Telaria e Nielsen integram métricas de vídeo digital

Buscar

Mídia

Publicidade

Telaria e Nielsen integram métricas de vídeo digital

Novo serviço oferece mensuração comparável a GRP da TV aberta

Igor Ribeiro
18 de dezembro de 2018 - 15h02

A Telaria e a Nielsen estão anunciando uma integração de ferramentas que torna a análise de métricas de vídeos digitais mais equiparável às de TV aberta. Anunciada globalmente, a novidade chega agora ao Brasil. Segundo Rafael Pallarés, general manager da Telaria no Brasil, o novo serviço oferece ao mercado dados demográficos mais elaborados sobre audiência online para a aquisição de mídia, melhorando a eficiência de campanhas.

Rafael Pallares, general manager da Telaria no Brasil (Crédito: Divulgação)

“São métricas comparáveis ao TV ratings da Nielsen”, diz o executivo. Na nova formatação, alcance e frequência em digital são visualizados de modo semelhante a gross rating points (GRP), mensuração mais conhecida entre agências e clientes. “O anunciante daqui está bastante acostumado a investir em televisão e, a partir disso, ele poderá comprar em digital tendo uma referência melhor.”

Chamado de Digital Ad Ratings (DAR), o painel é creditado pela Media Rate Council (MRC) e os números são deduplicados — ou seja, não há repetição de frequência e alcance entre diferentes dispositivos, como um desktop e mobile. “Nossa integração é supply centric: a Nielsen tem painéis que capturam dados e eles triangulam com informações do Facebook e implementamos tags específicas no nosso inventário local e internacional, como Globo, UOL, CNN, Bloomberg e Warner. A partir de dados determinísticos, conseguimos controlar o perfil dessa audiência e definir clusters demográficos”, explica Rafael. Ele destaca que os dados são anônimos e todo o processo cumpre as legislações mais avançadas em termos de privacidade, inclusive o GDPR europeu.

Segundo Sabrina Balhes, líder de digital da Nielsen Brasil, o DAR também proporciona verificação de fraude e viewability em até 100%. “Essa cobertura cumpre a demanda dos anunciantes por total transparência e comparabilidade na comercialização de mídia”, disse Sabrina, em comunicado. “Temos padrões muito altos de prevenção a fraude e não atuamos com long tail, são poucos publishers ou service providers”, diz Rafael. “Temos critérios muito rígidos para fazer screenings e usamos (a plataforma de segurança especializada em detectar fraude publicitária) White Ops para se prevenir fraude em pré-Bid, se ela não se certificar, nem mesmo é enviado para a negociação.”

A integração nasceu nos Estados Unidos e, num segundo momento, está sendo expandida para a região Ásia-Pacífico, a partir da Austrália, e América Latina, a partir de Brasil. Posteriormente deve chegar à Europa e passará a medir também aplicativos e TVs conectadas.

Publicidade

Compartilhe