Embraer e Boeing entram em acordo

Buscar

Marketing

Publicidade

Embraer e Boeing entram em acordo

Empresas aguardam aprovação do governo brasileiro para tratado sobre aviação comercial


17 de dezembro de 2018 - 11h46

Embraer: as duas joint ventures com a Boeing devem ser concluídas no próximo ano (Crédito: Reprodução site Embraer)

Nesta segunda-feira, 17, a brasileira Embraer e a americana Boeing anunciaram a aprovação dos termos de uma parceria estratégica para criação de uma joint venture com foco na aviação comercial da Embraer. A Boeing, pelo valor de US$ 4,2 bilhões, terá 80% de participação e a Embraer, de 20%, mas as companhias somente assinarão o acordo após a aprovação do governo brasileiro e, na sequência, dos acionistas, o que se espera que ocorra em 2019.

Segundo o comunicado, a joint venture gerará sinergias anuais de US$ 150 milhões, antes de impostos, até o terceiro ano da operação. Após isso, a empresa formada será liderada por uma equipe de executivos sediada no Brasil – incluindo um presidente e CEO. Essa empresa, no entanto, será comandada pela Boeing e seus executivos responderão a Dennis Muilenburg, presidente e CEO da Boeing. À Embraer caberá algumas decisões ditas estratégicas, como sobre a transferência das operações do Brasil.

Muilenburg ressaltou a colaboração de mais de 20 anos entre as duas empresas. Já o presidente e CEO da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, afirmou estar confiante no valor da parceria para o Brasil e a indústria aeroespacial brasileira como um todo. “Esta aliança fortalecerá ambas as empresas no mercado global e está alinhada à nossa estratégia de crescimento sustentável de longo prazo”, afirmou.

No mesmo comunicado, a Embraer também anunciou a formação de uma segunda joint venture com a empresa americana para desenvolver novos mercados para o avião militar KC-390. A Embraer deterá 51% de participação e a Boeing, 49%. Também neste caso o acordo deverá ser aprovado pelo governo brasileiro e confirmado pelo Conselho de Administração da Embraer. Se tudo correr nos prazos previstos pelas empresas, o negócio será concluído no final do próximo ano.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Dennis Muilenburg

  • Paulo Cesar de Souza e Silva

  • Boeing

  • Embraer

  • KC-390

  • joint venture

  • aviação comercial