Mitos e verdades sobre a utilização de chatbots

Buscar

Mídia

Publicidade

Mitos e verdades sobre a utilização de chatbots

Fernando Tche, fundador da Outra Coisa, empresa especializada em mobile learning, aponta os desafios da evolução do uso de inteligência artificial por marcas

Luiz Gustavo Pacete
16 de janeiro de 2018 - 7h30

 

O maior desafio no uso dos chatbots é a interação com a base de dados das empresas

Nos últimos dois anos, os chatbots saíram da área técnica para povoarem as discussões sobre o uso da inteligência artificial no marketing. Apesar de sua popularização, no entanto, as marcas ainda vêm aprendendo a melhor forma de utilizar os bots de assistência virtual.

Fernando Tche, fundador da Outra Coisa, empresa especializada em mobile learning, afirma que o maior desafio na aplicação da tecnologia é a capacidade de integração entre os bots e a base de dados das empresas.

“Os chatbots possuem um potencial de engajamento orgânico e muito relevante, basta acertar a maneira como são aplicados e utilizados”, diz Fernando apontando os maiores desafios atuais relacionados à ferramenta.

Integração
O que observamos em vários casos é que os bots tiveram pouca integração com serviços da empresa no ano passado. Muitos funcionam como ações promocionais ou institucionais. É necessário que eles sejam integrados e que suas funções sejam cada vez mais transacionais. Os bots devem cumprir um papel importante no relacionamento de empresas com seus clientes.

Treinamento
Ainda existe pouca maturidade sobre o tema de inteligência artificial nos clientes, muitos acham que a IA é algo que “se pluga em uma tomada e sai funcionando”, sem a consciência que é necessário treinamento para ter inteligência artificial e o prazo de desenvolvimento não é curto. É necessário entender os diferentes tipos de bots e o tempo necessário para desenvolver inteligência artificial.

Engajamento
Os chatbots possuem um potencial de engajamento orgânico e muito relevante, basta acertar a maneira como ele é aplicado e utilizado. Ele pode, inclusive, potencializar uma audiência adormecida ou dialogar com públicos não habituados ou dispostos em interagir com a marca.

Educação
Pesquisas recentes que fizemos nas nossas aplicações mostraram o potencial dos chatbots também com foco em educação, o que pode ampliar ainda mais sua funcionalidade entre as marcas.

Assistência
O case em que trabalhos com Fanta, no ano passado, mostrou o potencial dos bots como assistentes de promoções. Foram mais de 2,7 milhões cupons de Fanta Guaraná gerado pelo bot da marca e que apoiaram toda uma base promocional.

Ampliação
Com a abertura do WhatsApp para projetos com empresas, o uso de chatbot na plataforma é uma possibilidade  esperada pelo mercado e que pode criar um novo marco na história da tecnologia de bots.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • digital

  • inteligencia artificial

  • chatbots

  • Coca-Cola

  • Fanta

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”