Twitter inclui Brasil em projeto contra desinformação

Buscar
Publicidade

Mídia

Twitter inclui Brasil em projeto contra desinformação

Iniciativa testa nova ferramenta de denúncias e visa avaliar o desempenho do mecanismo em grandes eventos cívicos, como as eleições presidenciais

Taís Farias
18 de janeiro de 2022 - 12h56

(Crédito: Shutterstock)

Nesta segunda-feira, 17, o Twitter incluiu o Brasil aos testes de sua nova funcionalidade que pretende ajudar a combater a desinformação. A ferramenta começou a ser testada em agosto do ano passado nos Estados Unidos, Austrália e Coreia do Sul. O projeto envolve um novo mecanismo de denúncia de informações falsas ou potencialmente enganosas na plataforma. Na prática, ao acessar a opção “Denunciar tweet” o usuário terá a possibilidade de sinalizar para a plataforma que a informação ali presente é falsa.

Depois de cinco meses de testes, a companhia decidiu ampliar os testes para novas regiões, que não tivessem o inglês como língua mãe. São elas Brasil, Espanha e Filipinas. Em comunicado em seu blog, o Twitter explicou que selecionou esses países porque quer colher resultados de uma “pequena, porém geograficamente diversificada, gama de regiões”. A proximidade das eleições no Brasil e nas Filipinas também foi apontado como um motivo, já que a companhia quer saber como a ferramenta de denúncias seria usada em grandes eventos cívico.

Para a rede social, o objetivo dos testes é entender se a ferramenta será efetiva para que a comunidade de usuários denuncie desinformação em tempo real. Apesar desse desejo, a plataforma informou que, por enquanto, menos de 10% da amostra de postagens analisada realmente correspondia a violações de suas regras. Desde o início dos testes, o projeto já recebeu 3,73 milhões de denúncias referentes a 1,95 milhão de diferentes tuítes publicados por 64 mil contas distintas.

Pressão e pedido do MPF

A inclusão do Brasil no projeto, no entanto, não veio sem pressão. No início do ano, um movimento marcado pela hashtag #TwitterApoiaFakeNews questionava a falta de uma ferramenta que permitisse a denúncia de notícias falsas com relação à Covid-19. O Ministério Público Federal se envolveu no tema e enviou um ofício ao Twitter, solicitando que a plataforma prestasse esclarecimentos sobre as ferramentas disponíveis para denúncia. A companhia chegou a responder os questionamentos em uma thread.

https://twitter.com/TwitterSeguroBR/status/1479201967796899843

*Crédito da foto no topo: Shutterstock

Publicidade

Compartilhe