Facebook aumenta prioridade a posts de amigos e família

Buscar

Últimas notícias

Publicidade

Facebook aumenta prioridade a posts de amigos e família

Por outro lado, plataforma dará menos visibilidade a marcas e publishers, numa tentativa de "reconectar os usuários"


12 de janeiro de 2018 - 11h36

 

Mark Zuckerberg (Justin Sullivan/Getty Images)

Por Angela Doland, do Advertising Age

Na quinta-feira 11, Mark Zuckerberg informou que mudará o feed de notícias — o fluxo de conteúdo que as pessoas veem no Facebook diariamente , de forma a dar prioridade a publicações de amigos e família em vez de marcas, empresas de mídia e vídeo. O comunicado aparentou ser um alerta para publishers e parceiros de mídia que confiam na plataforma para alcançar audiência e consumidores.

“O feedback da nossa comunidade informou que conteúdos públicos, como publicações de empresas, marcas e mídia, têm tirado o espaço de publicações pessoais que nos fazem conectar mais uns com os outros”, escreveu Zuckerberg, CEO do Facebook.

A empresa têm sinalizado suas mudanças de prioridades por anos, diminuindo a presença de posts de baixa qualidade e manchetes sensacionalistas e encorajando publicações que gerem maior engajamento entre usuários. Em 2016, o fake news impregnou o Facebook e posts estrangeiros foram acusados de impactar a eleição presidencial dos Estados Unidos.

“Eu não acho que eles vão silenciar todos os publishers, mas parece que isso vai surpreender  muitos”, diz um executivo que trabalha constantemente com o Facebook e preferiu não se identificar. “Eles foram com manto e adaga para anunciar essa atualização”.

Enquanto isso, as empresas de mídia têm confiado no Facebook mais do que nunca para alcançar o público e trazer tráfego para seus sites. Muitos deles mudaram suas estratégias no digital para ficar a par do algoritmo do Facebook, fazendo mais transmissões ao vivo quando o Facebook disse que queria mais esse tipo de conteúdo e experimentando com o Instant Articles quando a ferramenta foi anunciada como uma solução para páginas fora da rede social com dificuldade de carregamento. Agora, parece que esses publishers estão quase tão sem sorte quanto os editores falsos que a plataforma tentou tirar do feed.

Alguns executivos dizem que eles estavam por fora das mudanças que o Facebook tem feito, apesar dos esforços da rede social para criar laços mais fortes com a indústria no último ano. No ano passado, a empresa criou o Facebook Journalism Project para discutir com as demais empresas de mídia sobre a melhor forma de usar a plataforma e encontrar uma maneira de ganhar dinheiro pelos seus esforços.

“Isso definitivamente nos dá a sensação de que estamos caminhando em círculos”, diz outro executivo que fez parte do Journalism Project, mas ainda antes de atualizar-se completamente sobre as últimas mudanças.

O Facebook, por sua vez, tem visto cada vez menos usuários criando publicações para seus amigos e famílias enquanto cada vez mais marcas e publishers estão alimentando a plataforma. Enquanto isso, rivais como o Snapchat vêm crescendo. Neles, o usuário produz os próprios vídeos e imagens e envia a seus amigos.

“A pesquisa mostra que quando nós usamos as redes sociais para nos conectarmos com pessoas que gostamos, pode ser bom para nosso bem-estar”, escreveu Zuckerberg

No Facebook, os usuários desenvolveram uma propensão para rolar o feed de notícias automaticamente, olhando os posts rapidamente e indo para o próximo em milésimos de segundos. A atualização tem como objetivo diminuir a velocidade dessa rolagem.

Zuckerberg também diz que quer ajudar seus usuários a melhorar seu bem-estar. “A pesquisa mostra que quando nós usamos as redes sociais para nos conectarmos com pessoas que gostamos, pode ser bom para nosso bem-estar”, escreveu Zuckerberg. “Nós podemos nos sentir mais conectados e menos sozinhos, e isso faz um paralelo com uma série de medidas sobre felicidade e saúde. Por outro lado, ler artigos passivamente ou assistir a vídeos — mesmo que eles sejam para entretenimento ou informativos — pode não ser tão bom.”

O Facebook diz que vai continuar a mostrar o conteúdo das páginas de mídia, mas vai dar prioridade aos tipos de posts que geram conversas entre amigos. Por exemplo, o discurso de Oprah Winfrey no Golden Globes pode se espalhar como fogo, mas posts que não geram muitos comentários podem cair por terra.

A atualização não impacta diretamente o Watch, hub de vídeo que o Facebook criou para competir com o YouTube. A rede social tem trabalhado com um número de empresas de mídia para criar programas para o hub e está tentando vender anúncios nele. Mas nas últimas semanas a plataforma fez mudanças no Watch, também no sentido de priorizar vídeos que incentivam engajamento e geram participação positiva da audiência leal.

Mark Zuckerberg anunciou tais mudanças em sua publicação de Ano-Novo, na qual ele também prometeu trabalhar para melhorar a rede social e muitos dos seus problemas.

Tradução: Thaís Monteiro

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • facebook

  • feed de notícias

  • marcas

  • midia

  • mudanças

  • Publicações

  • publishers

  • rede social

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”