Mídia por captação de áudio no mobile: boas práticas garantem ótimos resultados

Buscar

Brand Voice

APRESENTA

Mídia por captação de áudio no mobile: boas práticas garantem ótimos resultados

Com permissão do usuário, Áudio Ads, da OPL Digital, oferece segmentações exclusivas e resultados extraordinários

O direcionamento de mídia, por meio de captação de áudio, é possível mediante permissão e consentimento do usuário



14 de maio de 2021 - 16h28

É bem provável que já tenha ocorrido com você: depois de conversar ou falar algo em voz alta perto do smartphone, surge um anúncio de produto ou serviço relacionado ao que foi dito. O direcionamento de mídia, por meio de captação de áudio, é uma prática legalizada e, cada vez mais, comum no mercado. Por ser pouco comentada, ainda é cercada de mitos e difamações.

“Diversos players, inclusive gigantes, fazem isso, mas é difícil que assumam. Em um mundo mobile, é algo que deve ser feito com responsabilidade e respeito às leis”, afirma Rodolfo Darakdjian, CEO da OPL Digital. Dentre as diversas soluções oferecidas pela empresa, uma plataforma de mídia mobile 360º, está o Áudio Ads, baseado na captação de voz.

Seguro e assertivo
O Áudio Ads só é possível mediante permissão e consentimento do usuário. Ao instalar e cadastrar-se em diversos aplicativos de grande uso no Brasil, o consumidor aceita (opt-in) políticas de uso e privacidade, e, consequentemente, autoriza o acesso ao microfone, câmera, GPS e outras ferramentas, para que o próprio sistema funcione.

Não se capta tudo que o usuário fala, algo praticamente impossível por limitações tecnológicas. São buscadas somente as palavras-chave cadastradas pelo cliente do Áudio Ads, um processo eficiente e assertivo que só se concretiza quando os termos são captados com nitidez. A partir disso, é feito o direcionamento de mídia display ou vídeo para o usuário, que podem ser exibidos dentro do aplicativo que registrou o áudio ou em outros apps e plataformas.

O tratamento dos dados é criptografado, com respeito à privacidade, ao anonimato e em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). “A captação por áudio não é invasiva. É feita com cuidado, pois anunciantes não querem escândalos e exigem segurança e legitimidade para obter dados”, afirma o CEO da OPL Digital.

LGPD e movimentações do mercado exigem adaptações

Para adequar-se às regulações de privacidade e proteção de dados, os principais navegadores e sistemas operacionais para desktop e mobile buscam mitigar riscos.

O Google Chrome anunciou, no ano passado, que os cookies de terceiros (dados registrados no histórico de navegação do usuário) não serão mais suportados a partir de 2022, o que também restringirá a coleta de dados entre websites e plataformas.

Embora ainda falte um detalhamento mais específico para o novo cenário, mas, certamente, serão mudanças progressivas e graduais. Há tempo para o ecossistema publicitário adaptar-se, buscando alternativas menos individuais, mais transparentes e em conformidade com a legislação.

O Áudio Ads e todos os produtos da OPL Digital estão adequados ao contexto atual e a empresa acompanha com atenção as mudanças do setor.

Adesão à voz
O Áudio Ads ganha mais expressão, se considerarmos que há mais de um dispositivo móvel por habitante no Brasil: cerca de 234 milhões de smartphones estavam em uso no País, em junho de 2020, segundo estudo do FGVcia (Centro de Tecnologia de Informação Aplicada, da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas). “A captação de áudio adentra em um aspecto forte da cultura brasileira: a fala e a oralidade. Falamos sobre variados assuntos com nossa família, amigos e até com recém-conhecidos, em diversas ocasiões. Já é hábito, sempre, estar com o celular perto de nós, gerando uma interessante fonte de dados até então desconhecida”, analisa Darakdjian.

Um indicador do apreço do brasileiro por ferramentas de áudio é o aumento do uso de assistentes virtuais por voz, na quarentena. Uma pesquisa da Ilumeo, feita com 1.100 participantes de diversas regiões do País, entre março e julho de 2020, apontou o crescimento de 47% do uso de assistentes virtuais por voz, no período. Para 84% dos participantes, o uso dessa tecnologia é mais prático do que digitar, principalmente para buscar informações ou cessar dúvidas. Já para 76% dos respondentes, a possibilidade de realizar outras tarefas simultaneamente é o que mais atrai. O estudo aponta a tendência de alta do uso de eletrônicos com assistentes virtuais por voz para os meses seguintes, sinalizando uma consolidação e impacto para além da quarentena.

Segmentações: uso plural
As possibilidades de aplicação do Áudio Ads, da OPL Digital, são bem variadas e personalizáveis. Para se adaptar à estratégia do cliente, as palavras-chave de interesse são niveladas e refinadas, inclusive durante a campanha, com base nos dados, desempenhos e objetivos.

“O potencial das segmentações e o ótimo custo-benefício do Áudio Ads são alguns de seus diferenciais”, explica Darakdjian. Além da capacidade de personalização, o produto pode ser turbinado junto a outras soluções da OPL Digital, que é especializada no mobile marketing de alta performance. A empresa possui atuação global, com inventários em todos os continentes, que atingem 95% da internet. Sua Demand Side Platform (DSP) própria reúne mais de 2 milhões de sites, aplicativos e redes sociais, com opções em display, vídeo, áudio, push e native. Já sua Data Management Platform (DMP) contempla mais de 140 milhões de usuários, a maioria do Brasil, com elevado poder de segmentação e assertividade. A empresa também alcança 95% dos dispositivos mobile do País.

O Áudio Ads pode ser potencializado junto a segmentações convencionais, como geolocalização e pesquisas de usuários em qualquer buscador de internet, e a segmentações diferenciadas da OPL Digital, baseadas em usuários específicos de certos aplicativos e sites, condições climáticas, eventos, resultados de jogos e lançamentos, entre outros.

Darakdjian dá exemplos de possíveis ações segmentadas com o Áudio Ads, como a busca da percepção da marca nas proximidades de um local ou loja, em um determinado horário ou durante um programa televisivo; e a exibição de anúncio para quem pronunciar o termo escolhido; análise de impressões sobre a concorrência.

O produto está à disposição para todos os perfis de clientes, independentemente do porte e segmento, podendo alcançar qualquer público. “É uma forma única de conhecer melhor os consumidores e trazer resultados focados”, diz o CEO da OPL Digital.

Resultados confiáveis e comprovados
Além de todos os produtos da OPL Digital, inclusive o Áudio Ads, estarem alinhados com a LGPD, são feitas auditorias e verificações independentes por parceiros, como Nielsen e IAS, que demonstram os níveis de visibilidade dos anúncios e riscos de brand safety e de fraude. Em todas as campanhas, a empresa garante viewability de no mínimo 70%, auditado pela Moat e Adledge.

Com ampla tecnologia de dados, a empresa possui um vasto portfólio para mídia mobile 360º, para demandas digitais e físicas, com soluções customizadas, integradas e mensuráveis, além de modelos comerciais flexíveis. “Estamos preparados para o presente e para o cenário pós-pandemia, que acelerou a transformação digital e intensificou o uso do mobile no Brasil”, declara Darakdjian.

 

Saiba mais: https://opldigital.com
Contato: comercial@opldigital.com

Publicidade

Compartilhe