Coala Festival quer ampliar presença em SP

Buscar

Marketing

Publicidade

Coala Festival quer ampliar presença em SP

Edição deste ano promete eventos em casas noturnas de São Paulo antes da programação principal

Thaís Monteiro
14 de junho de 2019 - 18h09

Em 2018, o Coala Festival realizou um cortejo de carnaval ao final da programação pela capital paulistana até o metrô. Este ano, a sexta edição do evento espera movimentar ainda mais São Paulo. Os sócios Gabriel Andrade e Thiago Custódio anunciam festas por casas da cidade na semana do festival que acontece em 7 e 8 de setembro no Memorial da América Latina.

 

Festival também ganha nova estrutura no Memorial da América Latina com ativações e bares mais voltados ao palco (Crédito: Divulgação/Coala Festival)

A ideia é trazer mais impacto positivo para a cidade e isso também deve nortear os planos dos patrocinadores. Estão associados ao Coala Festival deste ano marcas como Nike, Amstel (cerveja oficial), Natura Musical, Digio e Uber Eats. No apoio estão Jameson e TNT; o Spotify é o player oficial do evento e a TotalAcesso.com faz a venda. Esta é a primeira vez que a Amstel e o Uber Eats patrocinam o Coala.

“Nós, do Coala, queremos conseguir manter relações a longo prazo. Acreditamos que essa construção é boa para o festival, a marca e o público. Temos quase o mesmo número de patrocinadores desde que começamos”, afirma Thiago. Thiago adianta que as ativações das marcas incluem um calendário pré, durante e pós-evento e estarão presentes também no digital. Outra mudança está na estrutura do festival: os bares e espaços de patrocinadores estarão mais voltados ao palco.

Cantos de diferentes cantos
Em 2018, o Coala foi reconhecido por seu line up bastante integrado a artistas negros. Este ano, embora a representatividade aconteça de forma orgânica, dizem os curadores, a programação é fortemente nordestina. O palco será dividido por  Elba Ramalho, BaianaSystem, Chico César, Maria Gadú, Duda Beat, Djonga, Mariana Aydar, Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz, Dona Onete, Josyara, Curumin, Geovana e Saulo Duarte, Afrocidade, Mestre Anderson Miguel e Renata Rosa e DJs ainda a serem anunciados.

“Em termos de conceito, estamos amadurecendo dentro desses cinco anos. Hoje, o festival já é importante no calendário musical. Esse ano o que a gente traz de diferente é um resgate de ritmos tradicionais e regionais e coisas mais ousadas. Não pensamos nisso, é um reflexo do que a gente acha que é bom. Exploramos mais a pluralidade dos ritmos brasileiros e sem perder a mão e agradar o público. Nós temos as mais pedidas, que são BaianaSystem, Duda Beat e Djonga, mas não deixamos de fazer encontros especiais como o de Elba Ramalho com Mariana Aydar, Chico César e Maria Gadú e outros”, comenta Gabriel Andrade.

Gabriel ainda anuncia que em 2020 e 2021 a empresa vai se dedicar mais a projetos como o Coala Records, plataforma de música que lançou o álbum Bluesman, de Baco Exu do Blues, no ano passado, junto à agência AKQA, a produtora Stink e a 999 Produções. O Coala fez a estratégia de lançamento do disco, a identidade visual, as peças de comunicação e participou da criação e realização do filme, dirigido por Douglas Ratzlaff Bernardt. Quando pensamos no Coala como gravadora, pensamos num funcionamento mais customizado e personalizado desde o processo de concepção até o lançamento e o pós, mas isso vai tomar corpo a partir do ano que vem”, diz Gabriel. A terceira frente de negócios da empresa é o Coala Lab, voltado para a experimentação e criação de projetos em diferentes formatos, sejam eventos, ativações ou conteúdos digitais.

**Crédito da imagem no topo: Divulgação/Coala Festival

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • música

  • patrocínio

  • spotify

  • nike

  • Amstel

  • TNT

  • Natura Musical

  • Coala Festival

  • Jameson

  • Uber Eats

  • Digio

  • Gabriela Andrade

  • Thiago Custódio

  • TotalAcesso.com

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”