marcas que conseguirem enxergar essa demanda e patrocinarem parklets em outros bairros certamente terão resultados positivos. “Temos pesquisas que mostram que os índices de aprovação dos parklets chegam a 90%. A rua deixa de ser apenas um ponto de circulação e acaba sendo destino das pessoas, o que contribui para o aumento dos negócios locais e até da segurança. Tornar as ruas mais humanas é um importante argumento para as vendas”, acredita.

Com a proposta de ampliar a quantidade de espaços instalados em São Paulo – instalando cinco ou seis novos parklets por mês – a Contain (it) também planeja levar a iniciativa a outras cidades. A empresa também já atua em Goiânia (GO) e em Jundiaí, no interior de São Paulo e prevê uma expansão de mercado em diversos municípios que já começam os planos de regulamentação da iniciativa.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Arthur Norgren

  • Contain (it)

  • são paulo

  • Cidades

  • Humanização

  • Ruas

  • Parklets

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”