Alana AI cresce entre as pequenas empresas e mira Europa

Buscar
Publicidade

Marketing

Alana AI cresce entre as pequenas empresas e mira Europa

Em 2021, a startup registrou um faturamento de R$ 21 milhões com clientes como Coca-Cola, Nivea e Polishop

Taís Farias
7 de fevereiro de 2022 - 6h01

Criada em 2015, a startup de inteligência artificial Alana AI tem planos para dobrar seu tamanho neste ano. Para a companhia, a receita para esse avanço está na expansão de suas operações na Europa, com destaque para Espanha e Portugal, e o foco nas pequenas e médias empresas, que devem se tornar a principal fonte de faturamento da companhia. A empresa, que oferece soluções de automação humanizada para o atendimento aos clientes, vem em uma trajetória de crescimento. Em 2021, a Alana registrou um avanço de 110%, com faturamento de R$ 21 milhões.

 

Segundo Marcel Jientara, CEO da Alana AI, pequenas empresas são a principal fonte do crescimento da startup (Crédito: Divulgação)

Nesse período, a inteligência artificial respondeu a mais de 570 mil interações nos canais dos 50 clientes, que incluem marcas como Coca-Cola, Nivea e Polishop. Segundo Marcel Jientara, CEO da Alana AI, a fonte desse crescimento é o acesso às pequenas e médias empresas. Desde 2020, a companhia vem trabalhando para tornar as soluções de inteligência artificial mais fáceis de implementar e, portanto, mais acessíveis às pequenas empresas.

A companhia, que se prepara para uma nova rodada de investimentos, recebeu aportes de fundos internacionais, que totalizaram US$ 4 milhões. Desse montante, a startup tem investido na pesquisa e desenvolvimento de novas funções e expansão em outros territórios. Uma das regiões estratégicas para companhia é o México, que deve ganhar um escritório da Alana AI. Com esse cenário, entre os desafios da startup, está a busca por talentos. Com a falta de financiamento público, a companhia vem atraindo acadêmicos e pesquisadores.

Para além do foco nas pequenas empresas, outra aposta da empresa é o idioma. A Alana foi desenvolvida em português e recriada em espanhol, posteriormente. Segundo o CEO, isso faz com o sistema se torne mais eficaz que os que trabalham com método de tradução. Nesse sentido, o plano da startup é continuar avançando em novos idiomas, mas a partir da recriação do sistema. A empresa que já teve as agências como clientes no passado, quer transformar as empresas em parceiras. Neste ano, a companhia lançará um projeto para trabalhar em colaboração com as agências, criando novos serviços e linhas de faturamento.

*Crédito da foto no topo:  Novendi Dian Prasetya/iStock

Publicidade

Compartilhe

Veja também