Estadão debate corrupção em nova campanha

Buscar
Publicidade

Últimas notícias

Estadão debate corrupção em nova campanha

Em campanha, criada pela Momentum, jornal busca alertar a necessidade do voto consciente por meio de anúncio no impresso, rede sociais, vídeo e ativação no Marco Zero de São Paulo

Victória Navarro
2 de abril de 2018 - 10h11

O jornal O Estado de S.Paulo lançou nesta segunda-feira, 2 de abril, campanha para debater a corrupção no Brasil e a importância da informação de qualidade. Criada em parceria com a Momentum, a comunicação inclui uma ação na Praça da Sé, no Marco Zero de São Paulo, com um espelho de quatro metros de altura por seis de largura, que questiona quem são os mais lesados pelos problemas políticos e leva à reflexão sobre voto inteligente. 

O diretor-executivo comercial do Estadão, Flávio Pestana, ressalta que a política sempre foi protagonista nas páginas do jornal e hoje é ainda mais importante, além de economia. “Então, nada mais justo do que promover esse alerta contra uma praga que assombra o Brasil”, diz. Maria Laura Nicotero, presidente da Momentum no Brasil, explica que a campanha surgiu em um momento que o Estadão procurava meios de direcionar o seu público em decisões complexas, já que, “cada vez mais consumimos pílulas, provenientes de pessoas com critério duvidoso para produzir e distribuir informações, que se acabam tomando como se fosse verdade”.

 

Campanha conta com espelho na Praça da Sé, em São Paulo (crédito: divulgação)

O anúncio impresso será em papel espelhado na sobrecapa do jornal — a ideia é “refletir” quem está sendo condenado pela corrupção. Também terá desdobramentos no site; nas redes sociais; e em vídeo. O espelho instalado na Sé tem os dizeres “Condenados pela corrupção”, para levar os cidadãos a refletirem sobre o problema. As ações seguem até domingo, 8 de abril.

Pestana afirma que a missão da campanha é, além de trazer à tona os efeitos da corrupção, “gerar um recall na cabeça do público de que a luta contra esse crime é a bandeira de O Estado de S. Paulo”. No ano passado, a FCB Brasil criou para o jornal a plataforma digital De Real para a Realidade, que fazia comparações sobre o quanto custava a corrupção no País. No site do jornal, era possível calcular como poderiam ter sido aplicados, em bens e serviços públicos, os valores desviados por políticos.

Crédito da foto do topo: Pixabay/Pexels

Publicidade

Compartilhe

Comente