Brasil ocupa 4ª posição na intenção de troca de aparelhos entre usuários de smartphone

Buscar

post patrocinado

Por

Brasil ocupa 4ª posição na intenção de troca de aparelhos entre usuários de smartphone

Estudo realizado pela Teads mostra a relação entre funcionalidade e construção de imagem pessoal para os usuários de smartphones


12 de maio de 2022 - 0h00

O primeiro celular foi criado nos Estados Unidos em 1973, mas chegou ao Brasil somente 20 anos depois, na década de 90. O aparelho Motorola PT-550 iniciou a trajetória móvel do país juntamente com a chegada da rede de telefonia móvel no Rio Janeiro e tinha 348 gramas distribuídos em 22cm de comprimento e bateria com duração de aproximadamente 15 horas.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil já possuía 256 milhões de acessos móveis em fevereiro de 2022. A evolução da tecnologia mudou a relação das pessoas com seus aparelhos e muitas funcionalidades como jogos, câmeras de alta resolução e acesso à internet tornaram o smartphone objeto importante na rotina das pessoas.

Uma pesquisa realizada recentemente pela Teads, empresa global de mídia, analisou as preferências e comportamento de diferentes perfis de usuários de smartphones em 17 países e colocou o Brasil em posição de destaque. Aqui, 58% dos entrevistados são considerados Mobile Intenders, ou seja, possuem a intenção de trocar de aparelho móvel no intervalo de até 12 meses, ocupando a 4ª posição entre os países estudados, atrás dos Emirados Árabes, México e Índia.

A utilização do aparelho é intensa: segundo o estudo, o brasileiro passa aproximadamente 5 horas por dia em seus dispositivos. Além disso, o relacionamento com o aparelho móvel está muito além do uso rotineiro: 72% dos entrevistados consideram seus aparelhos como parte da sua identidade e 67% consideram o aparelho uma de suas principais posses.

Apesar de considerarem os telefones símbolos de status, os Mobile Intenders se preocupam também com a relação custo-benefício. Ao trocar de aparelho, consideram diferentes funcionalidades, como inovação de hardware e duração da bateria. Além disso, não deixam de avaliar o custo e 47% afirmam que promoções podem influenciar na decisão de comprar um novo aparelho.

A pesquisa apontou também que o consumo de conteúdo online entre os Intenders é intenso – entre os que consideram a troca de marca, 64% buscam materiais relacionados à tecnologia ao menos 2 vezes ao mês. Economia/finanças e Games também se destacam, com 59% e 49%, respectivamente. O estudo também reforça que a afinidade com diferentes tipos de conteúdo é influenciada por faixa etária, preferência entre marcas ou funcionalidades mais utilizadas no dispositivo.

“A mídia online se destaca para a consideração de compra de novos aparelhos. No Brasil, 87% dos respondentes que buscam informações sobre smartphones no meio online estão pensando em trocar de marca e 60% descobrem essas informações através de anúncios em notícias. Em um cenário em que o brasileiro se mostra pouco fiel às marcas, a importância de saber explorar o potencial do ambiente digital se torna cada vez mais relevante: é saber comunicar a mensagem certa, no contexto e timing adequados.”, afirma Cau Stéfani, Insights &Research Manager da Teads Brasil.

“O mercado de telefonia móvel enfrenta um momento em que os compradores ainda são influenciados por características de hardware e software para a escolha de seus aparelhos, mas passam a considerar também o custo x benefício e a responsabilidade social e ambiental das empresas. Um ambiente que ofereça credibilidade à mensagem deve ser levado em consideração para manter a fidelidade dos usuários no Brasil”, reforça Paulo Itabaiana, Managing Director da Teads no Brasil.

O detalhamento dessas informações está disponível no estudo Global Smartphone Purchase Intender Study, disponível para apresentação através do link.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Segmentação sem cookies tem efetividade comprovada em campanha com a Teads

    Segmentação sem cookies tem efetividade comprovada em campanha com a Teads

    Nestlé, Thrive WMcCANN e Teads apresentam resultados de campanha cookieless para Purina