Com Do Bem, Ambev entra no setor de sucos

Buscar

Marketing

Publicidade

Com Do Bem, Ambev entra no setor de sucos

Fabricante anuncia compra da marca de sucos e bebidas naturais criada no Rio de Janeiro, em 2007

Bárbara Sacchitiello
26 de abril de 2016 - 11h08

A empresa do Bem, que iniciou suas atividades no Rio de Janeiro em 2007, com a proposta de oferecer sucos saudáveis, despertou o interesse da maior fabricante de bebidas do mundo. Na noite desta segunda-feira, 25, a Ambev – parte da AB Inbev – anunciou a aquisição da marca brasileira.

DoBem-Destaque

Além do Brasil, marca também possui operações em Portugal, Espanha e França (Crédito: Reprodução)

“A Ambev está muito contente e animada com essa parceria. A Do Bem chega para expandir e fortalecer a atuação da divisão de não alcoólicos da companhia. Um dos nossos princípios é estar cada vez mais próximos dos consumidores e encontramos na Do Bem o parceiro ideal para oferecer novas bebidas, ampliando assim o nosso portfólio para mais ocasiões de consumo. A transação não é material para a Ambev e, em momento oportuno, daremos mais detalhes”, disse a empresa, via comunicado. Os valores na negociação não foram revelados.

Com a compra, a Ambev passa a competir no segmento de sucos e chás, tal como a Coca-Cola, que também ingressou na área quando adquiriu a marca de sucos Del-Valle, em 2006.

Em seu site oficial, a Do Bem apresenta como missão “simplificar a vida das pessoas e deixar todos os corpos saudáveis”. Criada em 2007 pelo empresário Marcos Leta, a empresa explica seu próprio nascimento como um anseio de seu criador de produzir um suco que tivesse o mesmo gosto da fruta espremida na hora. Depois de viajar por diversos países para pesquisar ingredientes e tecnologia para o desenvolvimento dos sucos e das embalagens, o empresário e sua equipe lançaram, em 2009, o primeiro suco de laranja integral da marca.

Depois de iniciar uma distribuição de vendas pelo estado do Rio de Janeiro e que seguiu para todo o Brasil, a Do Bem já atua de forma internacional. Atualmente, a marca possui operações para vender seus produtos na França, em Portugal e na Espanha. No portfólio atual, são mais de 15 sabores de sucos e chás e, mais recentemente, a empresa também entrou no segmento de barrinhas de cereais, produzindo itens sem açúcar, gorduras ou lactose.

Sucos-Do-Bem-Grande

Com sucos de frutas e chás, marca criou portfólio de bebidas estruturado no conceito de saudabilidade (Crédito: Reprodução)

Do Bem – mas com polêmica
Apesar de seu expansivo crescimento no País, a Do Bem tornou-se assunto na indústria da comunicação por conta de uma polêmica. Em 2014, a marca foi alvo de um processo no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) por conta de uma informação escrita na embalagem de seu suco de laranja. Na época, as caixinhas diziam que os sucos eram produzidos com laranjas colhidas “fresquinhas na fazenda do senhor Francisco, no interior de São Paulo, um esconderijo secreto que nem o Capitão Nascimento poderia descobrir”.

A informação, no entanto, foi contestada pelo fato de as frutas utilizadas na fabricação das bebidas serem processadas por diversas empresas do Brasil e virem, também, de diversos produtores.

A Do Bem, no entanto, saiu vitoriosa na questão. Após analisar o argumento da marca – que pontuou que suas frutas vinham de diversos locais, inclusive, da fazenda do senhor Francisco – o Conar julgou que a comunicação não causava prejuízo aos consumidores e recomendou o arquivamento do processo.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Marcos Leta

  • Ambev

  • AB Inbev

  • Do Bem

  • Bebidas

  • Sucos

  • Chás

  • marketing

  • Negócios

  • compra

  • venda

  • Indústria

  • Conar

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”