Instagram cria selo para evidenciar conteúdo pago

Buscar

Mídia

Publicidade

Instagram cria selo para evidenciar conteúdo pago

Influenciadores e veículos deixarão marcas mais explícitas em posts patrocinados

Karina Julio
14 de junho de 2017 - 10h00

O Instagram lança um novo recurso com o objetivo de trazer mais transparência para as relações comerciais. A partir das próximas semanas, o público verá a descrição “parceria paga” nos posts e Stories de influenciadores e artistas quando houver alguma relação com com marcas. Através da novidade, influenciadores e veículos poderão marcar empresas em posts relacionados, o que bastará para o selo aparecer na postagem. Opção estará disponível também no Stories.

Foto: Reprodução

As marcas terão acesso a métricas sobre os posts diretamente da interface da plataforma, monitorando likes e comentários. No Brasil, os primeiros a utilizar o recurso serão o Esporte Interativo, em parceria com Heineken, e Wesley Safadão, em parceria com Skol. O objetivo é levar mais transparência aos usuários.

“À medida em que  crescemos e amadurecemos, começamos a ver que a relação entre criadores e marcas se tornou parte integral da experiência na plataforma, por isso a transparência é muito importante para os usuários que as seguem. Agora, queremos trazer mais transparências para os negócios dos influenciadores, e os criadores podem compartilhar dados de analytics com a marca e  entender o engajamento”, disse Charles Porch, head of global creative programs, em entrevista ao Meio & Mensagem. Este ano, a plataforma atingiu 700 milhões de usuários (e 200 milhões no Stories, ultrapassando o Snapchat).

Ainda restrita a um grupo seleto de usuários, a ferramenta deve passar por um período de testes para então ser aberta a outros influenciadores e marcas. Segundo Charles, a finalidade do recurso não é prioritariamente publicitária. “Por enquanto, vamos recolher feedback de marcas e criadores, e também monitorar a comunidade que os segue para ver como ela se adapta a isso. Não é um produto de anúncios, mas uma ferramenta gratuita”, pondera.

O Instagram afirma ter chegado a 1 milhão de anunciantes ativos mensais em março deste ano, dobrando seu número de anunciantes em relação ao último trimestre do ano passado.  Segundo a plataforma, mais de 8 milhões de empresas usam perfis comerciais no Instagram e o Brasil é um dos líderes em adesão. Charles diz que influenciadores brasileiros são os mais engajados. “Eles compartilham de forma muito autêntica. Pessoas como Anitta, Bruna Marquezine, Ivete Sangalo e Neymar são figuras públicas, mas fazendo um trabalho incrível ao levar uma visão sobre sua vida aos fãs.  Eles estão realmente construindo laços fortes, e quanto mais forte essa conexão, maiores resultados podem ser alcançados”, disse. 

Arquivo
Ainda esta semana, o Instagram lançou o recurso Arquivo, que permite ao usuário salvar posts em uma aba privada e revê-lo a hora que quiser.  Com a ferramenta, usuários podem remover e recolocar fotos em seu perfil da maneira que quiserem.

Entre os países com maior número de perfis comerciais, o Brasil é a segunda maior comunidade da rede social globalmente, com 45 milhões de usuários, segundo números do Instagram. Ao transformar um perfil comum em um perfil comercial, uma empresa pode ter acesso a métricas e identificar os posts que fizeram mais sucesso, além de ver o perfil geográfico e demográfico da audiência e o melhor horário para postar.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Anitta

  • Bruna Marquezine

  • Instagram

  • Neymar

  • Stories

  • Wesley Safadão

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”