Spotify quer se aproximar do universo do K-pop

Buscar

Mídia

Publicidade

Spotify quer se aproximar do universo do K-pop

Plataforma cria conteúdo para potencializar gênero no Brasil em parceria com criadores de conteúdo e com o Twitter

Thaís Monteiro
29 de junho de 2020 - 15h45

O Spotify lançou nas redes sociais a Spotify Fanchant (#KpopFanchant), primeira campanha da plataforma de áudio focada em K-pop para a América Latina. A iniciativa conta com um grupo de embaixadores no Brasil composto por jornalistas, criadores de conteúdo e produtores de evento Anderson Vieira, Babi Dewet, Érica Imenes, Jovem Han e Mandy Candy e visa criar um vínculo com os fãs e potencializar a conversa sobre o gênero no continente.

O grupo já realizou lives no Twitter e lançou um desafio de lip-sync cuja proposta é fazer com que os artistas se envolvam com o conteúdo produzido pelos fãs. O desafio é para ser feito com uma das músicas da playlist Kpop Fanchant, feita com curadoria de Babi Dewet, escritora especialista no gênero musical. Para as próximas semanas mais conteúdos serão criados. A campanha será encerrada no final do terceiro trimestre.

O ponto de encontro desses conteúdos é o Twitter, parceiro do Spotify nessa empreitada, pois é a rede social em que os fãs mais dialogam sobre o universo desse gênero. Para consolidar essa conversa, as plataformas criaram um emoji com o símbolo de coração feito com os dedos que acompanha hashtag #FanchantChallenge no Twitter.

De acordo com Renata Lodi, diretora de marketing do Spotify na América Latina, a intenção do projeto é entender o aspecto cultural do K-pop e empoderar a comunidade. “A gente começou esse projeto com uma premissa muito legal porque a gente sabe muito pouco da imensidão desse gênero. Fizemos um estudo para entender as delicadezas e nuances de ser fã de K-pop. Investigar essa questão aspiracional, do amor próprio e confiança que os idols pregam e entender como jovens se conectam com isso e o que tudo isso significa. Nossa ideia é ter uma posição de empoderamento desses fãs e comunidade, mais do que ser uma nova voz”, explica.

A executiva diz que o K-pop tem a mesma expressão que o funk, o sertanejo e o pop internacional no Brasil e se conecta majoritariamente com jovens de 13 a 19 anos. O início da aproximação do Spotify com o gênero foi o lançamento do podcast original Kpapo, em fevereiro de 2019, apresentado por Babi Dewet e Érica Imenes, em parceria com a Half Deaf.

Lodi compara a relação das marcas com o K-pop com os games. “É um território que as marcas tem um certo receio de entrar porque envolve uma relação muito profunda. O que me encantou nesse projeto é essa relação e paralelo com o mundo dos gamers: quando você não entende, parece distante; mas quando você faz essa conexão, você vê o quão verdadeiro e identitário é”, afirma.

O projeto com o K-pop não é algo único da plataforma. No final de 2019, o Spotify lançou um documentário sobre o brega funk e este ano também está promovendo a playlist Esquenta Sertanejo, que é uma das maiores no Spotify Brasil, diz a empresa.

**Crédito da imagem no topo: Marco Piunti/iStock

Publicidade

Compartilhe