Hearst e Conde Nast disputam primazia no iPad

Buscar

Hearst e Conde Nast disputam primazia no iPad

Buscar
Publicidade

Mídia

Hearst e Conde Nast disputam primazia no iPad

Editoras concorrem para colocar títulos na lista dos mais baixados na App Store por assinaturas


6 de maio de 2011 - 3h21

A Hearst Corporation fechou um novo contrato com a Apple para oferecer assinaturas na App Store das revistas Esquire, Popular Mechanics e O, The Oprah Magazine já no mês que vem, mas, pode ser nocauteada pela rival Condé Nast.

Depois que o acordo entre a Hearst e a Apple foi anunciado na quarta-feira, 4, pelo jornal The Wall Street Journal, e confirmado pela Hearst, surgiram rumores de que as assinaturas para os títulos da Condé Nast em iPad podem chegar ao primeiro lugar das aplicações mais baixadas na App Store. As assinaturas para publicações das três revistas em iPad da Hearst não estrearão até a edição de julho dessas publicações, que são fechadas em junho. Isso dá à Condé Nast algum tempo, especialmente se a editora já tiver um acordo próprio com a Apple, como algumas fontes acreditam.

“Conseguir algo primeiro é o que importa, em última análise, a curto prazo”, afirmou um funcionário da Condé Nast que, entre outros títulos, publica revistas como The New Yorker, Vogue e Bom Appetit. “A longo prazo, quando as assinaturas começarem a cair, a marca que estiver numa posição melhor com o público pode vender a maior quantidade de assinaturas. Um ano a partir de agora, quem tiver o maior número de assinaturas ganha. Portanto, não importa quem primeiro divulga o comunicado de imprensa (sobre o acordo com a Apple)”, afirma a fonte. Procurada, a Condé Nast se recusou a comentar oficialmente a declaração.

A Hearst cobrará US$ 1,99 por mês e US$ 19,99 por ano de cada um dos seus títulos no iPad. O negócio, no entanto, não se aplica apenas às revistas, mas também se estenderá para veículos como jornal, TV e outros ativos de mídia ao redor do mundo. O negócio também concede à Hearst receitas melhores e mais dados sobre o assinante do que, em geral, a Apple oferece, afirma o porta-voz da editora, em fornecer mais detalhes.

Dados do assinante

O compartilhamento dos dados do assinante tem sido um dos grandes pontos de atrito entre editoras e Apple. As editoras querem vender assinaturas das suas edições em iPad, ainda que, na maior parte das vezes, tenham tido dificuldade para vender um único exemplar no dispositivo, mas, também querem saber quem são seus assinantes para efeitos de marketing. Sob os termos da Apple, apresentado em fevereiro, os usuários que se inscrevem por meio da App Store são questionados se querem compartilhar suas informações com as editoras. Revistas como Elle, Popular Science, Nylon e Bloomberg Businessweek aceitaram esses termos e começaram a vender suas assinaturas iPad. Mas, editoras importantes como Hearst e Condé ainda estavam fora desse modelo.

Já a Time Inc. chegou a um acordo com a Apple para dar aos assinantes da Sports Illustrated, Time e Fortune livre acesso às edições desses títulos para iPad, a partir desta semana. Um acordo, por sinal, pelo qual a editora que publica a revista People já se interessou.

Do Advertising Age.

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Com seis marcas, DiaTV estreia nova temporada do De Frente com Blogueirinha

    Com seis marcas, DiaTV estreia nova temporada do De Frente com Blogueirinha

    Programa estreia com a participação de Bianca Andrade e patrocínio duplo envolvendo Boca Rosa + L'Occitane au Brésil

  • Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Chamada de Aquila, plataforma é fruto de coalização entre Associação dos Anunciantes, Kantar, Meta, Amazon e TikTok