O que o TikTok quer com A Fazenda, e vice-versa

Buscar

Mídia

Publicidade

O que o TikTok quer com A Fazenda, e vice-versa

Parceiros estão em busca de inovação, cocriação e buzz nas redes sociais

Thaís Monteiro
11 de setembro de 2020 - 8h07

Em sua maior parceria no Brasil, o TikTok é patrocinador da edição deste ano de A Fazenda, reality show da Record TV. Para o aplicativo da chinesa Bytedance, essa é uma forma de interação crossmedia inédita e traz a possibilidade de exibir princípios da plataforma em rede nacional. Já para a emissora, é uma das estratégias para gerar mais repercussão sobre o reality que está em sua 12ª edição.

 

Record já trabalhava com o TikTok para difundir conteúdo do Jornal da Record (Crédito: Divulgação/Record TV)

Algumas das ações do TikTok no programa incluem o Espaço TikTok, onde os peões poderão produzir conteúdo autoral para se conectar com o público em diferentes formatos: desafios de danças, duetos, vídeos conversando com o público, lives, respondendo perguntas e outros. Os participantes também terão acesso a performance dos conteúdos. Os que tiverem o melhor resultado serão recompensados no programa.

A revelação de três participantes (Jojo Todynho, Victoria Villarim e Mariano) foi feita no app antes do programa começar e, na primeira prova, a vencedora Jakelyne Oliveira participou de uma live na plataforma. As transmissões com os vencedores de cada semana se prolongarão no programa. Outras ações serão criadas para a parceria.

Marcos Mion, o apresentador, o criador de conteúdo Victor Sarro e o humorista Carioca estão a frente das ativações digitais, diz a Record. “A ativação inédita em reality shows criará um spin-off do conteúdo no ambiente digital”, exemplifica Bia Cioffi, diretora de planejamento transmídia da Record TV.

De acordo com Kim Farrell, diretora de marketing do TikTok para a América Latina, a entrada do TikTok em A Fazenda condiz com a estratégia da plataforma de mostrar dinâmicas de criação conjunta já presentes na rede social e possibilitando que os usuários tenham acesso aos participantes de uma forma não explorada antes. Essa, no entanto, não é a primeira participação do TikTok em um reality-show. A plataforma fez ativações no Big Brother Brasil deste ano.

“Acho que quem assistir a essa edição de “A Fazenda” vai ter claro o conceito de crossmedia e porque ele é tão interessante, pois proporciona às pessoas uma nova perspectiva, uma maneira totalmente nova de participar daquilo que elas já conheciam, que nesse caso é um reality show. Essa dinâmica de coisas começando na plataforma e se estendendo pelo programa e vice-versa irá abrir o leque de possibilidade –- que já é bastante amplo — na criação de conteúdo, que é o grande forte do TikTok, ajudando a conectar quem está dentro e fora do programa de forma tão genuína que acredito que, em alguns momentos, todos se sentirão imersos naquele mesmo ambiente e vivendo as mesmas experiências”, argumenta.

Do outro lado do acordo, a Record tem, nessa parceria, um novo canal para que o público torça e possa se engajar com o relity. Segundo Cioffi, na edição passada A Fazenda somou quatro bilhões de impressões em seus perfis oficiais nas redes sociais. A estreia do programa também já está contabilizando likes, comentários, compartilhamentos e novos seguidores. Em cinco dias de perfil no TikTok, a atração conta com 400 mil seguidores.

A responsável pela articulação do patrocínio e ações foi a Publicis, que conquistou a conta do TikTok no Brasil no final de agosto. A agência venceu uma concorrência global e tem a missão de contribuir para o crescimento da base de usuários brasileiros do app da Bytedance. “Além da visibilidade que o patrocínio já naturalmente permite, ela ainda possibilita a extensão dos principais conteúdos do reality no TikTok. Os usuários do TikTok vão ter pela primeira vez possibilidade de interferir na dinâmica do reality”, afirma Maurício Almeida, VP de mídia da Publicis.

Emissora tiktoker
Essa, no entanto, não é a primeira empreitada da Record no TikTok. A emissora foi uma das primeiras a criar conta na plataforma, ainda em 2019, para o Jornal da Record. O objetivo era conteúdo jornalístico e informativo para um público que não necessariamente é impactado por telejornais, como a geração Z, mas mantendo a linguagem da rede.

Para o desafio, a Record contatou estagiários do jornal, que por serem mais novos e, então, nativos da plataforma, ajudaram na criação do conteúdo. Atualmente, o Jornal da Record tem 288 mil seguidores e mostra bastidores da produção jornalística, notícias rápidas, previsão do tempo, links com jornalistas em diferentes locais em um estilo mais informal e moderno.

Hoje, os produtos da emissora já são pensados com intenção de torná-los multiplataforma interativos. “Neste ano, a área de planejamento transmídia da Record TV fez um movimento grande para trazer os profissionais que sempre atuaram em televisão para mais perto do digital. Nossos colaboradores estão trabalhando para que os conteúdos já nasçam com um DNA multiplataforma. Nesta área, pensamos em toda a estratégia digital dos programas, mas focamos especialmente em entregar conteúdo de qualidade, criativo e inovador para nosso público. Além disso, aproximamos os nossos telespectadores ainda mais da Record, ouvimos, trazemos os comentários para a tela, empreendemos ações interativas”, explica a diretora de planejamento transmídia da Record TV.

**Crédito da imagem no topo: Kon Karampelas/Unsplash

Publicidade

Compartilhe